Comportamento

Ler antes de dormir melhora o sono e diminui o estresse

Thinkstock
Ler alivia as tensões musculares e diminui o ritmo cardíaco, dependendo do título escolhido, é claro imagem: Thinkstock

Marina Oliveira e Thaís Macena

Do UOL, em São Paulo

Você tem dificuldade de se desligar dos problemas e, por isso, demora a pegar no sono? Ou costuma ter noites agitadas e, mesmo depois de passar um bom tempo na cama, acorda cansado? Pois é bem possível que, ao adotar o hábito de ler, um pouco antes de dormir, você consiga relaxar mais. Pelo menos é o que diz uma pesquisa da Universidade de Sussex, no Reino Unido, realizada em 2009.

O levantamento mostrou que ler é uma estratégia mais eficaz, para diminuir o estresse, do que ouvir música ou caminhar. Durante o estudo, os voluntários chegaram a amenizar em 68% o nível de tensão ao folhear um livro por alguns minutos. A justificativa dos pesquisadores para os resultados encontrados é a de que, ao acompanhar uma história, nos desligamos, temporariamente da nossa realidade. Ocorre um alívio das tensões musculares e uma diminuição significativa no ritmo dos batimentos cardíacos.

A psicóloga Lucia Novaes, professora do Instituto de Psicologia da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), confirma que, na prática, esses benefícios também podem ser notados. "A experiência clínica demonstra que a leitura pode funcionar como estratégia de controle do estresse. Se for feita poucos minutos antes de irmos para a cama, também contribui para um sono melhor", diz.

Porém, para que o livro seja capaz de proporcionar todos esses benefícios, é preciso que o assunto e o gênero despertem uma sensação de bem-estar em quem está acompanhando a história.


"Essa é uma questão muito individual, que depende do gosto e do estado emocional do leitor. Mas, de maneira geral, indicamos que, antes de dormir, sejam evitados os livros cujo enredo deixe o leitor em estado de alerta", diz a psicóloga Ana Maria Rossi, presidente da ISMA-BR (International Stress Management Association no Brasil). Ou seja, nada de livros de suspense, ação, despertem medo, angústia ou outros sentimentos ruins. Histórias desse tipo podem provocar o efeito contrário ao desejado.

Em contrapartida, boas sugestões de leitura na cama são os livros de contos, poesias e os romances, porque não deixam o leitor ansioso para saber o que acontecerá no próximo capítulo. A literatura de humor também funciona. "Aquele livro que provoca um sorriso vai ser muito saudável por promover a liberação de endorfina, o hormônio do bem-estar, que reduz a tensão muscular, baixa a frequência cardíaca e leva a atividade mental para uma onda mais baixa", afirma Ana Maria.

Da mesma forma, leituras ligadas à religião praticada pelo leitor, assim como revistas sobre temas mais amenos, também podem provocar o relaxamento. E como a ideia é induzir ao sono, o ideal é ler no papel, e não em tablets, smartphones ou no computador.

"A melatonina, o hormônio regulador do sono, só é liberado quando o ambiente está mais escurinho, iluminado por um abajur, por exemplo. A luz dos equipamentos eletrônicos pode dificultar a produção dessa substância", diz a psicóloga Denise Pará Diniz, coordenadora do setor de gerenciamento de estresse e qualidade de vida da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Ambiente favorável

Para que o relaxamento proporcionado pela leitura seja efetivamente sentido, e perdure, é importante que o ambiente em que se pratica o hobby seja tranquilo, propício para a concentração. Já a posição para a leitura não importa e deve ser escolhida de acordo com a sensação de conforto que proporciona a quem está com o livro em mãos. "Para pessoas que têm insônia, o mais indicado é ler fora da cama, em uma poltrona ao lado, por exemplo. E só ir para a cama quando o sono vier", explica Lucia.

O ambiente interno também precisa ajudar. "Não importa o quanto o livro é relaxante. Se você não consegue se desligar e fica preso a pensamentos que geram tensão, será impossível descansar", afirma Denise. Assim, durante a leitura, é preciso evitar a tentação de resolver problemas mentalmente. É imprescindível se concentrar no texto para poder tirar proveito do hábito.

E os especialistas afirmam que mesmo quem não tem o costume de ler pode se beneficiar com a prática, se estiver realmente disposto a mudar um pouco a rotina. "É possível que, com o tempo e com as obras apropriadas, o iniciante transforme a leitura em hobby e passe a aproveitar cada vez mais esse hábito, que é bastante saudável”, diz a psicóloga Lucia Novaes. 

Topo