Equilíbrio

Combata o medo de viajar sozinho e curta as férias com você mesmo

Thinkstock
Ideias simples deixam a viagem mais segura e ajudam a combater o receio de viajar. Você tem alguma sugestão? Use o campo de comentários desta página para dividi-la com os internautas do UOL imagem: Thinkstock

Rita Trevisan

Do UOL, em São Paulo

As férias estão aí e, para aproveitá-las bem, nada como viajar. Para uma cidade vizinha ou para o exterior, não importa. Fundamental é mudar de ares. Porém, o que fazer quando não se encontra companhia para a aventura e um friozinho na espinha surge sempre que se cogita a ideia de viajar só? A resposta dos especialistas é: enfrentar o medo, gradualmente, é a melhor forma de impedir que ele continue empatando a sua vida.

"Para algumas pessoas, viajar sozinho representa um risco, geralmente baseado em algum trauma ou em pensamentos catastróficos. Mas a melhor maneira de lidar com isso é descobrir qual é a raiz da fantasia que sustenta o medo para, em seguida, corrigir esses pensamentos distorcidos", explica o psicólogo Marcelo Quirino. E adivinha uma boa maneira de fazer isso? Viajando.

Quando passamos pela experiência de viajar sós, conseguimos clarear ideias erradas que anteriormente alimentávamos sobre os passeios sem companhia. Trocando em miúdos: descobrimos que não se trata de nenhum bicho de sete cabeças e aprendemos a curtir a experiência.

Mas é preciso ir aos poucos, para não correr o risco de se dar mal e, assim, gerar uma insegurança ainda maior. "Quem nunca saiu sozinho deve ir a um lugar mais próximo de sua casa, onde será mais fácil pedir assistência, se necessário. Outra dica é começar fazendo passeios organizados por empresas, que cuidam do itinerário, pensando em todos os detalhes, o que diminui muito as chances de imprevistos", diz Quirino. Com o tempo, é natural sentir-se mais confiante para ir além e fazer o seu próprio roteiro.
 

Quem consegue vencer o medo colhe os bons frutos. "De vez em quando, precisamos passar um tempo de qualidade com nós mesmos. E o mais legal de viajar sozinho é acordar de manhã e pensar: ‘eu estou com vontade de fazer o que hoje?”, afirma a jornalista e blogueira Mari Campos, autora do livro "Sozinha Mundo Afora: Dicas para Sair Pelo Mundo" (Verus Editora).

E para os que tremem de medo só de pensar em solidão, ela garante que as viagens solo não são uma ameaça. "Quando viajamos sozinhos, estamos mais abertos: interagimos mais com os moradores locais, com os turistas que estão na mesma condição e fazemos amigos na estrada com mais facilidade do que se estivéssemos acompanhados. Na prática, só fica sozinho quem quer", diz.

Riscos existem

É evidente que alguns riscos existem nas viagens. A maioria tem a ver com a questão da segurança. Porém, os cuidados para evitar problemas não são muito diferentes para quem viaja sozinho ou em turma. Em linhas gerais, é preciso evitar lugares desconhecidos, principalmente à noite, e zelar pelas suas bagagens e documentos. "Viajar sozinho não é em nada mais perigoso do que viajar acompanhado. Estamos sujeitos aos mesmos imprevistos e incidentes. Só não temos mesmo com quem dividir as responsabilidades, temos de tomar conta de tudo o tempo todo", diz Mari.  


Confira dicas para garantir a sua diversão e segurança viajando sozinho:

- Para as pessoas que vão viajar sozinhas pela primeira vez, as grandes cidades são sempre mais fáceis de desbravar: estão bem preparadas para o turismo, possuem maior oferta de atividades, sistema de transporte mais eficiente etc. Exemplos: São Paulo, Buenos Aires, Santiago, Londres, Paris, Nova York, Lisboa e Roma.

- Cidades universitárias também são boas pedidas: menores, mais simples de serem exploradas, mais baratas e, em geral, com bastante infraestrutura. No exterior, Salamanca, Oxford e Montpellier são boas sugestões. "Para pessoas muito inseguras em viajar sozinhas pelo medo da solidão, eu costumo indicar que se aventurem em um cruzeiro: nos barcos, a gente só fica sozinho se fizer muita questão", indica Mari. 

