Sexo

Você gosta de sexo? Quanto?

Thinkstock
imagem: Thinkstock

Faça o teste, elaborado com a consultoria do ginecologista e terapeuta sexual Amaury Mendes Junior, professor do ambulatório de Sexologia da UFRJ e avalie-se

  1. 510

    Ao ver alguém interessante, qual é a primeira coisa que pensa?

    Thinkstock
  • Thinkstock
    [[pts]] de 60 pontos

    Hoje não, obrigado

    Você não gosta muito de sexo e, na maioria das vezes, faz só para agradar o parceiro ou porque se sente socialmente cobrado. 'Há pessoas com menos desejo, que valorizam outras coisas além da libido, como a profissão, por exemplo. Outras possuem um histórico familiar em que o sexo não era bem visto e acabam não desenvolvendo este lado', afirma o terapeuta sexual Amaury Mendes Junior, professor do ambulatório de Sexologia da UFRJ. Ninguém é obrigado a gostar de transar, mas isto pode se tornar um problema no relacionamento a dois. Se acontecer, ou se a baixa libido começar a incomodar, vale a pena procurar um terapeuta.

  • Thinkstock
    [[pts]] de 60 pontos

    Sexo é bom e você gosta

    Você valoriza o sexo nos relacionamentos. E com razão! Ao transar, você expressa sentimentos, estreita a relação a dois e ainda reforça a autoestima. ?Fazer sexo aumenta a confiança em si mesmo, à medida que ele atesta a capacidade individual de provocar o desejo no outro. Sem contar que para transar espontaneamente é preciso estar bem consigo mesmo e com o próprio corpo?, avalia o terapeuta sexual Amaury Mendes Junior, professor do ambulatório de Sexologia da UFRJ. Não é preciso transar todos os dias para colher estes benefícios, o fundamental é que a prática seja prazerosa.

  • Thinkstock
    [[pts]] de 60 pontos

    Movido a sexo

    Você pensa muito em sexo e não vive sem. Até aí, normal. ?O problema é quando o prazer se transforma numa saída para aliviar, mesmo que temporariamente, todo tipo de mal estar. Nesse caso, a pessoa não se importa com os beijos, abraços e carinhos antes e depois do sexo, ela só quer amenizar aquela sensação o mais rápido possível?, explica o terapeuta sexual Amaury Mendes Junior, professor do ambulatório de Sexologia da UFRJ. Esse tipo de comportamento pode indicar uma compulsão sexual, quadro que não é nada saudável e requer tratamento com psicoterapia e medicamentos.

  • [[pts]] de 60 pontos
Topo