Vida no trabalho

Assumir responsabilidades além do seu cargo é uma maneira de ser promovido?

Thinkstock
Especialistas acreditam que assumir responsabilidades além das suas é um equívoco imagem: Thinkstock

Katia Abreu

Do UOL, em São Paulo

Na ânsia de crescer na empresa, alguns profissionais passam a assumir tarefas de posições acima da sua em seus trabalhos. A estratégia pode ajudar a chamar atenção para suas competências e disponibilidade para novos desafios, mas é preciso ficar atento para não cair em armadilhas. "É importante demonstrar para a liderança que se está disponível e disposto a assumir novas responsabilidades, mas é preciso ver se você vai dar conta", diz Tania Casado, professora da área de recursos humanos e gestão de pessoas da FEA-USP (Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo).

O comprometimento da qualidade do trabalho é a principal preocupação que um profissional deve ter em mente. Caroline Marcon, gerente de consultoria do Hay Group, empresa especializada em gestão de negócios e lideranças, acredita que assumir responsabilidades além das suas é um equívoco. "Isso pode gerar acúmulo de trabalho desnecessário. A questão é entender o seguinte: o que uma pessoa que está no meu nível faz de diferente do que eu faço? Não é fazer mais, é fazer diferente e melhor", diz Caroline.

Para Ana Christina Buchaim, superintendente de recursos humanos do Banco Santander, a capacidade de tomar decisões e se adaptar a novas situações, o pensamento estratégico, a velocidade de aprendizagem e a forma como o funcionário se relaciona com outras pessoas no ambiente de trabalho são características mais relevantes para ascender na carreira. "Quando avalio um candidato, não estou preocupada se ele acumula atividades diferentes das que ele deve fazer, mas, sim, com a capacidade dele de entrega na posição atual", afirma.

 

Segundo a economista e professora do Ibmec (Instituto Brasileiro de Mercados e Capitais) Lucia Oliveira, a atitude é estimulada em algumas empresas. “Alguns gestores, antes da decisão da promoção, atribuem novas responsabilidades para aquela pessoa que imagina que tenha capacidade de subir, para testar na prática se ela tem competência para isso".

Caroline acredita que uma mudança de comportamento mais abrangente é um caminho mais acertado para atrair atenção. "Isso não significa trabalhar mais. Às vezes, é justamente o contrário. É saber dizer não, é saber delegar, é ter objetividade ao lidar com as outras pessoas, é construir parcerias e trabalhar junto de uma maneira mais eficaz", afirma ela. "Se você conseguir demonstrar que está entregando as tarefas e metas num nível diferente, a promoção vai ser natural. Mas não tem nada a ver com se escravizar".

Tânia acredita que algumas organizações e lideranças se aproveitam da disponibilidade do funcionário. "O profissional tem que estar atento com quem está lidando. Não pode se deixar explorar. É claro que as pessoas precisam de seus empregos, mas elas devem aprender como se articular para sair dessas armadilhas e procurar alternativas".

Frustração

Um problema decorrente de se assumir mais responsabilidades em busca de uma promoção é a frustração caso o objetivo não seja alcançado. "É preciso analisar se foi uma questão estrutural ou se você realmente foi preterido por outro. É importante conversar e entender o motivo pelo qual não lhe foi dada essa oportunidade. Não adianta ficar frustrado sozinho", diz Lucia.

 

Topo