Comportamento

Vocês estão prontos para ter filhos?

Getty Images
imagem: Getty Images

Com o seu parceiro, faça o teste elaborado com a colaboração da psicóloga Andreia Calçada, pós-graduada em psicopedagogia pela UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), e reflita sobre alguns aspectos antes de tomar essa decisão

  • Getty Images

    Sim, têm vontade e condições

    Segundo a psicóloga Andreia Calçada, estar 100% preparado para a chegada do bebê é uma condição extremamente difícil de ser alcançada. O desejo de aumentar a família, compartilhado pelo casal, é apenas o começo. "Para que o passo seja dado com o máximo possível de segurança, a vontade de ter filhos precisa estar acompanhada de expectativas reais acerca das mudanças que virão a partir daí", diz a especialista. E, ao que parece, vocês estão se preparando para esse novo momento, de forma prática e objetiva

  • Getty Images

    Não, precisam amadurecer

    A decisão de ter filhos não deve ser tomada de forma impulsiva, mas baseada em planejamento. E as respostas indicam que esse não é o foco do casal no momento. Provavelmente, vocês estão idealizando a experiência, sem pensar nas diversas responsabilidades que ela traz. Então, o ideal é adiar o plano e amadurecer a ideia. "Ter um filho é ajudar a criar uma identidade e, para isso, é necessário investir em inúmeros cuidados, físicos e emocionais", diz a psicóloga Andreia Calçada

  • Getty Images

    Não, devem focar no relacionamento

    Segundo a psicóloga Andreia Calçada, para um relacionamento que está enfrentando problemas, a chegada de um filho pode ser fatal. "Quem tem um bebê naturalmente vai acabar investindo menos tempo e energia no romance. E, para fazer isso, é preciso ter muita maturidade emocional, além de uma relação de cumplicidade, com bastante diálogo", diz. E esse não parece ser o caso de vocês. Criar uma rede de apoio antes de ter um bebê é outra providência interessante. Vale a pena pensar a respeito

  • Getty Images

    Não agora

    Vocês estão muito bem em relação à vida de casal, ao trabalho e à convivência social. E aparentemente não há espaço para um filho nessa rotina, perfeitamente ajustada. "Vale a pena questionar se o desejo de ter filhos é legítimo ou é fruto de uma pressão externa. A decisão tem de ser do casal", afirma a psicóloga Andreia Calçada. A decisão tomada hoje não impede que, no futuro, os dois voltem a considerar a ideia

Topo