Comportamento

Pesquisa mostra que não é possível detectar mentiras com base no movimento dos olhos

Thinkstock
Cientistas britânicos descobriram que não existe um padrão de movimento dos olhos que revele a mentira imagem: Thinkstock

Anahad O'connor

New York Times Syndicate

De acordo com uma antiga teoria sobre linguagem corporal, é fácil descobrir quando alguém está mentindo. Quando os destros movimentam os olhos para cima e para a esquerda ao responder a uma pergunta, eles estão descrevendo uma recordação real. Quando dirigem o olhar para cima e para a direita, segundo a teoria, eles estão acessando os centros cerebrais de criatividade e visualizando um evento imaginado – e, portanto, inventando a mentira.

A teoria dos anos 1970 é largamente reproduzida e ensinada com frequência em treinamentos de neurolinguística. Contudo, a teoria nunca foi totalmente comprovada e a nova pesquisa sugere que ela não passa de pseudociência.

Em um estudo controlado, publicado no "PLos One", pesquisadores britânicos monitoraram o movimento dos olhos de 32 pessoas destras enquanto elas contavam a um entrevistador mentiras e verdades sobre fatos recentes. Os cientistas descobriram que não existia um padrão de movimento dos olhos que revelasse a mentira.

Num segundo experimento, foi pedido a 50 pessoas que procurassem por sinais de mentira entre entrevistados. Embora metade do grupo tenha sido instruída a procurar pelo movimento dos olhos, ela não se saiu melhor em detectar a mentira do que o grupo de controle destreinado.

Mas o que dizer de situações mais sérias da vida real? Para responder a essa pergunta, os pesquisadores examinaram vídeos de arquivo de noticiários de 52 pessoas fazendo apelos públicos pelo retorno a salvo de um parente desaparecido.

Tempos depois, comprovou-se que metade estava mentindo. Os pesquisadores não descobriram evidências de que o movimento dos olhos revelasse mentiras ou verdades.

A conclusão é que a pesquisa sugere que não é possível detectar mentiras com base no movimento dos olhos.
 

Topo