Sexo

Veja cinco atitudes que a mulher não deve ter quando o homem "falha"

André Rocca/UOL
Rir ou tentar travar uma conversa sobre as causas da impotência estão entre as reações ruins imagem: André Rocca/UOL

Cristina Castro

Do UOL, em Belo Horizonte

A disfunção erétil ocasional pode acontecer com qualquer um e pelos mais variados motivos. Cansaço, preocupação, bebida em excesso, ansiedade, estresse, nervosismo e o uso de alguns medicamentos que inibem a ereção são algumas das causas para as "falhas" na cama. 

Até mesmo o excesso de tesão pode acabar levando o homem a brochar: "A mulher tende a interpretar que ela não foi boa suficiente para o parceiro. Mas, muitas vezes, os homens podem pensar o oposto: que ela é 'tão mulher' para ele, que ele não daria conta na cama. Com isso, ele fica ansioso demais para satisfazê-la sexualmente e tem uma falha de ereção", explica Karina Simões, que é psicóloga clínica cognitivo-comportamental, especializada em orientação e educação sexual e em disfunções sexuais e seus tratamentos.
 
Seja qual for o motivo, a consequência deixa os homens muito sensíveis. "Essa é uma das questões mais fortes com relação à virilidade masculina. Para eles, é muito sério sentir que está sendo criticado nesse aspecto. E, quando a gente pensa em um relacionamento para se investir a longo prazo, é fundamental ser cuidadoso", diz a terapeuta sexual Arlete Gavranic, membro da Sbrash (Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana) e coordenadora de pós-graduação do Isexp (Instituto Brasileiro Interdisciplinar de Sexologia e Medicina Psicossomática).

Posições que ajudam a superar obstáculos que atrapalham o sexo

  • Clique na imagem para navegar pelo infográfico (conteúdo indisponível para dispositivos móveis)

As especialistas alertam que os homens que se sentirem pouco acolhidos e recriminados nessas horas, pensando serem fracos ou impotentes, podem acabar desenvolvendo disfunções sexuais mais graves e, em alguns casos, quadros psíquicos como a depressão.
Por isso, todo cuidado é pouco. Se você também fica sem graça e não sabe como agir nessas horas, comece aprendendo o que não fazer:

1. Não se irrite

 
É comum as mulheres se irritem, pois acreditam que o problema é com elas. Questionam se o parceiro está pensando em outra, se ela não é boa o suficiente para ele, se tem uma amante etc. Algumas chegam ao extremo de xingar o parceiro. "Com essa atitude, a chance de a disfunção se reverter é muito mais difícil", diz Arlete. Pior: um problema eventual pode passar a ser constante ou causar uma briga séria entre o casal.

2. Jamais faça comparações

 
O velho "isso nunca me aconteceu", que muitos homens dizem nessas horas, também é usado pelas mulheres. "Nunca brocharam comigo antes", dizem algumas. "Isso é um balde de pedras de gelo", diz Arlete. "A comparação nessa hora é a pior saída, porque homens detestam ser comparados, principalmente no âmbito sexual", diz Karina Simões. Além disso, pode gerar ciúme e comprometer futuras relações sexuais.
 

3. Abandonar a cama

 
"A parceria nesse momento é fundamental", afirma Karina. Por isso, também não é a hora de sair da cama e deixá-lo lá, sozinho, sem demonstrar cumplicidade. Fique ao lado dele e seja carinhosa, para que ele não se sinta rejeitado e ainda mais constrangido. 

Como explorar melhor os pontos erógenos do homem e da mulher

  • Clique na imagem para navegar pelo infográfico (conteúdo indisponível para dispositivos móveis)

 

4. Travar uma conversa sobre impotência sexual

 
A menos que seja uma falha frequente ou que o próprio parceiro levante o assunto, não é indicado aproveitar o momento para falar sobre tratamento para disfunção erétil. Karina e Arlete ponderam que, se for mesmo um problema frequente, vale conversar abertamente sobre um tratamento, de preferência já no dia seguinte. Boa parte das disfunções eréteis tem causa psicológica e cura.
 

5. Insistir em uma nova tentativa

 
Tem mulher que fica cobrando do parceiro para que ele fique tentando até conseguir ter uma ereção imediatamente. Dependendo do motivo que levou a "falhar", não faz sentido a insistência e ela só vai levar o parceiro a mais ansiedade e nervosismo. Por isso, Arlete recomenda a não forçar a barra.
 

O que fazer, então?

 
O melhor é continuar namorando, fazer carinhos e deixá-lo se sentir acolhido e sabendo que isso acontece com todo mundo. Se o motivo for cansaço ou bebedeira, vale sugerir repouso, dizer para irem dormir, agindo com naturalidade. Se perceber que o parceiro ainda está com vontade de transar, apesar da "falha", vale conversar sobre sexo, perguntar sobre as fantasias dele, tentar acendê-lo e incentivá-lo com carinhos –mas sempre sem pressioná-lo.
Topo