Últimas de Estilo de vida

6 atitudes cheias de boas intenções dos pais que deseducam o adolescente

Getty Images
O adolescente deve ser ensinado, ainda na infância, a cuidar dos próprios pertences imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

 

Com a melhor das intenções, e o objetivo de apoiar o filho em um momento tão delicado como é a adolescência, os pais acabam com várias possibilidades de amadurecimento do jovem. O UOL conversou com três especialistas e reuniu, a seguir, algumas atitudes que os pais podem evitar, pois trazem consequências negativas ao adolescente, agora e no futuro.

Fontes: Sylvia Flores, psicóloga especializada em psicopedagogia pelo Centro Universitário de Belo Horizonte; Marina Vasconcelos, psicóloga e terapeuta de família pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e Marilda Novaes Lipp, psicóloga e organizadora do livro "O Adolescente e seus Dilemas" (Papirus Editora).

  • Repor a mesada sempre que ele ficar sem dinheiro

    O maior benefício da mesada, para crianças e adolescentes, é ensinar a controlar o próprio dinheiro. Porém, se toda vez que o dinheiro acabar antes da data combinada, o pai liberar uma verba extra, não haverá aprendizado. No entanto, se o jovem fica frequentemente sem dinheiro no meio do mês, vale repensar se a quantia oferecida está de acordo com os gastos que ele faz. Outra alternativa para contornar o problema é mudar o período de pagamento da mesada. Em vez de uma vez por mês, os pais podem liberar o dinheiro semanalmente, até que o filho aprenda a se controlar.

  • Elogiar qualquer trabalho que ele faça

    Quando o filho é criança, é comum os pais valorizarem absolutamente tudo o que ele faz, ainda que seja um desenho cheio de rabiscos. Porém, à medida que a criança vira um adolescente, a atitude dos adultos deve mudar, pois é papel deles ajudar o filho a desenvolver senso crítico. Se ele faz algo malfeito e é elogiado, passará a acreditar que tudo o que produz é bom, que não precisa se aperfeiçoar em nada. Assim, se a tentativa do filho não foi suficiente para render um resultado satisfatório, vale elogiar o esforço e apontar, com delicadeza, o que pode ser melhorado. Leia mais

  • Pagar professor particular quando ele estiver prestes a ser reprovado

    A aula extra é válida quando há dificuldade de compreensão de uma determinada disciplina. Nesse caso, o estudo com o professor particular ajudará, de fato, o desempenho do jovem. O problema é encarar esse reforço de última hora como uma medida que estará à disposição sempre que ele não fizer sua parte na escola. Dessa forma, ele não sofrerá as consequências dos próprios atos.

  • Matricular o adolescente em várias atividades extracurriculares

    Natação, judô, balé, aulas de idioma, de gastronomia e desenho. Há uma infinidade de cursos que atraem os jovens fora do período escolar. E, de fato, eles ajudam no desenvolvimento. No entanto, impor uma agenda de executivo, lotada de compromissos, traz mais malefícios do que benefícios O adolescente necessita de tempo livre para pensar e para aprender a ficar sozinho. Quando está sempre ocupado, não desenvolve a habilidade de refletir. Outro risco é o jovem desenvolver transtornos de ansiedade, cada vez mais comuns nessa faixa etária.

  • Fazer os trabalhos escolares para o filho

    A melhor ajuda que os pais dão na vida escolar do adolescente é manter o interesse pelo que ele está aprendendo, no entanto, isso nada tem a ver com assumir as atividades do filho, quaisquer que sejam elas. Se o jovem não se organizou adequadamente para fazer a tarefa, por exemplo, é melhor que ele vá à escola sem o dever e explique isso à professoraa. Essa atitude o ensinará a lidar com os resultados das próprias ações. Essa é a fase da vida em que o indivíduo precisa entender que não pode se apoiar nos outros sempre, esperando que abram o caminho para ele. Melhor do que isso é se colocar à disposição para ajudar e também instruir o adolescente a procurar alternativas diante das dúvidas que surgirem.

  • Arrumar o quarto do adolescente

    Limpar o cômodo de vez em quando, tudo bem, mas os pais não devem assumir a organização do quarto do filho. O adolescente deve ser ensinado, ainda na infância, a cuidar dos próprios pertences, a guardar roupas e objetos que não estiver usando etc. Se os pais arrumam o quarto do adolescente, ele nunca vai aprender a cuidar do espaço que tem e, no futuro, até da própria casa.

Topo