Comportamento

Você tem noção de espaço público e privado?

Getty Images
imagem: Getty Images

Qual é o limite entre o seu bem-estar e o das outras pessoas? Descubra o quanto você sabe sobre o assunto a partir do teste elaborado com a colaboração de Yuri Busin, mestre em psicologia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, de São Paulo

  • Getty Images

    Não tem noção

    Suas respostas indicam que você tem dificuldade de respeitar o que é público. Você tende a buscar conforto e comodidade, sem se preocupar com o impacto que causa aos demais. Uma postura que precisa ser revista. "Aqui no Brasil, ainda é muito comum as pessoas enxergarem o espaço público como um local que não pertence a ninguém. Mas a verdade é que ele pertence a todos e por isso mesmo merece ser respeitado", diz o psicólogo Yuri Busin

  • Getty Images

    Até tem noção, mas nem sempre respeita

    Às vezes, você ainda se comporta nos espaços públicos como se estivesse em casa. Mas isso geralmente lhe causa constrangimento. O que já é um primeiro passo em direção a uma mudança para melhor. "Da mesma forma como temos regras em casa para garantir a boa convivência, em sociedade, elas também existem e precisam ser respeitadas, principalmente em espaços compartilhados", diz o psicólogo Yuri Busin

  • Getty Images

    Tem noção

    Pelas suas respostas, é possível concluir que você sabe exatamente onde começam e terminam os seus direitos. Por isso, não invade o espaço dos outros em locais públicos. "Você tem plena noção de que o espaço público pertence a todos e por isso mesmo deve ser conservado e utilizado de forma adequada", diz o psicólogo Yuri Busin. Sua postura correta pode inspirar muita gente

  • Getty Images

    Tem noção e não suporta quem não tem

    Você tem tanto medo de incomodar e de invadir o espaço que não é seu que, às vezes, até se prejudica. Além disso, quando percebe um sem noção por perto, trata de tirar satisfações com ele. O que pode ser perigoso. "Evite iniciar uma briga em local público. O melhor é dar o exemplo. Em caso de necessidade, acione a autoridade competente", diz o psicólogo Yuri Busin

Topo