Relacionamento

Você trabalha com um "ex"? Evite o contato e jamais brigue no escritório

Paola Saliby/UOL
Manter o respeito e evitar o contato com o "ex" na fase inicial são boas atitudes para contornar a situação imagem: Paola Saliby/UOL

Catarina Arimateia

Do UOL, em São Paulo

Ninguém consegue sair totalmente bem de um relacionamento. Por mais que o término tenha sido uma decisão tomada por ambos, o momento é sempre dolorido. Mas há casos em que ele pode ser ainda pior: quando os dois trabalham na mesma empresa. No auge da confusão de emoções, há alguma maneira de conviver pacificamente com o "ex" ou a "ex" no trabalho?

Para Márcia Luz, psicóloga, coach em comportamento e especialista em administração de recursos humanos, a tarefa é difícil, mas não impossível. "Até que as feridas cicatrizem, é melhor que o contato seja o menor possível", diz ela. "Minha sugestão é que ambos tentem trabalhar em áreas distintas, mantendo a distância, ao menos até os dois estarem com a vida estruturada".

Como nem sempre esse distanciamento é possível, o segredo é trabalhar o equilíbrio emocional. Para Márcia Luz, os cuidados precisam ser redobrados quando o antigo par está no mesmo ambiente profissional que você, ou corre-se o risco de perder o emprego também. 

Não desconte nos colegas

"Colegas de trabalho, na maioria das vezes, não são amigos pessoais. Em ambientes de trabalho, deve-se ter postura profissional”, diz a psicóloga Juliana Bonetti.

Para a psicóloga e psicoterapeuta Glaury Coelho, especializada em terapia de casais, é preciso ter uma válvula de escape em um momento difícil como esse. Vale praticar um esporte, participar de grupos de discussão ou se matricular em um curso. O importante é manter o equilíbrio para não ficar se lamuriando com os colegas. 

"É preciso se proteger e manter a maior discrição possível. Se a pessoa quiser ser transparente e expor o que está sentindo, deve fazê-lo fora do ambiente do trabalho. E saber bem com quem e quando", diz Glaury.

Se estiver muito difícil suportar a situação, há outras maneiras de amenizá-la, como buscar um ombro amigo, desabafar com uma pessoa acolhedora e de confiança ou até procurar ajuda profissional. 

Como contornar a situação

Para Juliana, não há dúvidas de que a melhor maneira de conviver bem com o "ex" ou a "ex" é aceitar o fim da relação. Segundo ela, o sofrimento que costuma acontecer com o término de um relacionamento deve, sim, ser vivido até se esgotar, mas não em ambientes sociais ou profissionais. É necessário separar as situações.

Além de aceitar o que é mesmo inevitável, também há outras medidas que devem ser tomadas. Entre elas:

• Manter o respeito e a cordialidade o tempo todo;

• Nunca discutir a relação amorosa em ambiente profissional;  

• Não revidar a provocações; 

• Não fazer comentários ofensivos sobre o outro e muito menos expor sua intimidade com revelações do tipo: ele/ela ronca muito, não gosta de tomar banho, tem um mau hálito terrível quando acorda;

• Avaliar se é mesmo possível continuar a conviver profissionalmente. Se o preço emocional para manter o trabalho atual for muito alto, talvez valha a pena pensar em procurar outra empresa para atuar.

Topo