Comportamento

Descobrir o que nos realiza é a chave para manter a motivação

Thinkstock
Pessoas motivadas enxergam a vida de maneira mais positiva imagem: Thinkstock

Marina Oliveira e Rita Trevisan

Do UOL, em São Paulo

Para sair da cama todas as manhãs, para ir ao trabalho diariamente ou cumprir a meta de três vezes por semana praticar uma atividade física, é preciso motivação. A definição desse sentimento está nas duas palavras que formam o termo, motivo e ação. Na realidade, estamos falando da razão que leva alguém a agir.

"A motivação pode ser entendida como algo que move uma pessoa ou que faz com que ela mude de direção, em determinado momento da vida", explica a psicóloga Mônica Rahal Mauro, supervisora do curso de Psicodrama do Instituto Sedes Sapientiae.

Essa força que nos leva a agir está diretamente ligada às nossas necessidades e vontades. “Estar motivado significa ir além para alcançar um objetivo específico. A motivação é um conjunto de fatores, que interagem entre si e que determinam a conduta de um indivíduo”, diz a psicóloga Letícia Guedes, mestre em Psicologia pela PUC Goiás (Pontifícia Universidade Católica de Goiás).

Nós nos tornamos motivados a partir de fatos cotidianos, decorrentes de bons trabalhos ou boas ações que fazemos para nós mesmos ou para outras pessoas. A motivação, geralmente, está presente quando estamos empenhados em algo que nos deixa feliz, que nos realiza.

“Somos motivados tanto pelo desejo de avançar e conquistar pessoas, coisas ou posições, como também pela dificuldade, que pode disparar em nós um desejo de reação ou de mudança. A motivação está sempre ligada a um propósito", diz Letícia.

É a motivação que nos possibilita ter uma visão positiva da vida, já que ela influencia nossos pensamentos e sentimentos. “Se uma pessoa está desmotivada, provavelmente ela não está conseguindo agir de acordo com o que realmente deseja ou acredita. Só é possível sentir-se motivado quando as ações individuais têm um sentido”, afirma Mônica.

A desmotivação, por sua vez, atrapalha o desenvolvimento pessoal, já que, segundo as especialistas, faz com que a pessoa se prenda demais aos obstáculos e perca os objetivos. “Quando estamos desmotivados, não fazemos as coisas como deveríamos fazer, não temos ânimo para estudar, trabalhar ou ir à academia. Assim, a falta de motivação pode acarretar problemas de relacionamento, trabalho e saúde”, diz Letícia.

Motivação interna e externa

A motivação pode se apresentar a partir de uma força interior, a chamada automotivação.

“Um indivíduo intrinsecamente motivado considera a atividade que está desenvolvendo como entretenimento, satisfatória ou como uma oportunidade para desenvolver novas habilidades e obter domínio e conhecimentos”, explica Mônica.

Já a externa é aquela gerada pelo ambiente em que a pessoa vive ou pelo contato com os outros. Em um ambiente profissional, por exemplo, um salário compatível com o mercado e um bom clima organizacional são razões para que muitas pessoas se sintam plenamente realizadas ao desempenharem suas funções. 

Sempre na ativa

É bom saber que todos nós, em algum momento da vida, vamos nos sentir desanimados. Mas esse quadro se torna mais frequente quando o propósito para agir está completamente ligado a fatores externos. Ou seja, se uma pessoa só tem ânimo para trabalhar por conta do dinheiro que cai na conta ao fim do mês. Se algo acontecer de ruim no setor financeiro, ela rapidamente se frustrará.

"A pessoa que trabalha a autoestima e sabe do próprio valor dará bem menos importância aos fatores externos", declara a psicóloga Luci Balthazar, mestre em Psicologia do Trabalho pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

E se o autoconhecimento é uma ferramenta para manter o pique, outro recurso é quebrar a rotina com uma certa regularidade, buscando surpreender-se. "Se a pessoa faz a mesma coisa todos os dias, mesmo que ela seja apaixonada por aquela atividade, irá, em algum momento, desmotivar-se. Isso porque a energia que ela estava carregando lá no início fatalmente perderá a sua força", diz a psicóloga Letícia Guedes.

Em suma, a motivação é mais duradoura quando está na própria caminhada e não na chegada. "As condições externas podem ser criadas para o indivíduo sentir-se motivado, mas ele mesmo deve procurar as oportunidades de fazer o seu melhor e, assim, realizar-se", diz Luci.

Topo