Comportamento

Férias transformadoras: conheça dez destinos que podem mudar a vida

Divulgação/Parmath
Hospedar-se em um ashram na Índia para praticar meditação é uma das alternativas imagem: Divulgação/Parmath

Marina Oliveira e Rita Trevisan

do UOL, São Paulo

Explorar lugares novos, encontrar pessoas interessantes e conhecer uma cultura completamente diferente é o que motiva a maioria das pessoas a fazer as malas e desbravar outros cantos do planeta. Afinal, viajar não só é uma atividade altamente relaxante, mas também uma maneira de enxergar a pluralidade do mundo em que vivemos. Alguns destinos podem inspirar mudanças mais profundas, seja pelo caráter voluntário atribuído à viagem, pelo misticismo do destino, por suas paisagens naturais ou pelas riquezas culturais do percurso. A seguir, você conhece uma seleção de lugares que, pela força das experiências que proporcionam, podem mudar a sua maneira de ver e viver a vida.

Percorrer o caminho de Santiago, na Espanha
Os cristãos começaram a fazer esse trajeto por volta do ano 845 para chegar à sepultura de São Tiago Maior, um dos doze apóstolos de Jesus, cujos restos mortais estão guardados na Catedral de Santiago de Compostela, na região da Galícia, na Espanha. Hoje, porém, mesmo quem não é católico percorre o mesmo caminho com a proposta de aflorar a espiritualidade. Ao longo da estrada, medita-se ou reza-se, conforme suas crenças e, mais importante, faz-se uma retrospectiva da própria vida. É também um deleite para os olhos, com paisagens naturais de tirar o fôlego, além de igrejas e monumentos históricos do século IX. Apesar do nome, a verdade é que há muitas rotas que levam a Santiago de Compostela. A mais conhecida é o Caminho Francês, que parte de Saint-Jean-Pied-de-Port, cidade francesa situada próxima à fronteira com a Espanha. De lá até o destino final são quase 800 km que, quando percorridos a pé, resultam numa caminhada desafiadora, com duração média de 30 dias. 
Quanto custa: de acordo com a Associação de Confrades e Amigos do Caminho de Santiago de Compostela de São Paulo, o trajeto custa entre R$ 80 e R$ 130 por dia, em valores convertidos, somando os custos de hospedagem em albergue e alimentação. O maior gasto, no entento, é com as passagens aéreas até o início do caminho e volta para o país de origem. Mais informações: Associação de Confrades e Amigos do Caminho de Santiago de Compostela | Preço pesquisado em maio de 2013 e sujeito a alteração. 
 
Deslumbrar-se com o Monte Everest, no Nepal
Assim como o Rio de Janeiro automaticamente remete à imagem do Cristo Redentor, falar deste país situado entre a China e a Índia é também lembrar o Monte Everest. Apesar de estar localizada na fronteira entre com o Tibete, a montanha mais alta do mundo tem sua história totalmente ligada aos nepaleses. Assim, além dos aventureiros e montanhistas do mundo inteiro, o país é também um destino muito procurado por espiritualistas, já que há templos hindus e budistas espalhados pelas três principais cidades que formam o Vale Katmandu: a capital Katmandu, Patan e Bakhtapur. Na primeira está a estupa Swayambhu, uma das mais reverenciadas do mundo budista. Lumbini, distrito ao sul do país, é a terra natal de Siddhartha Gautama, o Buda, outra atração imperdível para os admiradores da religião. 
Quanto custa: A Venturas oferece pacotes de dez dias no Nepal, em apartamento duplo, a partir de R$ 3.320 por pessoa em valor convertido. As passagens aéreas de ida e volta do destino são calculadas à parte. Mais informações: Venturas | Preço pesquisado em maio de 2013 e sujeito a alteração. 
 
