Comportamento

Avós têm papel importante na educação das crianças, mas não substituem os pais

Thinkstock
Esqueça a teoria de que os pais educam e os avós estragam; isso atrapalha o desenvolvimento da criança imagem: Thinkstock

RENATA RODE

Colaboração para o UOL

Seja por necessidade ou escolha, avós estão cada vez mais presentes na educação dos netos. Em alguns casos, a participação é constante e a responsabilidade sobre eles é maior do que deveria. Auristela Temperani, 41 anos, supervisora administrativa de São Paulo, é divorciada e tem três filhas. Transferida para o Pará, deixou as meninas sob os cuidados da avó por três anos. "Na época, elas tinham 11, 15 e 19 anos e a mudança gerou uma dose de rebeldia no começo. Mas como eu já tinha passado por problemas com babás e empregadas, optei por pedir ajuda à minha mãe e não me arrependo", diz.

Para Blenda Marcelletti, terapeuta especializada em família, avós não foram feitos para terem a responsabilidade da educação dos netos. Isso cabe aos pais. “É uma tarefa intransferível quando os pais existem e gozam de boa saúde física e mental. Entretanto, não é preciso ser radical, criando uma situação desconfortável ou confusa”, explica. O primeiro erro, por exemplo, é achar que a convivência com os avós pode atrapalhar o conceito de hierarquia. “A criança precisa saber que qualquer adulto que a trate bem merece respeito e, muitas vezes, obediência. Os pais devem explicar quais são as pessoas confiáveis e que ficarão responsáveis, quando eles estiverem ausentes. Além disso, a convivência dos netos com os avós traz uma nova experiência de vida e oferece aprendizado a ambos", afirma a especialista.

Dicas para os avós*

Os avós devem saber que não é tarefa deles serem pais;
Sempre que possível, contem para os netos como era a vida em outros tempos e como eram seus pais na idade deles. É importante que os mais velhos contem as histórias da família;
Quando tiverem dúvida do que fazer perguntem aos pais, principalmente se for algo de muita relevância;
Sempre conte aos pais fatos importantes sobre as crianças;
Mesmo que as medidas tomadas pelos pais sejam severas ou permissivas demais, não os desautorize. Opte pela conversa (longe dos netos);
Não permita qualquer tipo de desrespeito por parte dos netos e não tenha receio de colocar limites. Isso pode ser feito de forma afetiva e firme;
Se você não pode ficar com os netos, diga. Não é obrigação dos avós cuidar deles;
*consultoria: Blenda Marcelletti


Roseli Pires de Castro, psicopedagoga, diz que há, ainda, outra questão: o reflexo que a boa relação entre os pais e os avós causa nos filhos. "Há uma antiga teoria que diz que você pode saber se um homem e uma mulher serão bons pais pela maneira como lidam com seus genitores e como cada um viveu sua infância e adolescência. Portanto, demonstrar saúde nessa ligação só contribui para a educação das crianças", explica.

Todos os especialistas concordam que o diálogo evita conflitos. Os pais devem estar sempre em contato com os avós para deixar claro até onde eles podem ir. "Muitos entregam seus filhos e deixam tudo por conta deles. Isso não contribui para o equilíbrio das relações. O contrário também é válido: os avós podem mostrar qual é o tamanho da sua disponibilidade, já que muitos têm suas ocupações, projetos e amigos", diz Blenda.

O psicólogo Alessandro Vianna acha o contato estreito entre avós e netos positivo. O que o preocupa é a famosa frase: "pais educam e avós deseducam". "É extremamente importante que os avós mantenham a mesma linha de educação que os pais", diz. "O ideal é conversar com os avós para explicar que eles também fazem parte da educação das crianças e devem ser responsáveis. Essa instabilidade pode causar uma imensa confusão na cabeça da criança e até fazer com que ela crie a falsa fantasia que os pais não a amam como os avós."

O conflito entre gerações também é motivo de preocupação. Para Alessandro, é necessário considerar que tudo muda, assim como a forma de educar filhos. "Avós acreditam que sabem educar melhor do que os pais, mas esquecem que existem vários fatores que influenciam diretamente na conduta de uma criança que, pela circunstâncias atuais, os pais irão saber lidar melhor". Um exemplo: como avós conseguirão colocar limites nos netos em relação a Internet, se na época deles essa tecnologia não existia?

Topo