Últimas de Estilo de vida

14 dicas para a criança se alimentar melhor no café da manhã

Getty Images
Os pais precisam dar exemplo, fazendo com que o café da manhã seja um hábito imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

Fazer com que as crianças se alimentem corretamente logo cedo é um desafio para a maioria das famílias. Não por acaso, uma pesquisa encomendada pela Mead Johnson Nutrition Brasil apontou que a refeição que as crianças mais pulam é o café da manhã.

No estudo, realizado em 2012, foram entrevistadas 2.694 mães de crianças de um a dez anos, de São Paulo e do Recife. Desse total, 33% afirmaram que os filhos apresentam comportamento seletivo ao comer, sendo que 46% deles pulam a primeira refeição do dia. A maioria das crianças (67%) acorda sem fome, 9% acordam perto da hora do almoço, 3% optam por pequenas porções, como iogurtes ou lanches industrializados, e 3% não querem parar de brincar para comer. 

Na opinião do pediatra e nutrólogo Mauro Fisberg, coordenador do Centro de Dificuldades Alimentares do Instituto Pensi, em São Paulo, a maioria das crianças brasileiras não chega a pular o café da manhã, mas se alimenta inadequadamente, preferindo consumir achocolatados de caixinha ou bolachas recheadas, em vez de fazer uma refeição completa e balanceada.

Para o especialista, o fato de, em geral, as aulas nas escolas iniciarem muito cedo prejudica a rotina alimentar das crianças, que não costumam ter apetite pela manhã. "Na Inglaterra, já há algumas experiências positivas de colégios que passaram a funcionar mais tarde, favorecendo, inclusive, o nível de atenção dos estudantes durante as aulas."

Dicas

  • 1 - Pais precisam dar o exemplo

    É importante que o café da manhã seja uma refeição compartilhada pela família diariamente. Pais que não se alimentam corretamente não conseguem ter argumentos sólidos para exigir que a criança faça uma refeição completa.

  • 2 - Afaste a correria

    Crianças não conseguem se alimentar bem se estiverem com pressa e ansiosas para não perderem o transporte escolar. Faça com que haja tempo suficiente para que a refeição aconteça de maneira tranquila, sem pressões ou correria.

  • 3 - Crie um ambiente adequado para a refeição

    É importante que a criança esteja concentrada no ato de comer, sem distrações. Evite ligar a TV, falar alto ou permitir o uso de telefones celulares e tablets à mesa. Com os sentidos muito estimulados, ela não prestará atenção ao paladar.

  • 4 - Planeje a refeição com antecedência

    É difícil encontrar tempo para fazer um suco, picar frutas ou montar sanduíches de manhã? O ideal é preparar o que dá mais trabalho no dia anterior e deixar na geladeira. "Mesmo que o suco perca um pouco de nutrientes, ele ainda é uma opção saudável", fala Fisberg.

  • 5 - Associe alimentos saudáveis a outros saborosos

    A distância entre o modelo ideal e o padrão real de nutrição infantil, muitas vezes, é grande. Mas pode ser encurtada se os pais estiverem dispostos a fazer certas concessões. Por exemplo, é mais fácil conseguir que o filho coma uma fatia de pão integral passando um pouco de creme de avelã, pasta de amendoim ou a geleia da preferência da criança. Só tome cuidado para não exagerar na dose.

  • 6 - Conheça o lanche que seu filho faz na escola

    Muitas vezes, a refeição que a criança faz no recreio, hora em que costuma estar com mais fome, é bastante nutritiva. Verifique o que a escola oferece (ou o que ela leva de casa) de modo que o café da manhã possa ser complementar. Talvez ela já coma um sanduíche no intervalo de aula, mas falte uma bebida láctea. Planeje o café de maneira a evitar repetições.

  • 7 - E se ele não come de jeito nenhum?

    Em casos em que a criança se recusa a comer na mesa com a família, procure convencê-la a, pelo menos, tomar um iogurte ou leite para não sair em jejum. Aos poucos, o lanche pode ser complementado com frutas ou sanduíches.

  • 8 - Evite oferecer somente guloseimas

    Oferecer apenas doces, alimentos processados e industrializados vai fazer com que a criança fique com o paladar viciado, não tendo interesse por outras opções mais saudáveis, ricas em fibras, vitaminas e minerais. Procure ter equilíbrio.

  • 9 - Estimule a intimidade de seu filho com os alimentos

    Nos momentos em que houver mais tempo, permita que a criança conheça melhor a comida que consome. Crie uma pequena horta em que ela possa plantar, regar e colher alguns legumes, leve-a junto ao mercado ou à feira para que escolha as frutas e deixe que ela prepare lanches, mesmo que venha a se sujar. Essa intimidade com a comida vai desenvolver um gosto maior pelos alimentos.

  • 10 - Implemente uma mudança de hábitos gradual

    As recomendações dos pediatras em relação a uma dieta saudável, muitas vezes, levam tempo para serem seguidas pelas crianças. Tenha paciência e promova mudanças graduais, incluindo hábitos novos aos poucos, sem exigir adesão total imediatamente. Do mesmo modo, não desista facilmente. É necessário insistir pelo menos 15 vezes antes de dizer que seu filho não gosta de determinado alimento.

  • 11 - Introduza novos sabores, texturas e preparos

    Sempre que possível, modifique o modo de preparo dos alimentos, investindo em formatos e sabores variados para que a criança possa estimular e desenvolver seu paladar. Por exemplo, o suco de laranja pode conter também cenoura, o ovo pode ser cozido em vez de mexido, o pão pode virar torrada e assim por diante.

  • 12 - Ofereça educação nutricional a seus filhos

    É necessário que a criança compreenda que o café da manhã é uma refeição importante, sem a qual ela talvez não consuma todos os nutrientes necessários para o dia. Explique os benefícios de cada alimento e estimule uma refeição equilibrada, oferecendo opções variadas sempre.

  • 13 - Fuja das neuras

    Alimentos industrializados não são os ideais, mas podem promover uma transição até que a criança consiga introduzir versões mais saudáveis na dieta. O suco de fruta de caixinha, por exemplo, pode ser uma alternativa para evitar o refrigerante e ajudar a quebrar o jejum até a hora do recreio.

  • 14 - Quem estuda à tarde precisa levantar bem antes do almoço

    Crianças que estudam à tarde tendem a acordar na hora do almoço, perdendo o café da manhã. Com isso, perdem também a chance de consumir laticínios e cereais e acabam desregulando o relógio biológico no que se refere ao sono e à fome. Implemente uma rotina de horários para que elas possam dormir e acordar mais cedo, fazendo todas as refeições do dia.

Topo