Sexo

Anote dez novas dicas que ajudam a mulher a chegar ao orgasmo

Thinkstock
Usar lubrificante, ver filmes pornôs e até fazer "musculação íntima" ajudam a mulher a chegar ao orgasmo imagem: Thinkstock

Andrezza Czech

Do UOL, em São Paulo

Não há uma mulher que nunca tenha ouvido "conheça melhor seu corpo" ou "capriche nas preliminares" como solução para resolver os problemas na cama. Claro que as preliminares ajudam a entrar no clima e que a pessoa que conhece bem seu corpo sabe o que pedir para o parceiro. Mas o que mais devemos saber para alcançar o máximo da relação sexual? O UOL Comportamento conversou com especialistas para descobrir métodos inusitados para chegar ao orgasmo feminino. Confira as dicas:

Não pense em ter orgasmo

O primeiro passo para começar a relação sexual é não ficar pensando no orgasmo. Por mais que tudo esteja ocorrendo bem e a empolgação seja grande, se a pressão de terminar o sexo com orgasmo surgir, ele não vem.

"É essencial se entregar. Desligar celular, desligar-se dos problemas e de tudo a sua volta", diz a personal sex trainer Fátima Moura. Ir para a cama pensando nas tarefas a cumprir ou em como agir com o parceiro na cama também é insatisfação na certa. "A mulher tem de se abandonar à sensação e deixar o momento fluir", diz o terapeuta sexual Paulo Geraldo Tessarioli. Para ele, é comum para quem tem pouca familiaridade com o sexo ficar o tempo todo atenta ao que está acontecendo. "O ideal é só dar atenção ao que se está sentindo".

Veja filmes pornôs

A ideia não é usar filmes pornôs para esquentar os ânimos. Até porque os filmes geralmente são voltados para os homens e têm uma visão machista pouco empolgante para as mulheres. "O importante é manter referências de sexo na cabeça para conseguir ativá-las durante a relação", diz o terapeuta sexual Tessarioli. Segundo ele, o orgasmo é mais fácil de ser alcançado se a mulher estiver concentrada no sexo. "A mulher sempre parte de uma neutralidade sexual, diferente do homem, que está sempre pensando em sexo", diz o médico sexólogo e terapeuta sexual Amaury Mendes Júnior.

"Além disso, a maioria das mulheres não gosta de se tocar". Tessarioli acredita que os filmes eróticos podem ajudar nisso, servindo como uma espécie de modelo para as que têm dificuldade em se masturbar descobrir como fazê-lo. "O interessante é copiar, como se fosse uma brincadeira, até descobrir o seu jeito". Contos eróticos também são indicados para que as mulheres tenham mais referências sexuais.

Musculação íntima

Um exercício simples como o de interromper o xixi por alguns momentos pode ajudar as mulheres a ter mais consciência do corpo. "Se a mulher percebe sua vagina, chega ao orgasmo", diz o terapeuta sexual Paulo Geraldo Tessarioli. Vale treinar também o pompoarismo, técnica em que os músculos da região vaginal são contraídos e relaxados. "O exercício é ótimo para ajudar a ter uma lubrificação melhor", diz Fátima. Para aprender, a técnica veja o infográfico que UOL Comportamento preparou clicando aqui.

Brinquedos

Pare de torcer o nariz para produtos eróticos e os tenha como aliados. "Se a mulher tem muita dificuldade em se tocar, o vibrador pode ajudá-la", diz o terapeuta sexual Tessarioli (confira modelos aqui). Ele indica o bullet, uma espécie de cápsula vibratória, para aquelas que querem se iniciar no mundo dos brinquedinhos. "Se colocá-lo em cima da vulva, a mulher vai perceber as partes mais estimuladas pela vibração, o que irá auxiliá-la a descobrir como chegar lá", diz o terapeuta. A personal sex trainer Fátima Moura é do time que defende os acessórios. "Uma dica é usar o butterfly, um massageador do clitóris, enquanto está sendo penetrada”. A sexóloga Patrícia Cardoso também acredita que novidades do mercado erótico podem ajudar a quebrar a rotina, mas lembra que é indispensável conversar com o parceiro antes. "Qualquer desaprovação na hora H pode quebrar o clima", diz ela.