Quer companhia? A internet pode ser bastante útil

Você pode tentar se enturmar com pessoas do seu destino antes mesmo de viajar. As redes sociais permitem contatos prévios com pessoas do lugar e há centenas de grupos de viajantes que se falam no Twitter, Facebook ou em sites como o couchsurfing.com.

O couchsurfing é uma comunidade virtual de viajantes que reúne usuários de todos os lugares do mundo. Muitos recebem turistas em suas próprias casas, outros se habilitam a buscá-los no aeroporto e a fazer um "tour" pela cidade. O trabalho é voluntário.

"O couchsurfing é um ótimo recurso para quem viaja sozinho, porque há membros em vários países, com quem a pessoa pode optar por dividir alguns momentos do seu passeio", diz Annie Fishman, diretora de marketing da Couchsurfing International.
 

- Planeje o máximo possível as suas viagens. Cheque todos os voos com antecedência, as reservas nos hotéis, os passeios etc. Isso vai deixá-lo mais confiante.

- Descubra, online ou no seu círculo de amigos e parentes, gente que já esteve no local para onde você quer ir. "Faça uma entrevista com eles: pergunte como se prepararam, se aconteceu algum imprevisto e como lidaram com ele. Certamente você obterá ótimas dicas", diz Annie.

- Para driblar a solidão, procure, no seu destino, eventos que reúnem pessoas que curtem as mesmas coisas que você. E entre em contato com elas antes mesmo de sair da sua casa. Se gosta de andar de bicicleta, busque grupos de ciclistas pelo mundo e escreva para eles. "Diga que está programando uma viagem e que adoraria pedalar naquela região", diz Annie.

- Participe de caminhadas turísticas gratuitas, oferecidos na maioria das grandes cidades do mundo. Eles são boas para conhecer gente e explorar os pontos turísticos sem temer pela sua segurança. "Como você passa duas horas caminhando pela cidade na companhia de um guia e desconhecidos, ao final do passeio, as pessoas normalmente acabam indo juntas para um bar, um café, uma sorveteria ou onde quer que seja para continuar o papo", conta Mari.

- Se a preocupação é ter de almoçar ou jantar em restaurantes cheios de casais, prefira comer nos cafés ou lanchonetes, que têm ambientes muito mais informais e estão sempre cheios de pessoas desacompanhadas. Comer no balcão também funciona.

- Leve na mala a sua parafernália eletrônica: notebook, netbook, tablet ou smartphone. Assim dá para ter "companhia" o tempo todo, em qualquer lugar, na hora em que você quiser.

- O básico da segurança vale aqui ou em qualquer lugar do mundo: segurar bem a bolsa, não colocar carteira no bolso de trás, não ostentar joias ou equipamentos caros no meio da rua, só caminhar por onde haja movimento e boa iluminação, de preferência informando-se sobre o itinerário antes.

- Deixe um familiar ou amigo sempre avisado do seu roteiro, mesmo que dê apenas um "oi" pelo Facebook a cada dois ou três dias. Assim, se você ficar sem dar notícias por mais tempo, ele procurará você.

- Não coloque todos os documentos e o dinheiro em um lugar só. Guarde passaporte no bolso interno da blusa, um cartão no bolso da calça e outro na carteira e assim por diante. Assim, se for roubado, provavelmente ainda terá algo para comprovar quem você é e para se virar nas horas seguintes. "Tenha cópias do passaporte, das passagens e dos tíquetes que comprou, em locais diferentes dos originais. Assim, se você for roubado, terá os números com você, o que já ajuda", ensina Annie.

- Números de emergência também devem estar sempre à mão: um cartão do hotel, da empresa de táxi que opera na região, o telefone da embaixada e o da operadora do seu cartão de crédito, caso seja necessário fazer o cancelamento.

- Por fim, para viajar mais tranquilamente, informe-se sobre um hospital de referência no seu destino, onde possa ter atendimento caso precise.

Topo