Comportamento

Você é cara de pau?

Getty Images
imagem: Getty Images

Descubra com o teste elaborado com a colaboração da psicóloga Cristiane Pertusi, doutora em psicologia do desenvolvimento humano pela USP (Universidade de São Paulo)

  • Getty Images

    Sim, não tem vergonha de nada

    Você fala o que pensa, doa a quem doer. Expõe seus pensamentos e opiniões, muitas vezes, sem ser polido. Mas é importante saber que, dependendo da situação, quem fala o que vem à mente pode acabar ofendendo, mesmo sem intenção. "O excesso de sinceridade e objetividade, sem avaliar o contexto e a plateia, pode levá-lo a envolver-se em conflitos desnecessários e improdutivos", diz a psicóloga Cristiane Pertusi

  • Getty Images

    Não, tem vergonha de tudo e todos

    Se o cara de pau é alguém que fala o que pensa sem pudores, você é justamente o oposto. Muitas vezes, não tem coragem de dizer o que realmente deseja e passa por sofrimentos desnecessários, por pura vergonha de se expor. "Uma pessoa muito tímida perde a oportunidade de compartilhar suas ideias com os demais, de trocar e expandir seus conhecimentos. Também deixa de crescer e de ser reconhecida pelo que pensa", afirma a psicóloga Cristiane Pertusi

  • Getty Images

    Não, é apenas verdadeiro

    Na maioria das situações, você fala a verdade. Porém, usa todo o seu bom senso, para não machucar ninguém. Expressa seus pensamentos e opiniões analisando o contexto, o momento e as pessoas a quem vai expor suas ideias. "Uma pessoa equilibrada analisa, observa e posteriormente fala aquilo que pensa, sem radicalismos e sem expectativa de convencer os outros", diz a psicóloga Cristiane Pertusi

  • Getty Images

    Sim, e ainda mente

    De fato, você é bastante ousado, como convém a um cara de pau. Porém, suas respostas indicam que também está disposto a inventar histórias ou fingir, sem nenhum constrangimento, para se livrar de situações inconvenientes. "Um cara de pau pode perder a capacidade de discernimento e crítica sobre como, quando e o quê falar. Não obstante, pode exagerar, modificar, aumentar e até mesmo mentir, comprometendo-se ainda mais", afirma a psicóloga Cristiane Pertusi

Topo