Relacionamento

Homem se sente mal em relação ao sucesso da parceira, diz pesquisa

Monkey Business Images/shutterstock.com
Estudo descobriu que o homem pode, inconscientemente, não gostar quando a parceira é bem sucedida imagem: Monkey Business Images/shutterstock.com

Relax News

De acordo com um novo estudo publicado no Journal of Personality e Social Psychology, a autoestima subconsciente de um homem pode ficar ferida quando sua esposa ou namorada se destaca. No entanto, a autoestima das mulheres não foi afetada pelos sucessos ou fracassos de seu parceiro masculino.

"Não faz sentido que um homem possa se sentir ameaçado se sua namorada o supera em algo que eles estão fazendo juntos, como a tentativa de perder peso", diz a autora principal do estudo, Kate Ratliff, da Universidade da Flórida. "Mas esta pesquisa encontrou evidências de que os homens interpretam automaticamente o sucesso de uma parceira como o seu próprio fracasso, mesmo quando eles não estão em concorrência direta".

Na pesquisa, Kate e sua equipe analisaram cerca de 900 pessoas que vivem nos EUA e na Holanda. Os resultados disso mostram que os homens subconscientemente se sentem piores sobre si mesmos quando pensam em algum momento em que sua parceira prosperou em uma situação, e que eles tinham falhado.

Foram dados a 32 casais da Universidade de Virginia o que foi descrito para eles como um "teste de resolução de problemas e inteligência social" e, em seguida, eles ouviram que seu parceiro se classificou tanto entre os 12% melhores quanto nos 12% piores em relação a todos os estudantes universitários.

Ouvir que seu parceiro teve uma pontuação alta ou baixa no teste não afetou o que os pesquisadores chamaram de explícita autoestima dos participantes, ou como eles disseram que se sentiram.

Mas quando os participantes também receberam um teste para determinar como eles se sentiram subconscientemente sobre o desempenho de seus parceiros, ou autoestima implícita, os resultados mostraram algo diferente.

Nesse teste, um computador controla a rapidez com que as pessoas associam boas e más palavras com eles mesmos. Por exemplo, indivíduos com alta autoestima implícita que veem a palavra "eu" na tela do computador são mais propensos a associá-la com palavras como "excelente" ou "bom", em vez de "ruim" ou "terrível".

Independentemente da sua própria pontuação, os homens que acreditavam que sua parceira pontuou entre os 12% melhores demonstraram significativamente uma autoestima implícita menor do que os homens que acreditavam que sua parceira havia pontuado entre os 12% piores.

Em outro experimento, 657 participantes, 284 dos quais eram homens, foram convidados a pensar em um momento em que seu parceiro teve sucesso ou falhou. Não importa a área dessas realizações, seja ela social ou intelectual, os homens subconscientemente ainda se sentiam pior quando sua parceira tinha sucesso do que quando ela falhava.

Além disso, as mulheres relataram que se sentem melhor no relacionamento quando elas lembravam de um momento em que seu parceiro teve sucesso, em vez de um momento em que ele havia falhado. Enquanto os homens não.

Topo