Comportamento

Você sabe assumir seus erros?

Thinkstock
imagem: Thinkstock

Responda com sinceridade às questões a seguir e descubra. A consultoria é de Marcelo Quirino, psicólogo pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

  1. 410

    Alguém aponta um erro seu. O que sente?

    Thinkstock
  • Thinkstock

    Humildade zero

    Se você vive buscando culpados para tudo o que acontece de errado em sua vida, é hora de fazer uma autoavaliação. Pessoas que não admitem seus próprios erros tendem a ser orgulhosas, se julgam superiores às demais e menosprezam as competências alheias. Mas esse comportamento também pode ter origem numa defesa psicológica: acreditando-se perfeito, você se protege da imagem negativa que existe lá no seu subconsciente. Pense nisso!

  • Thinkstock

    Vítima da situação

    Assumir um erro é desagradável mesmo. Parece mais fácil tentar omiti-lo ou se colocar como vítima da situação. E só admitir o deslize quando não existe mesmo escapatória ou diante das pessoas a quem é importante impressionar. Só que esse comportamento, ao contrário de ajudar, pode prejudicar a sua imagem. Com o passar do tempo, ninguém mais vai comprar a sua imagem de coitadinho e você poderá ser ainda mais cobrado.

  • Thinkstock

    Maturidade acima de tudo

    Muito bem! Quem assume os próprios erros, com equilíbrio, não apenas demonstra maturidade, como ganha a oportunidade de construir relações mais sólidas. Além disso, aceitar os próprios erros é condição fundamental para aumentar o autoconhecimento e o autocontrole. É uma capacidade que se desenvolve com ética, senso de justiça e estabilidade emocional ? virtudes que devem ser cultivadas sempre.

  • Thinkstock

    Medo da rejeição

    Com medo da reprovação ou do abandono, há pessoas que se desculpam por tudo, até pelos erros que não cometeram. E será que você não está caindo nessa armadilha? É importante identificar os motivos que o fazem agir assim para, em seguida, superar a insegurança. Se errou, não se exponha. Peça desculpas mas, se possível, reservadamente, e diante da pessoa prejudicada pelo erro.

Topo