Comportamento

Freiras se infiltram em bordéis para combater o tráfico de pessoas

Getty Images
A organização tem mais de mil freiras combatendo o tráfico de pessoas em 80 países imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

Uma organização religiosa italiana coloca mais de mil freiras nas ruas para combater o tráfico de pessoas pelo mundo. Segundo informações da versão on-line do jornal britânico "The Huffigton Post", elas se infiltram em bordéis para resgatar as mulheres.

A rede, denominada Talitha Kum, foi criada em 2004 e atua em 80 países. De acordo com John Studzinski, presidente do grupo, cerca de 73 milhões de pessoas são traficadas de alguma forma, o que significa 1% da população mundial. Dessas, 70% são mulheres e metade tem menos de 16 anos.

Reprodução/Talitha Kum
Grupo Talitha Kum na África do Sul imagem: Reprodução/Talitha Kum

"Esses problemas são causados pela pobreza e desigualdade, mas vai muito além ", disse ele durante uma conferência que discute os direitos e o tráfico de mulheres. "Não quero ser sensacionalista, mas afirmo que o mundo perdeu a sua inocência e que as forças do mal estão por aí", disse.

Studzinski falou durante o evento sobre o tratamento horrível que algumas vítimas enfrentam, usando o exemplo de uma mulher que ficou presa por uma semana sem comida depois de não cumprir a meta de transar com 12 clientes por dia. E o trabalho das freiras é resgatar essas pessoas.

"Essas irmãs não confiam em ninguém. Elas não acreditam nos governos e na polícia local. Em alguns casos, não podem confiar nem no clero masculino", afirmou.

As religiosas também ajudam a salvar crianças que são vendidas como escravas por seus pais, oferecendo abrigos na África, nas Filipinas, no Brasil e na Índia.

Topo