Vida no trabalho

Cometeu um erro no trabalho? Siga quatro passos e limpe sua imagem

Getty Images
Quando você comete um erro, jamais tente justificá-lo culpando outra pessoa imagem: Getty Images

Louise Vernier e Rita Trevisan

Do UOL, em São Paulo


Para evitar que falhas se repitam no dia a dia profissional, é fundamental refletir sobre elas sempre que ocorrerem. "O mais importante, depois de cometer um erro, é não buscar justificativas, mas tentar entender o que gerou a falha", diz Bernardo Leite, psicólogo especializado em administração de empresas e professor convidado da FGV (Fundação Getúlio Vargas) de São Paulo.

Mas analisar o problema não basta, mesmo que você tire proveito dessa avaliação. Para evitar que a sua imagem profissional sofra desgastes, use esse diagnóstico como um ponto de partida para colocar em prática um plano de ação estratégico.

"Dimensione as consequências da sua falha, procure o gestor e comunique-o do problema. Na mesma hora, apresente uma possibilidade de solução. Esse tipo de comportamento é extremamente bem-visto nas corporações. O pior cenário é criar o problema e esperar que o gestor o resolva", explica Leite.

A seguir, ele e outros especialistas ensinam, em quatro passos, como lidar com esse tipo de crise. A ideia é que você consiga minimizar as consequências do erro cometido, além de poupar a sua imagem.

1º passo: avalie as consequências do erro

"Pense, antes de tudo, nos efeitos que a sua falha terá no projeto, na equipe e na empresa como um todo. Se vai afetar os relacionamentos internos, externos, se haverá algum tipo de prejuízo, inclusive econômico. Essa reflexão é importante para avaliar com clareza a proporção do erro", explica o psicólogo Jânio Carlos Soares de Souza, especialista em formação e desenvolvimento de equipes, professor do Sebrae de Itaúna, em Minas Gerais.

A partir de uma análise justa da situação, você poderá planejar suas ações, adequando-as à profundidade do erro. "Pense em um meio de minimizar as consequências da sua falha, antes mesmo de procurar o seu superior. Esse planejamento prévio é que fará a diferença na maneira como o seu gestor vai avaliar você", afirma Fabiana Batistucci de Lima, psicóloga e mestre em psicologia pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) de Campinas.

2º passo: fale com o seu chefe

Não deixe que seu chefe fique sabendo do seu erro por intermédio de outros colegas ou, pior, ao notar as consequências do problema que você provocou. "Ele poderá ser responsabilizado pelo seu erro, já que está à frente da equipe. Daí a importância de que seja comunicado o quanto antes do ocorrido, para que também possa se preparar", diz Fabiana.

Nessa primeira conversa, o objetivo é posicionar o superior sobre o erro cometido, assumindo a culpa, com humildade. Porém, não é necessário dar longas explicações sobre o ocorrido. Tentar transferir a responsabilidade é outro erro que deve ser evitado.

"Fuja de justificativas como falta de tempo, falta de cooperação da equipe etc. Afinal, se você já havia identificado falhas no processo, deveria ter procurado o seu gestor antes, para tentar resolvê-las. Deveria ter previsto que algo daria errado muito antes de colher os resultados negativos", diz Leite.

Ser sincero, do início ao fim da conversa, é essencial para que ela seja produtiva. “Mentir ou ocultar informações não ajudam a estabelecer estratégias para corrigir o erro. É agindo assim que muitas pessoas transformam uma falha comum em um problema maior, que pode resultar em demissão", diz o psicólogo Roberto Heloani, professor da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

3º passo: apresentar soluções

Se você tem autoridade e competência para resolver o problema que criou, vai depender muito pouco do gestor para estabelecer um plano de ação. Nesse caso, deverá procurá-lo para comunicar o erro e a solução que pretende utilizar, para que não haja informação truncada.

Por outro lado, se não tem autoridade e competência para corrigir a falha sozinho, seja humildade e peça ajuda ao chefe. "Se tentar resolver sozinho um problema sobre o qual não tem muito conhecimento, provavelmente criará um desgaste ainda maior", afirma Souza. Ainda assim, é essencial apresentar ao seu superior algumas sugestões, logo no início da conversa.

4º passo: aprender com o equívoco

Depois de agir para remediar o problema causado, seguindo um planejamento previamente alinhado com o gestor, é o momento de rever a sua atuação. "Ao avaliar mais profundamente as causas do erro cometido, fecha-se o ciclo. É hora de parar e tirar uma lição do ocorrido e amadurecer", afirma Souza. Tente perceber se você precisa mudar as suas atitudes, os procedimentos que utiliza ou adquirir novos conhecimentos para não falhar novamente.

"Não se pode alterar o resultado das coisas sem mudar a forma de fazê-las", diz Souza. O importante é refletir, mudar o que precisa ser mudado e virar a página. "Se o erro tiver sido tão grande a ponto de abalar a sua autoconfiança, busque o apoio de amigos, familiares ou profissionais, como um coach ou um psicólogo", indica Fabiana.

Dependendo da extens

Topo