Vida no trabalho

Sete atitudes tornam você mais atraente para o mercado de trabalho

Thinkstock
Ter uma rede de contatos está entre as atitudes que podem te fazer ser desejado pelo mercado imagem: Thinkstock

Andrezza Czech

Do UOL, em São Paulo

Eles sempre são chamados para novos empregos, recebem propostas para bons cargos e nas melhores empresas. As oportunidades parecem cair do céu para alguns colegas de trabalho. Mas será mesmo que não há nada a fazer para ser desejado pelo mercado? O UOL Comportamento conversou com especialistas para entender quais atitudes podemos tomar para receber convites de emprego.

1. Saiba exatamente o que você quer
É consenso entre os especialistas: antes de qualquer coisa, você precisa saber exatamente o que deseja. Conhecer-se muito bem, a ponto de identificar seus pontos fortes e fracos e saber utilizá-los a seu favor, é fundamental para conseguir propostas no mercado de trabalho, segundo o especialista em desenvolvimento profissional e gestão de pessoas Renato Grinberg, autor de "A Estratégia do Olho de Tigre" (Ed. Gente). É importante ter um objetivo claro de onde você deseja trabalhar e traçar metas. "Quando um profissional conversa com um possível empregador, seus objetivos devem ficar claros", diz Grinberg. Para a coach Daniela do Lago, mestre em comportamento organizacional, se você não sabe exatamente o que quer e deixa isso transparecer para alguém que pode te ajudar profissionalmente, provavelmente perderá a oportunidade. 

2. Atualize-se sempre
Além de contar pontos para seu currículo, fazer cursos, participar de palestras, fóruns e seminários pode ampliar sua rede de contatos. “São nesses locais em que os ‘headhunters’ aparecem, na hora do café”, diz Daniela do Lago. “Essa é a hora de aproveitar para entregar o cartão, dizer com o que trabalha e conversar com eles. Não aproveite o café para comer, concentre-se em bater papo”, afirma.

3. Tenha o cartão de visitas e o currículo atualizado
O currículo deve estar sempre atualizado, para que você possa repassá-lo o mais rápido possível quando lhe for solicitado. O cartão de visitas tem de estar sempre à mão. Nunca se sabe quando você encontrará alguém importante para a sua vida profissional. Para Fábio Cunha, gerente da Michael Page, empresa de consultoria especializada em recrutamento, um bom currículo deve ter todas as melhores realizações do profissional e quais resultados elas trouxeram para a empresa. "Você não está escrevendo um livro, o consultor quer apenas saber o que de melhor você fez", diz Cunha. Seja o mais objetivo possível: se couber em duas páginas, ótimo. Se você já estiver em um cargo de gestão, três páginas também são aceitáveis.

4. Tenha as atitudes certas no seu emprego atual
No seu ambiente de trabalho, saiba agir com dedicação acima da média e certa dose de resiliência. Para Grinberg, é preciso ter inteligência emocional e saber controlar os instintos no mundo corporativo. "Você faz um projeto, trabalha dez horas por dia e, no fim, não precisam mais dele? Tenha paciência", diz ele. Além de saber a hora de engolir sapos no trabalho, mantenha a postura profissional. Não adianta ser eficiente se você passa o dia reclamando. É fundamental cativar seus colegas. Amanhã um deles pode mudar de empresa e te levar com ele.

5. Use as redes sociais a seu favor
Segundo Fábio Cunha, a maioria das empresas de recrutamento utiliza as redes para buscar mais informações sobre seus profissionais. “Ter um contato ativo com pessoas do meio é importante para que seu perfil seja lembrado”, diz ele. O LinkedIn pode ser útil para todos os níveis hierárquicos, segundo ele. Mas, se seu perfil for muito semelhante ao de outros profissionais, será difícil se destacar. Quanto maiores as particularidades, melhor. 

6. Cheque seu valor no mercado
Para a coach Daniela do Lago, você não precisa estar a fim de mudar de emprego para distribuir seu currículo. Se está feliz com a empresa, pode usar a estratégia para checar sua avaliação pelo mercado. Se você receber muitas propostas, vale negociar um aumento na empresa atual. Se ninguém responder, é sinal de que você precisa mudar algumas coisas no currículo ou correr atrás de uma atualização.

Para cargos que vão de estagiário a coordenador, o normal é ter algum retorno em até três meses –para cargos de direção, é possível que o retorno demore mais, segundo Daniela. Se ninguém te contatar, converse com pessoas da mesma área e de cargos compatíveis para entender que tipo de especialização esse funcionário tem.

É natural sentir medo de que o chefe descubra que você está enviando seu currículo por aí e interprete isso como insatisfação –e é importante ser discreto e escolher bem para quem você enviará o currículo. Mas, para Daniela, isso não deve ser encarado como traição. "Você assinou o contrato com a instituição, e não com uma pessoa. Você doa seu talento, tempo, ideias e outros pontos fortes em troca de dinheiro e benefícios. Se amanhã vier outro profissional mais qualificado para ganhar o mesmo ou se a empresa tiver alguma dificuldade, você será mandado embora", afirma. 

7. Faça novos contatos e mantenha os antigos
É importante manter contato com consultores de recursos humanos ou de recrutamento de mercado. Candidatando-se, mesmo que você não esteja procurando oportunidades, eles já têm seu perfil em mente. Para Renato Grinberg, ao mapear contatos que possam ser interessantes para você, vale conhecer até amigos de outras pessoas, pedir dicas a familiares e ir atrás de profissionais no LinkedIn. Mas seja educado. "Jamais peça nada de cara. Diga que gostaria de entender mais sobre a profissão dele e tirar dúvidas”, diz Grinberg.

É igualmente essencial manter os contatos antigos, com colegas de faculdade, da pós-graduação ou de empresas pelas quais você já passou. “A melhor maneira para que eles te indiquem para uma vaga é você também indicá-los”, diz Cunha. Se você conhecer um assunto específico e mostrar isso às pessoas, elas podem te enxergar como referência e você ser lembrando quando surgir uma oportunidade. Para Grinberg, a manutenção dos contatos pode ser feita de uma maneira simples: basta enviar e-mails com artigos que possam ser relevantes para o trabalho dessa pessoa e, sempre que possível, agendar um café ou almoço. “Investir tempo e deixar uma imagem positiva pode abrir portas que você nem imagina”, diz ele.

Topo