Comportamento

Você é egoísta?

Há quem se importe só com as próprias vontades e problemas, enquanto outros chegam até a se prejudicar para prestar apoio aos demais. E você? Faça o teste elaborado com a consultoria de Cássia Roberta de Cunha Thomaz, doutora em psicologia experimental pela USP (Universidade de São Paulo).

  • Getty Images

    Sim, e não sente culpa

    Para você, o mais importante é suprir as próprias necessidades. Agradar aos outros não é uma prioridade. Por conta disso, você acaba ignorando os problemas alheios. "Quem age assim está mais sujeito a sofrer julgamentos e até a se isolar dos demais", diz a psicóloga Cássia Roberta de Cunha Thomaz. Para passar longe dessa armadilha, vale identificar o motivo que o leva a pensar apenas em si próprio. Será uma boa dose de insegurança ou medo de não retribuírem o seu gesto? Também é interessante começar a considerar a possibilidade de ceder, de vez em quando. Agindo assim, também terá com quem contar nos seus momentos de dificuldade.

  • Getty Images

    Sim, mas disfarça

    Você coloca seus interesses em primeiro lugar e sabe disso, tanto que, para amenizar o sentimento de culpa, vive dando prêmios de consolação aos outros. "Indivíduos que sofreram muito nas relações sociais e que foram favorecidos quando se colocaram em primeiro lugar tendem a incorporar a ideia de que, se permanecerem pensando em si próprios antes de tudo, continuarão sendo beneficiados", diz a psicóloga Cássia Roberta de Cunha Thomaz. Mas é importante considerar que, quando se dispõe a ajudar as pessoas, você também tende a ganhar, principalmente ao receber gratidão e carinho de volta. Porém, se for preciso dizer não, faça isso. Mas procure ser sincero. Assim, vai ficar mais fácil estabelecer uma relação de confiança com os que estão ao seu redor.

  • Getty Images

    Não, é equilibrado

    Ceder e pensar no próximo são duas ações que você pratica de maneira natural. Por isso, quando é solicitado, não pensa duas vezes antes de ajudar, mas sempre lançando mão dos recursos que dispõe. "Aquele que encontra um equilíbrio entre o egoísmo e a doação sabe o momento em que pode deixar os próprios interesses em segundo plano e em que momento eles precisam ser privilegiados", afirma a psicóloga Cássia Roberta de Cunha Thomaz. Você está exatamente no caminho do meio e, por isso mesmo, é respeitado e valorizado pelos que estão ao seu redor. Não faz exatamente tudo o que lhe pedem. Mas, até para dizer não, se coloca no lugar do outro.

  • Getty Images

    Não, pensa até demais nos outros

    Você é tão solícito que acaba abdicando dos próprios interesses em detrimento das necessidades alheias. "Geralmente, quem se anula diante das pessoas apresenta problemas de autoestima e autoconfiança e, por conta disso, vive pensando em agradar os que estão ao seu redor. O que motiva esse comportamento é o medo de não agradar ou de ser julgado", declara a psicóloga Cássia Roberta de Cunha Thomaz. É importante e necessário se doar às pessoas, mas também é fundamental valorizar a si próprio. Se, para ajudar o próximo, você tiver que prejudicar os seus projetos, considere a possibilidade de dizer não, simplesmente, sem culpa.

Topo