Comportamento

Que tipo de ciumenta você é?

Todo mundo, de vez em quando, sente uma pontinha de ciúme de quem ama. O problema é quando são ultrapassados os limites do bom senso e começa a fantasia de estar sendo traída. Descubra que tipo de ciumenta você é - e se o que sente é ou não saudável - com o teste elaborado pela terapeuta de casais e família, psicodramatista e sexóloga Maria Luiza Cruvinel Moretti, de São Paulo.

  • Getty Images
    [[pts]] de 90 pontos

    Zelosa

    Você é uma pessoa que se preocupa com seu parceiro no sentido de cuidar, de se preocupar genuinamente com ele. Quem ama zela. Você ama, mas não depende dele para viver, mantém vida própria e uma autoestima boa. Além de ser capaz de ter uma percepção correta do mundo e de você mesma, sabe lidar bem com seus sentimentos.

  • [[pts]] de 90 pontos

    Ponderada

    Você é uma pessoa que tem um ciúme "normal", assim como é normal sentir medo, inveja, alegria. Neste caso, o ciúme aparece de maneira esporádica, ou seja, em momentos em que você está instável emocionalmente, o que a faz se sentir ameaçada. Nessas ocasiões você pode estar com a autoestima baixa. Seria bom "trabalhar" este ponto da personalidade para resolver seus conflitos e fugir de situações neuróticas.

  • Getty Images
    [[pts]] de 90 pontos

    Possessiva

    Você é uma ciumenta doentia e precisa descobrir o que se esconde atrás deste medo de perder. Você duvida de si mesma, tem baixa autoestima e atribui ao outro a desconfiança que sente por você mesma. Além disso, você não ama com altruísmo. O seu ciúme é um sentimento de posse, é como um vício, o afeto do outro é a "sua droga". A terapia é muito indicada e eficaz nestes casos para trabalhar medos e ansiedade.

  • Getty Images
    [[pts]] de 90 pontos

    Paranoica

    Você imagina situações e acredita que elas são reais. Mistura fantasia com realidade, delira, sofre a perda da crítica. Você tem absoluta certeza de que é traída, mesmo que as evidências provem o contrário, e assim perde a noção do que é uma hipótese e do que possa ser verdade. Você é do tipo que desconfia permanentemente e cria armadilhas para confirmar suas suspeitas. É, definitivamente, um caso psiquiátrico.

Topo