Hospedar-se num ashram, na Índia
Também conhecido como retiro espiritual, um ashram é um lugar para evoluir o espírito e esvaziar a mente por meio da oração, do contato com a natureza e da prática de ioga e meditação. Indianos são maioria nestes locais, mas nos que permitem a entrada de estrangeiros é possível encontrar pessoas do mundo inteiro em busca da paz interior, como descrito pela autora americana Elisabeth Gilbert em “Comer, Rezar e Amar” (Editora Objetiva). As instalações geralmente são simples: em alguns não há nem água quente! Mas as boas energias e a natureza ao redor compensam. Em Rishikesh, a cidade conhecida como a capital mundial da ioga, há muitos ashrans e o diferencial é poder admirar um rio Ganges limpo, já que a cidade fica próxima à nascente. 
Quanto custa: Umas das opções de ashrans em Rishikesh é o Parmarth Niketan, que não cobra pela hospedagem dos visitantes, mas aceita doações em dinheiro pelos serviços oferecidos. Para um quarto duplo, a sugestão é que se pague R$ 20 reais por dia, por pessoa (valor convertido). Mais informações: Parmarth | Preço pesquisado em maio de 2013 e sujeito a alteração. 
 
Ser voluntário, no México
Em vez de simplesmente conhecer as atrações deste país, você pode trabalhar como voluntário e viver uma experiência pessoal incomparável. O VIP (Volunteers for International Partnership) é um programa operado por organizações sem fins lucrativos, com o objetivo de ajudar sociedades desprivilegiadas. No estado de Oaxaca, no México, é possível trabalhar em projetos para a recuperação de culturas tradicionais ou voltados para o ecoturismo. Já nas regiões de Yucatán, Veracruz e Chiapas, é possível colaborar com a profissionalização de mulheres indígenas marginalizadas.
Quanto custa: O programa de quatro semanas custa R$ 3.210, sem as passagens aéreas. Mais informações: Experimento | Preço pesquisado em maio de 2013 e sujeito a alteração.
 
 
Conhecer um povo feliz, no Butão
Os habitantes do país asiático, localizado entre a China e Índia e perto do Nepal, estão entre os dez mais felizes do mundo, segundo uma pesquisa da Universidade de Leicester, no Reino Unido. Ser feliz é assunto tão sério por lá que há uma política pública chamada Gross National Happinness (Felicidade Interna Bruta, em tradução livre), criada pelo quarto rei do Butão. De acordo com este conceito, o estado se responsabiliza por prover as condições necessárias para que a população possa se concentrar na busca pela felicidade, por meio dos ensinamentos do budismo. Os butaneses vivem em completa harmonia com a natureza e fazem questão de preservar a própria cultura e tradições. Para entrar lá, é preciso pagar uma taxa diária, medida que garante o controle do número de turistas por ano. A ideia é garantir a conservação das florestas, vales, montanhas e o modo de vida da população. 
Quanto custa: A Adventure Club oferece um pacote de seis dias no Butão, em acomodação dupla, por um valor a partir de R$ 3.340 por pessoa (valor convertido). As passagens aéreas de ida e volta são vendidas à parte. Mais informações: Adventure Club | Preço pesquisado em maio de 2013 e sujeito a alteração. 
 
 
Se perder em templos religiosos, no Camboja
Neste país asiático fica o maior monumento religioso do mundo, Angkor Wat, que foi construído para ser um santuário hinduísta, mas transformou-se em um templo budista dos mais venerados. Ainda hoje, não há monge que não queira conhecer o local; aliás, basta pisar no destino para verificar que eles estão por toda parte com suas vestes laranja. Angkor Wat está dentro de um complexo com mais de cem templos budistas e hinduístas, espalhados em uma área de 150 quilômetros quadrados. O Camboja se abriu recentemente ao turismo e já caiu nas graças dos estrangeiros graças às paisagens naturais, às ruínas cheias de história e ao seu povo extremamente gentil.
Quanto custa: A Terra Mundi oferece um roteiro de 19 dias que passa por Laos, Vietnã e Camboja. A acomodação em apartamento duplo custa a partir de R$ 9.000 por pessoa (valor convertido) e as passagens aéreas são vendidas à parte. Mais informações: Terra Mundi | Preço pesquisado em maio de 2013 e sujeito a alteração. 
 
