Equilíbrio

Estado civil influencia vontade de praticar exercícios

Getty Images
Rotina de exercícios do parceiro também pode influenciar imagem: Getty Images

Gretchen Reynolds

The New York Times

Um c $!$render-component.split('/')[$math.sub($render-component.split('/').size(), 1)]

Assim, para o novo estudo apresentado neste m $!$render-component.split('/')[$math.sub($render-component.split('/').size(), 1)]
 
Menos estimulante: se um dos cônjuges reduzisse ou abandonasse os exercícios durante os anos entre os questionários, o outro geralmente seguia o exemplo.
 
Segundo Laura Cobb, aluna da pós-graduação da Johns Hopkins que conduziu o estudo, a implicação é que os "cônjuges desempenham um papel fora do comum" no comportamento ligado aos exercícios na meia-idade.
 
Certamente, o estudo se valeu de informação presumível, informada pelo próprio entrevistado, então ela "não pode provar" que os hábitos de um cônjuge afetem diretamente o do outro. "É igualmente possível que outros fatores compartilhados ligados ao estilo de vida" possam influenciar, tais como aposentadoria ou mudança. Os cientistas controlaram problemas de saúde ao excluir casais se um dos cônjuges tivesse uma doença grave.
 
Entretanto, o alinhamento elegante entre os exercícios de um cônjuge de meia-idade e, após alguns anos, os do outro sugere, no entender de Cobb, que para incentivar seu marido ou esposa a malhar mais, você deveria acelerar a própria rotina. E se você espera manter esse estilo de vida, deve persuadir o cônjuge sedentário a lhe fazer companhia. Caso contrário, pode ser tremendamente tentador ir se acomodar no sofá.
Topo