Sexo

79 mil casais estão transando neste minuto; saiba mais curiosidades

Thinkstock
Todos os dias acontecem 114 milhões de relações sexuais pelo mundo. Isso quer dizer que, por hora, há 4,75 milhões de casais transando e acontecem 79.166 relações sexuais por minuto imagem: Thinkstock

Andrezza Czech

Do UOL, em São Paulo

Você sabia que 79.166 relações sexuais acontecem por minuto? E que os casais sem televisão no quarto transam duas vezes mais? Veja a lista de 20 curiosidades sobre sexo que UOL Comportamento listou:

1. Todos os dias acontecem 114 milhões de relações sexuais pelo mundo, segundo informação do livro "O Guia dos Curiosos - Sexo" (Ed. Panda Books), escrito pelo jornalista Marcelo Duarte e o psiquiatra Jairo Bouer com informações do International Planned Parenthood Federation. Isso quer dizer que, por hora, há 4,75 milhões de casais transando e acontecem 79.166 relações sexuais por minuto. 

2. A primeira mulher a colocar espelhos em um quarto para intensificar o clima na hora do sexo foi uma chinesa, Zu Chao, que viveu entre 625 e 705 d.C. Segundo o historiador Claudio Blanc, autor de "Uma Breve História do Sexo (Editora Gaia), o objetivo de Zu era mostrar mais o corpo durante o ato sexual e conseguir seduzir o imperador chinês. E a ideia deu certo: eles acabaram se casando.

 

3. O vibrador foi um dos primeiros artigos elétricos a serem lançados no mercado, no início do século 20. De acordo com o escritor e jornalista argentino Aníbal Litvin, autor de "369 Curiosidades sobre Sexo" (V&R Editoras), ele foi lançado antes mesmo do aspirador de pó e do ferro de passar. A invenção aconteceu no final do século 19 para tratar aquilo que os médicos da época diagnosticavam como histeria. Segundo Blanc, como as mulheres da classe burguesa eram muito reprimidas sexualmente, era comum que precisassem de um tratamento: uma massagem íntima que desencadeasse o paroxismo histérico, uma nomenclatura sofisticada para o que, atualmente, conhecemos como orgasmo. Para evitar o trabalho manual dos médicos, foi inventado um vibrador a vapor, que era vendido em lojas de departamentos. 

4. De acordo com Aníbal Litvin, na antiga Esparta, o adultério era permitido à mulher com uma condição: que ela se entregasse a um homem mais alto e mais forte que o seu marido. 

5. A média mundial de relações sexuais é de 96 vezes por ano (ou duas vezes por semana). Os franceses têm o maior número de parceiros sexuais durante a vida: 16,7. Já os brasileiros têm, em média, 12,5. Os números são do "Guia dos Curiosos - Sexo". 

6. Em abril de 1970 foi publicada a primeira foto com pelos pubianos em uma revista, a "Penthouse". Quarenta e três anos depois, fotos desse tipo ainda geram polêmica.


Veja dicas simples para fazer um striptease profissional

  • Arte/UOL

    Clique na imagem para ver o infográfico. Conteúdo não disponível para mobile

7. A primeira vez que uma mulher se despiu, fazendo o que hoje chamamos de striptease, foi em fevereiro de 1893, no "Baile das Quatro Artes", em Paris. Segundo informação do "Guia dos Curiosos", a modelo tirou a roupa na frente de estudantes e acabou levando uma multa.

8. Na Pré-História, desconhecia-se o vínculo entre sexo e procriação, segundo a psicanalista Regina Navarro Lins, autora de "O Livro do Amor" (Editora BestSeller). Naquela época, os homens não faziam ideia que tinham uma participação importante no nascimento de uma criança. Para eles, a vida começava nas águas, nas pedras, nas árvores, e só então ia para o ventre da mãe, introduzida por um sopro da natureza.

9. Na Grécia antiga, os homens achavam que pênis grandes eram feios e menos férteis que os pequenos. Para eles, quanto menor o caminho percorrido pelo esperma até chegar ao corpo da mulher, melhor. A informação é do "Guia do Curiosos".

10. Um dos primeiros anticoncepcionais usados na Grécia antiga era o azeite de oliva. Segundo Claudio Blanc, as mulheres lubrificavam a vagina com o azeite para que o sêmen não aderisse à parede do útero.

11. Segundo Blanc, na Grécia antiga, foi criado o olisbos: um pênis de madeira revestido de couro que foi muito útil para ajudar as mulheres a combater o isolamento em que viviam na época.


12. A palavra "fornicar" vem do latim fornicare, nome dado a um quarto alugado para o sexo na Roma antiga. Era o local onde as prostitutas atendiam seus clientes, segundo o "Guia dos Curiosos - Sexo".

13. Casais sem televisão no quarto transam duas vezes mais do que aqueles com o aparelho. A constatação foi feita por um estudo realizado em 2006 pela sexóloga italiana Serenella Salomoni.

14. Um micropênis mede menos de 7 cm quando ereto. Segundo a SBU (Sociedade Brasileira de Urologia), o pênis normal mede entre 4 e 8 cm em repouso e 7 a 27 cm ereto. Segundo a SBU-SP, menos de 1% dos homens que querem aumentar  pênis tem um problema real.

Posições ajudam a superar obstáculos, como tamanho do pênis

  • Arte/UOL

    Infográfico: clique na imagem para aprender posições que ajudam a superar obstáculos sexuais, como pênis pequeno ou grande demais (conteúdo não disponível para mobile)


15. O maior pênis já medido até hoje é o de Long Dong Silver, com 47,5 cm em estado flácido. Ele não conseguia ter ereções e ganhava dinheiro fazendo shows bizarros, nos quais dava um nó duplo no membro.

16. Pessoas que fazem sexo regularmente ganham mais e são mais saudáveis. Segundo estudo publicado em agosto de 2013, pessoas que transam pelo menos quatro vezes por semana têm salários 5% mais altos. O estudo também revelou que quem não faz sexo ganha 3% menos em relação aos que praticam alguma atividade sexual. O autor da pesquisa, Nick Drydakis, analisou informações de mais de 7,5 mil pessoas com idades entre 26 e 50 anos, heterossexuais e gays. O estudo também revelou que pessoas que fazem mais sexo também são mais extrovertidas e têm menores taxas de diabetes, doenças cardíacas e artrite.

17. Em Roma, de 146 a.C. ao século 3, havia proibições como fazer sexo antes de anoitecer ou com uma parceira de quem se havia tirado toda a roupa (só as prostitutas tiravam o sutiã), segundo o historiador Paul Veyne. As informações são do "Livro do Amor", de Regina Navarro.

18. Segundo Claudio Blanc, a antiga tribo ameríndia Shoshone acreditava que a vagina podia causar cegueira e era perigoso tocar no corpo de uma mulher durante a relação sexual. Para se protegerem, os homens só tinham relações sexuais com as mulheres quando elas estavam vestidas com uma roupa de couro que tinha uma abertura na vagina.

19. De acordo com a psicanalisa Regina Navarro Lins, as obras pornográficas aparecem em meados do século 17 e impõem sua marca no século 18. O termo pornografia surgiu nesse período, cunhado pelo escritor francês Restif de La Bretonne. Pornê graphê significava "escrita prostituída".

20. Um orgasmo feminino dura de cinco a dez segundo mais do que o masculino. E, segundo informação do "Guia dos Curiosos", nesse momento, as paredes da vagina soltam uma descarga de 244 minivolts. Portanto, cinco mulheres tendo orgasmos produzem energia suficente para acender uma lâmpada de 1 volt. 

Topo