Comportamento

Quem é você no sexo?

Getty Images
imagem: Getty Images

Para ter satisfação sexual, as pessoas dependem de diferentes estímulos. Veja em que grupo você se encaixa com o teste que tem consultoria dos psicólogos Diego Henrique Viviani e Oswaldo Rodrigues Jr., do Instituto Paulista de Sexualidade.

  1. 110

    Com que frequência você varia posições sexuais?

    Getty Images
  2. 710

    Você já terminou um relacionamento por insatisfação com a performance sexual do par?

    Getty Images
  • Getty Images

    Aquele que não curte muito sexo

    Pelas suas respostas, foi possível perceber que o sexo, para você, não é algo essencial. Você tem outras prioridades ou, talvez, não esteja afinado com seu par. Vale a pena refletir sobre o assunto e analisar o seu grau de satisfação com a sua vida sexual. Seja honesto consigo mesmo. Ao investir mais energia no sexo, você ganhará mais qualidade de vida. "Comunique-se e discuta com o parceiro para ver como podem incrementar a vida sexual. Se necessário, procure um especialista", explica o psicólogo Diego Henrique Viviani.

  • Getty Images

    Aquele que gosta de sexo com rotina

    A rotina, para você, traz estabilidade à relação. E seguir o mesmo padrão sexual nem sempre é um problema. "A maioria das pessoas faz isso. E se a rotina mantém o prazer e a satisfação do casal, ela é positiva", diz o psicólogo Oswaldo Rodrigues Jr. De qualquer forma, é interessante pensar em variar, se houver um consenso entre o casal. "Fazer aquilo que sabemos que ambos gostam é bom, mas não precisa ser sempre da mesma maneira: dá para variar o local, a posição, a fantasia. Evitar a rotina pode ser extremamente cansativo, mas ficar o tempo todo na rotina, também", completa o psicólogo Diego Henrique Viviani.

  • Getty Images

    Aquele que não gosta de rotina no sexo

    Você quer dar e receber prazer no sexo e, para isso, precisa contar com novos estímulos de tempos em tempos. O que é saudável. Só é preciso analisar se o seu medo da rotina não está associado à pessoa com quem você se relaciona. O desejo de inovar pode ser uma fuga, quando o par já não o satisfaz. "Considere, ainda, que toda relação precisa de um grau de rotina para se manter, pois, também por meio dela, que se ganha estabilidade e confiança. O fato é que cada casal cria sua rotina e suas possibilidades de inovações, e isso será adequado enquanto ambos se sentirem bem", completa o psicólogo Diego Henrique Viviani.

  • Getty Images

    Aquele que adora sexo e precisa inovar sempre

    Você pensa muito em sexo e, como consequência, está sempre pronto para a relação. Além disso, gosta de dar vazão às fantasias. Você se sente pleno ao encontrar um par que o compreenda e que acompanhe o seu ritmo. "As inovações são sempre bem-vindas. Mas, se houver uma necessidade excessiva de variar o sexo, isso também pode assustar o par e, muitas vezes, fazê-lo pensar que não existe estabilidade na relação", diz o psicólogo Diego Henrique Viviani. O marcador que define se é preciso ou não mudar é o nível de satisfação individual e do par.

Topo