Surpreender-se com as ruínas de Machu Picchu, no Peru
A cidade atrai milhões de pessoas todos os anos, interessadas em captar vibrações positivas do cenário místico ou explorar as ruínas das construções do século XV, ainda cercadas de muitos mistérios. Para chegar até lá, saindo de Cusco, é preciso pegar um trem ou fazer o trajeto conhecido como Trilha Inca a pé. Nesta última opção, as reservas devem ser feitas com operadores locais, com pelo menos quatro meses de antecedência, já que há um limite de 500 pessoas por dia. No total, são quatro dias de caminhada numa antiga estrada pavimentada com pedras, que atravessa algumas montanhas da cordilheira dos Andes e chega até Machu Picchu. Devido à rápida degradação do sítio arqueológico, a entrada na cidade também é controlada e necessita de reserva antecipada. 
Quanto custa: A CVC tem um roteiro de cinco dias que custa a partir de R$ 1.716 por pessoa (valor convertido) e inclui transporte aéreo e quatro noites de hospedagem em apartamento duplo. Há pequenas variações de preço dependendo do destino de saída e retorno. Mais informações: CVC | Preço pesquisado em maio de 2013 e sujeito a alteração. 
 
 
Isolar-se na Ilha de Páscoa, no Chile
Em pleno oceano pacífico, este é o local habitado mais isolado do mundo. A Ilha de Páscoa, batizada assim por ter sido descoberta num domingo de Páscoa, localiza-se a 3.700 km da costa da América do Sul. De Santiago até lá são mais de quatro horas e meia de voo. A ilha é famosa pelos moais, aquelas esculturas em pedra vulcânica gigantes espalhadas pelo território e intrigam pesquisadores até hoje, já que não se sabe ao certo como foram construídos ou se foram transportados para lá. Além da sensação de isolamento, quem visita a ilha contempla paisagens arrebatadoras e tem a possibilidade de explorar trilhas entre o mar e o relevo vulcânico de bicicleta, a cavalo, a pé ou mesmo em excursões. 
Quanto custa: A ADVtour tem um pacote de 4 noites de hospedagem na Ilha de Páscoa, em apartamento duplo, com custo a partir de R$ 3.336 por pessoa (valor convertido). O valor já inclui as passagens aéreas, mas há pequenas variações dependendo do destino de saída e retorno. Mais informações: ADV Tour | Preço pesquisado em maio de 2013 e sujeito a alteração. 
 
Ver pirâmides, no Egito
O país é fascinante pela história, pelos monumentos e pelo poderoso rio Nilo. É uma terra de mistérios e superstições que abriga uma das Sete Maravilhas da Antiguidade, as pirâmides de Gizé. A cidade do Cairo é a porta de entrada do país e abriga um dos museus mais impressionantes do planeta, o Museu Egípcio, com múmias, sarcófagos e outras preciosidades. O Templo de Hórus, um dos mais belos do Egito Antigo, também atrai curiosos pelas inscrições estampadas nas paredes há séculos. E para os aventureiros, o país oferece mais do que deserto e areia. Na região, encontra-se um dos melhores pontos de mergulho do planeta, com água azul e ampla biodiversidade, em pleno Mar Vermelho. 
Quanto custa: A Calcos Brasil tem um pacote de seis dias no Egito. Em apartamento duplo, o custo do pacote parte de R$ 4.956 por pessoa (valor convertido). O valor já inclui as passagens aéreas, mas há pequenas variações dependendo do destino de saída e retorno. Mais informações: Calcos Brasil | Preço pesquisado em maio de 2013 e sujeito a alteração. 
 

Cuidar de elefantes, na Namíbia

Mais do que visitar este país ao sul do continente africano, é possível trabalhar num dos projetos de cuidados e proteção aos animais. O Desert Elephant, por exemplo, é uma reserva natural para elefantes órfãos. No programa, os voluntários ficam por duas semanas no local, onde estudam, acompanham e cuidam dos mamíferos. É preciso ter no mínimo 18 anos para participar. 
Quanto custa: Para passar duas semanas no projeto, com acomodação e alimentação, é preciso desembolsar cerca de R$ 3.412,50 (valor convertido). As passagens aéreas são vendidas à parte e há pequenas variações dependendo do destino de saída e retorno. Mais informações: CI  | Preço pesquisado em maio de 2013 e sujeito a alteração. 
Topo