Comportamento

Você é uma pessoa deslumbrada?

Getty Images
imagem: Getty Images

Descubra a partir do teste elaborado com a colaboração de Renisson Costa Araújo, psicólogo pela Universidade Federal da Grande Dourados, no Mato Grosso do Sul

  • Sim, deslumbrado com tudo e todos

    Pessoas deslumbradas são aquelas que se encantam com muita facilidade diante dos outros, das situações ou dos lugares, que expressam sua admiração de forma exagerada. E esse parece ser o seu caso. Por um lado, o deslumbre pode funcionar como um fator que impulsiona o sucesso. Por outro, pode colocá-lo em perigo. "O deslumbrado se coloca em situação vulnerável quando não consegue analisar com senso crítico as circunstâncias, o que é essencial ao equilíbrio", diz o psicólogo Renisson Costa Araújo.

  • Não, mas se deslumbra de vez em quando

    Você não perdeu a capacidade de se sentir fascinado diante de alguns acontecimentos da vida ou da rotina. O que é uma característica positiva, segundo o psicólogo Renisson Costa Araújo. Porém, não é qualquer situação que é capaz de despertar o seu interesse, o que indica equilíbrio. "O problema não é se deslumbrar, mas é necessário saber o momento certo de se fascinar com as circunstâncias. Às vezes, é preciso ponderar prós e contras antes de agir", diz o especialista.

  • Às vezes, mas disfarça

    Você se deslumbra com algumas situações cotidianas, mas acaba contendo suas reações, com medo de ser julgado ou mal interpretado. Com isso, coloca em risco a sua autenticidade. Ao que tudo indica, você vê apenas o lado ruim do deslumbramento. "A ausência de fascínio em relação aos pequenos prazeres do cotidiano não indica necessariamente equilíbrio. Se bem dosado, o deslumbramento pode ser um impulso para agir, aprender e crescer", afirma o psicólogo Renisson Costa Araújo.

  • Não se deslumbra com mais nada

    Aparentemente, você está vendo apenas os aspectos negativos das situações. E é isso o que passa adiante, para as pessoas que estão ao seu redor. Mas a ausência total de deslumbramento pode conduzir ao tédio, impedindo-o de agir e mesmo de aproveitar boas oportunidades. "Quem se deslumbra consegue ver qualidades onde existem poucas. E essa perspectiva pode ser a mola propulsora do sucesso, se bem aproveitada", afirma o psicólogo Renisson Costa Araújo.

Topo