Vida no trabalho

20 dicas para não falar bobagem ao conversar com o chefe sobre promoção

Getty Images
Ao batalhar por uma promoção, não se compare a colegas nem use o tempo de empresa como argumento imagem: Getty Images

Beatriz Vichessi

Colaboração para o UOL

Tão importante quanto escolher o momento adequado para conversar com o gestor sobre promoção na carreira é se preparar bem para dizer as coisas certas. Alinhar seu discurso às necessidades da empresa, revelando os ganhos que você promoveu, e saber destacar suas fortalezas e o que tem potencial para desenvolver são pontos fundamentais de um bom discurso.

Confira 20 dicas de especialistas para vender bem seu peixe e evitar falar bobagens.

1 - Antes de marcar a conversa para falar sobre promoção, reúna fatos que comprovem o que você tem feito de positivo pela empresa. Use gráficos, tabelas e relatórios, se achar válido, mas não se alongue demais na apresentação.

2 - Durante o encontro, apresente planos e melhorias que você pretende fazer quando mudar de cargo, sem deixar o gestor na posição de refém.

Getty Images


3 - Durante a apresentação de seu desempenho, jamais critique a equipe da qual você faz parte ou fale como se trabalhasse sozinho.

4 - Antes de pedir para falar com a chefia, pergunte a si mesmo se você tem realmente uma trilha de desenvolvimento ou se não está querendo progredir rápido demais. Atualmente, o que os consultores de carreira mais criticam é a pressa que os funcionários têm --principalmente os recém-formados na universidade. 

5 - Jamais diga ser proativo e use isso como justificativa para crescer na carreira. Na atualidade, os gestores defendem que proatividade é uma característica inerente a qualquer cargo.

6 - Se estiver estudando para aperfeiçoar sua formação acadêmica, coloque esse item na pauta da conversa, mas compreenda que você está fazendo algo complementar para a carreira, não essencial. Caso esteja estudando por um pedido do gestor, lembre-se de que é algo combinado entre vocês, então, não pode ser usado como diferencial. 

7 - Se no passado seu chefe tiver mencionado a possibilidade de uma promoção e você julgar que está na hora de voltar a falar a respeito, faça isso, pois cuidar da carreira é uma responsabilidade sua, não somente do gestor. No entanto, jamais assuma ares de cobrança. Não existe promoção garantida com antecedência.

8 - Não use o tempo que você tem na empresa, mesmo que seja muito, como justificativa para ser promovido nem pense em se comparar com quem tem menos tempo e já foi promovido. Isso só revela que você não confia no próprio desempenho.

9 - Não caia na tentação de “jogar na cara” do gestor que você faz mais do que compete ao seu cargo.

10 - Se tiver recebido propostas de outras empresas, você pode apresentar esse dado à chefia, desde que saiba que isso não deve ser usado como moeda de troca nem como argumento ameaçador. O gestor pode dizer para você ficar à vontade e aceitar a oferta externa, por exemplo. É mais interessante apresentar essa informação para comprovar que você está antenado com as tendências de mercado e que cuida da sua carreira.

11 - Não se compare aos demais membros da equipe da qual faz parte. Cada um está em um momento da carreira e também em uma fase de vida, o que implica em desempenhos diferentes. Se você entrega mais ou menos que um colega, isso é problema do gestor, não um argumento. Além disso, é desrespeitoso para com os demais.

12 - O momento de avaliação da carreira, geralmente organizado pelas empresas uma vez ao ano, pode ser bom para abordar a temática da promoção, ainda mais para os mais tímidos. A época da avaliação é quando a corporação inteira está no clima de abordar assuntos relacionados à carreira das pessoas. Porém compreenda que esse não é obrigatoriamente o momento que o gestor precisa definir quem vai ser promovido.

13 - Jamais use argumentos da vida pessoal (como o nascimento de um filho, a morte dos pais, o desemprego do cônjuge ou divórcio, o aumento da mensalidade na escola das crianças ou do condomínio) para pedir uma promoção.

14 - Ao listar suas competências e feitos, inclusive os realizados em outras empresas, tenha como comprová-los com credibilidade.

15 - Diante da recusa ao pedido de promoção porque o gestor diz que você ainda não está preparado para assumir mais responsabilidades, saiba usar o momento a seu favor. Pergunte se ele pode lhe ajudar a traçar um plano de ação para melhorar seu desempenho e lhe desafiar mais. Estabeleçam juntos um tempo para você colocar o plano em prática e finalizá-lo. Promoção, de acordo com os especialistas em recursos humanos e carreira, é algo que se conquista, não algo que se ganha. Retome o assunto quando de fato concluir o plano de maneira que considere bem-sucedida, mesmo que extrapole o prazo.

16 - Lembre-se de que qualquer conversa com o gestor sobre progressão na carreira requer que o funcionário tenha claro que nem todos --aptos ou não-- vão chegar ao posto de chefia. Simplesmente porque não há espaço nas corporações para isso.

17 - Depois de falar sobre promoção, aguarde. Não exija uma resposta da chefia, ainda mais se, ao final da conversa, o gestor não tiver mencionado prazo para lhe dar uma resposta.

18 - Alguém ser demitido ou pedir demissão pode sinalizar uma boa oportunidade para você se apresentar ao cargo. Apresente-se como uma solução para os problemas da organização, mas não se compare ao colega que está de saída.

19 - Analise friamente se o que você está buscando é um aumento de salário e permanecer no mesmo cargo ou se quer mesmo ser promovido. São coisas diferentes, implicam em movimentos de carreira distintos e pedem abordagens diferentes para com a chefia.

20 - Ao pedir para ser promovido é fundamental deixar claro para o gestor quais são seus objetivos com a carreira. Eles precisam estar alinhados com os valores da corporação. Caso contrário, de que vale a pena ela investir em você?

Consultoria: Mariana Aguilar, gerente de recursos humanos da Audi; Alexandre Espinosa, diretor de recompensas e reconhecimentos da Natura; Sulivan França, presidente da Slac Coaching (Sociedade Latino Americana de Coaching), e Jorge Oliveira, coaching executivo, coordenador do Programa de Formação de Coaches do EcoSocial e ex-presidente da ICF Brasil (International Coaching Federation).

topo