Vida no trabalho

Currículo pode ser criativo, mas exageros prejudicam o candidato

Thinkstock
Se o recrutador não compreender seu currículo rapidamente, há grandes chances de ele descartá-lo imagem: Thinkstock

Luciana Mattiussi

Do UOL, em São Paulo


Quem está em busca de uma nova colocação no mercado de trabalho sabe que é preciso se sobressair perante os concorrentes. Investir em um currículo criativo pode ser um importante instrumento de ataque nessa batalha. Mas o excesso de ousadia não é bem visto. Principalmente, se a vaga for para um setor conservador.

"Antes de enviar seu currículo, imagine como você se sentiria se ele fosse lido em voz alta pelo diretor da área, em uma reunião com toda a equipe. Se você ficaria envergonhado, é porque ultrapassou o limite da ousadia para aquele cargo", afirma Ruy Bilton, sócio da consultoria de treinamento e desenvolvimento Atingire.

O excesso de criatividade, segundo Bilton, pode dificultar a seleção. "Muitos candidatos esquecem que se trata de um processo complexo. O conteúdo ou formato pode dificultar o trabalho do recrutador, que muitas vezes simplesmente ignora o candidato", afirma. "Por isso, em praticamente todas as situações, os currículos tradicionais serão melhor recebidos do que os criativos".

Diretora da empresa de recrutamento Mariaca InterSearch, Daniele Riêra concorda que um currículo com estrutura convencional é mais certeiro. Mas ressalta que pequenas mudanças podem ser feitas sem problemas, como a fonte e o papel (se for entregue impresso).

A regra do “menos é mais”, porém, pode ser deixada de lado por quem trabalha com comunicação e artes. "Para um designer, por exemplo, é até melhor ousar na formatação do currículo. Se ele for muito convencional, não vai pegar bem", diz a gerente de relacionamento do site Vagas.com.br, Fernanda Diez. Como esses profissionais lidam com a criatividade no dia a dia, é importante que já se apresentem criativos.

Mas a ousadia somente surte efeito quando acompanhada de conteúdo. "Um currículo com muito enfeite, mas pouca informação, só atrapalha. Ele até mostra que o candidato sabe fazer, mas também mostra que ele não sabe falar sobre si mesmo", diz Fernanda.

Uma solução ainda mais eficiente, na opinião de  Ruy Bilton, é enviar dois documentos distintos. “Os profissionais de áreas criativas, como publicitários, arquitetos e designers em geral, deveriam criar um currículo e um portfólio. O primeiro deve privilegiar a simplicidade e a legibilidade. O segundo pode ter um formato diferente. Isso vale para documentos impressos ou digitais", explica.

Para um bom currículo*

1. Garanta que seu currículo seja aberto facilmente, usando formatos comuns de arquivos, como os de extensão .doc ou .pdf. E ele deve ser leve, tendo, preferencialmente, até 1MB;

2. A compreensão não pode ser prejudicada por fontes pequenas, com pouco contraste ou de difícil leitura;

3. Não esqueça de colocar as informações básicas, como seu e-mail e telefone de contato;

4. Tome cuidado com o português. A criatividade do currículo será ignorada se você cometer erros de ortografia;

5. Se o currículo fugir demais do padrão, considere a possibilidade de enviar um arquivo tradicional junto com ele;

6. Mostre seu currículo para outras pessoas e ouça o que elas têm a dizer. Ao menor sinal de perigo, volte para o modelo tradicional.

7. Se for adequado à sua profissão usar a criatividade, faça isso apenas para destacar seus diferenciais, e não para apresentar algo comum a outros candidatos. Lembre-se que um currículo criativo destacará seu nome em meio a outros candidatos, positiva ou negativamente;

*Fonte: Ruy Bilton, sócio da consultoria de treinamento e desenvolvimento Atingire

Topo