Não se compare com as amigas

Quando dizem que as mulheres compartilham tudo com as amigas, não é mentira. Vale contar sobre o tamanho do pênis do namorado, a performance, a quantidade de orgasmos... Quando vê, a mulher já está questionando se a sua vida sexual é tão boa quanto a da amiga. "Cada uma tem uma sensação única, nunca vai ser igual a de ninguém", diz a sex trainer Fátima Moura.

É importante saber que cada orgasmo é de um jeito para a mesma pessoa e que a intensidade pode variar de relação para relação. Lembre-se também de não levar tudo o que se ouve muito a sério. "O discurso é que todo mundo gosta muito e faz sexo muito bem, mas não é verdade", diz Paulo Geraldo Tessarioli. "Vivemos a ditadura do orgasmo. É como se para ser feliz você devesse fazer sexo ao menos toda semana e sempre chegar ao orgasmo. Às vezes, o meio de campo é muito melhor do que o final".

Use lubrificante

A lubrificação começa no fundo da vagina, explica o terapeuta sexual Paulo Geraldo Tessarioli. "A mulher pode estar excitada e com o fundo lubrificado, mas a entrada do canal vaginal ainda não, o que causa desconforto e até dor". E aí começa o problema. Com o incômodo, a empolgação pode diminuir e a lubrificação que começava a surgir pode cessar. E volta tudo à estaca zero. O segredo é ter o lubrificante sempre à mão, seja para usá-lo no começo da relação sexual ou durante, se perceber que a lubrificação foi reduzida.

Fique em posições de comando

Ficar por cima ou em posições nas quais você consegue controlar mais o ritmo e a intensidade da relação sexual aumentam o prazer e, consequentemente, as chances de se chegar ao orgasmo. "O atrito no clitóris ou o toque do parceiro no local durante o sexo também são essenciais", diz a personal sex trainer Fátima Moura. UOL Comportamento preparou um infográfico para quem tem dificuldades no sexo. Uma delas, a de chegar ao orgasmo. Clique aqui e navegue para ter dicas de posições que ajudam homens e mulheres a ter prazer.

Inove nos ambientes

Você chega em casa do trabalho e tem uma pilha de louça para lavar, ninguém ajudou com o jantar e seu parceiro está lá no sofá, com as pernas esticadas para cima. Difícil rolar sexo nesse ambiente? "Sair dessa casa tão conhecida e cheia de obrigações pode ser extremamente excitante", diz o terapeuta sexual Tessarioli. Permitir-se passar um fim de semana romântico ou até mesmo uma ida ao motel podem despertar aquele clima de lua de mel e dar outros ânimos ao sexo. Mas para o dia a dia também há solução: mudar de espaços dentro da própria casa. "Fazer sexo sempre na cama pode não ser um problema para o homem, mas a mudança para locais como banheiro, sala ou área de serviço pode ajudar a mulher a se entregar mais", diz Tessarioli. Criar um clima estimulante para você também é essencial. "A mulher pode deixar uma meia luz com velas aromatizadas, algo que permita que ela se encontre no ambiente e ative seus sentidos", diz a personal sex trainer Fátima Moura.

Aproveite o período de ovulação

O período que vem cerca de 15 dias antes da menstruação é aquele em que a mulher mais está no pique para o sexo. "Há um pico de testosterona que deixa a mulher com muito mais tesão do que nas outras épocas”, diz o sexólogo Amaury Mendes Júnior. "A natureza é sábia. É mais fácil conseguir o orgasmo nesse período, mas o risco de engravidar é muito maior", diz o sexólogo.

Leia esta matéria com ele

Quer conversar com o parceiro para melhorar o sexo e não sabe como começar o papo? "Diga que leu uma reportagem sobre o assunto e mostre para ver o que ele acha”, diz a personal sex trainer Fátima Moura. “É um jeito de chegar ao assunto numa boa”. Conversar sobre preferências e insatisfações é essencial para relacionamentos fixos. E nem os casuais dispensam pistas. "Se a transa for com alguém novo, diga as carícias e fantasias que mais gosta”, diz a sexóloga Patrícia Cardoso. “Se for um parceiro estável, tente descobrir algo novo".

topo