Relacionamento

O que mais o atrai em alguém?

Thinkstock
imagem: Thinkstock

Aparência, inteligência, sexo ou romantismo: qual dessas características vale mais para você, homem ou mulher, na hora de engatar uma relação? Faça o teste elaborado com a consultoria do psicólogo Ailton Amélio da Silva, professor da USP (Universidade de São Paulo) e autor do livro "O Mapa do Amor" (Editora Gente).

  • Thinkstock

    A aparência

    Para você, é difícil resistir à atração física: você facilmente se encanta com a aparência das pessoas. "Quem tem esse tipo de perfil, geralmente, se preocupa mais com os próprios sentimentos e esquece de perceber ou mesmo de perguntar como é que o outro se sente na relação", afirma o psicólogo Ailton Amélio. Além disso, é bom refletir: o par que mexe com a sua cabeça, e atende a todos os pré-requisitos de beleza, pode não oferecer outras qualidades necessárias para garantir o futuro do relacionamento.

  • Thinkstock

    A inteligência

    Antes de se entregar, você procura conhecer a pessoa a fundo e avalia os mínimos detalhes para saber se realmente combinam. "Quem tem esse perfil, normalmente, examina os pretendentes para checar se atendem a uma série de expectativas suas", explica o psicólogo Ailton Amélio. E, na balança, caráter e inteligência são atributos decisivos para a escolha. Porém, quando o assunto é amor, o melhor caminho é o do meio, onde equilibramos razão e emoção.

  • Thinkstock

    A química sexual

    Você encara o amor como um jogo; sedução e liberdade sexual são seus lemas na hora da conquista. "Esse tipo de pessoa se interessa por parceiros muito diferentes, mas dificilmente estabelece uma ligação profunda com eles. Assim que ganha o jogo, o interesse diminui rapidamente", declara o psicólogo Ailton Amélio. A única ressalva é que, com tanto desprendimento, você pode acabar ferindo as pessoas com quem se relaciona. Cuidado!

  • Thinkstock

    O romantismo

    Você se entrega por inteiro ao parceiro e espera a mesma postura dele. "Quando esse tipo de pessoa se apaixona, tudo gira em torno do relacionamento, o que é perigoso. Isso porque ela pode se tornar ciumenta, obsessiva, insegura e fantasiar demais", diz o psicólogo Ailton Amélio. Para escapar dessa armadilha, a orientação é controlar seus impulsos: colocar os pés no chão antes de investir na relação e submeter suas percepções ao crivo da razão.

Topo