Vida no trabalho

Querem puxar seu tapete? Saiba lidar com colegas de trabalho competitivos demais

Orlando/UOL
Para que a competição seja saudável, é preciso ter regras para promoção e atingimento de metas imagem: Orlando/UOL

Andrezza Czech

Do UOL, em São Paulo

Você acabou de defender aquela sua ideia incrível na frente de todos e estava a um passo de ter seu projeto aprovado pelo chefe quando, de repente, um colega decide criticar sua proposta. Como agir? Essa é uma das situações mais frequentes quando se tem colegas competitivos demais na equipe –aqueles que, a qualquer momento, podem puxar o seu tapete. “É impossível a competição não aparecer no mercado de trabalho, mas ela precisa ser saudável”, diz Roberto Picino, diretor-executivo da Page Personnel, empresa especializada em recrutamento.

Para que isso aconteça, especialistas acreditam que regras devem ser estabelecidas. “Quando há normas para promoção, metas para atingir e resultados para entregar, a competição se torna saudável. Mas raras são as empresas que têm uma ferramenta de avaliação de desempenho dessa forma”, diz a coach Daniela do Lago, mestre em comportamento organizacional. Quando os critérios não são claros, os funcionários competitivos demais veem uma oportunidade para tentar desestabilizar e prejudicar colegas que consideram uma ameaça a eles. “A competição fica ferrenha quando ocorre por causa de um nível hierárquico. Nem todo mundo tem o bom senso de não fazer aos outros o que não gostaria que fizessem com ele”, diz Daniela. “Tem gente que compete até porque o chefe elogiou o trabalho de outro, e não o dele”.

Para Mike Martins, diretor-executivo da Sociedade Latino Americana de Coaching (SLAC), a competição pode ser prejudicial quando passa dos limites. “É perigoso quando a pessoa prejudica seus colegas, seus clientes e até a própria saúde. Ser altamente competitivo é nocivo quando isso toma horas da sua vida e compromete a vida pessoal”, diz ele.

O UOL Comportamento conversou com especialistas para entender como lidar com as atitudes mais frequentes –e prejudiciais– que os colegas competitivos tomam ao tentar puxar seu tapete.

Topo