Comportamento

Você sabe a hora de ser engraçado?

Getty Images
imagem: Getty Images

Avalie o seu comportamento a partir do teste elaborado com a colaboração do psicólogo Bayard Galvão

  1. 310

    Qual foi o lugar mais estranho em que você já tentou ser engraçado?

    Getty Images
  2. 610

    Com que frequência seus amigos dão gargalhadas após ouvir suas gracinhas?

    Getty Images
  • Getty Images

    Não sabe, ri sozinho

    Afrontar os interlocutores com piadas prontas e carregadas de juízos de valor e não prestar atenção na reação do público. Aparentemente, esses são os seus principais erros. Segundo o psicólogo Bayard Galvão, vale pensar sobre as suas motivações ao ensaiar uma abordagem descontraída. "Algumas pessoas não querem divertir os demais, desejam tornar-se o centro das atenções, aliviar a própria dor ou então sentir-se mais amados. Há também os que têm o propósito de agredir com suas piadas"

  • Getty Images

    Sabe, ri e faz sorrir

    Você tem o cuidado de observar o público para lançar uma piada sob medida, evitando excessos de todo tipo. Além disso, improvisa de acordo com a ocasião e detesta piadas prontas. Assim não só se diverte, como diverte a plateia também, seja ela formada de uns poucos amigos ou de uma multidão. "A piada se torna adequada quando o momento é propício, quando as pessoas estão abertas e quando o conteúdo dela não agride particularmente a ninguém", declara o psicólogo Bayard Galvão

  • Getty Images

    Não sabe, é apenas bem-humorado

    Suas respostas indicam que você não é exatamente um piadista, mas cultiva um ótimo humor. "Uma pessoa com as suas características costuma ser leve, ativa e sorridente, dificilmente torna-se agressiva", diz o psicólogo Bayard Galvão. Além disso, o bem-humorado costuma ser mais estável e torna-se frequentemente companhia agradável. "O bom humor é bem-vindo em qualquer situação, ao contrário das piadas, que podem ter efeito contrário ao esperado", fala o especialista

  • Getty Images

    Não sabe e nem tenta

    Você tem tanto medo de ser inconveniente que prefere perder a piada. Na realidade, não vê um propósito claro na descontração, o que pode ser prejudicial, segundo o psicólogo Bayard Galvão. "Descontrair é uma necessidade para a vida. Quem não consegue relaxar, seja por meio de situações engraçadas ou de outra natureza, poderá até desenvolver problemas de saúde ou assumir comportamentos de risco." Ele afirma ainda que rir pode ser uma maneira de aliviar a dor, a própria e a dos outros

Topo