Comportamento

Como você encararia uma traição?

Getty Images
imagem: Getty Images

Qual seria a sua reação diante da descoberta da infidelidade do par? Faça o teste elaborado com consultoria de Olga Tessari, psicóloga pela USP (Universidade de São Paulo) e autora de "Amor X Dor" (Edição do Autor).

  • Getty Images

    Muito mal

    Você supervaloriza o parceiro e a relação, a ponto de acreditar que, sem ele, não é possível levar a vida adiante. Por isso, muitas vezes se humilha e até desconfia do par sem motivo, por medo de perdê-lo. Diante de uma traição, você, provavelmente, sofreria bastante. Tudo por conta da baixa autoestima. Está na hora de você cultivar o amor-próprio. Quanto maior ele for, mais fácil será se recuperar de qualquer decepção.

  • Getty Images

    De cabeça erguida

    Você sofreria diante de uma traição, mas é bem provável que conseguisse se recompor rapidamente. Isso porque sabe o valor que tem, procura entender o outro e não cria intrigas sem necessidade. Você prefere pensar antes de agir. O que, segundo a psicóloga Olga Tessari, é sensato: "Se houve a traição, é preciso resolver a situação e não ficar discutindo e culpando o parceiro eternamente. Atitudes impensadas só vão prolongar o sofrimento dos dois".

  • Getty Images

    Sem se abalar

    Você não vê a exclusividade como algo essencial em uma relação amorosa. Por isso, dificilmente se abala ao perceber qualquer sinal de que o outro está envolvido com alguém de fora do relacionamento. Acha até natural e acredita que também tem o mesmo direito. Se descobrisse uma traição, provavelmente, levaria apenas uma questão em conta: o sentimento do par por você.

  • Getty Images

    Como a vítima da situação

    Você se dedica completamente à relação. Por isso, se fosse traído, provavelmente não pensaria duas vezes antes de acusar o par e de fazê-lo se sentir péssimo. Mas, de acordo com a psicóloga Olga Tessari, valeria a pena pensar mais antes de agir. "Quando ocorre uma traição, é preciso entender o que levou a isso, considerando que a responsabilidade pode ser de ambos, que possivelmente deixaram de investir na relação", afirma.

Topo