Gestação

Governo britânico oferece recompensa a mães que amamentam

AFP
O programa será testado com 130 mães de áreas pobres da Inglaterra até março imagem: AFP

Um programa do governo britânico vai oferecer uma recompensa no valor de mais de R$ 700 para mães que amamentem seus bebês. O esquema piloto –custeado pelo governo britânico e por uma associação de pesquisa médica– está sendo implementado em áreas pobres de South Yorkshire e Derbyshire, no norte da Inglaterra. As mães receberão cupons para serem gastos em lojas e supermercados.

O esquema será testado com 130 mães até março. Caso seja bem-sucedido em estimular a amamentação, ele pode se transformar em um programa de escala nacional.

Essa não é a primeira vez que estímulos desse tipo são usados pelo NHS –o sistema nacional de saúde pública da Grã-Bretanha. Um programa semelhante já foi usado para combater o cigarro e estimular a perda de peso.

As regiões de South Yorkshire e Derbyshire foram escolhidas por apresentarem baixos índices de amamentação. Em média, apenas cerca de 25% das mães amamentam entre a sexta e oitava semana após o nascimento. A média nacional é de 55%.


Uma parte do dinheiro –120 libras (cerca de R$ 430)– estará disponível antes mesmo de elas começarem a amamentar. O restante é desembolsado depois. Todas as mães terão acompanhamento de agentes de saúde. Pesquisas sugerem que amamentação ajuda no desenvolvimento da saúde dos bebês e a prevenir problemas estomacais e infecções.

Clare Relton, uma especialista da Universidade de Sheffield, universidade que participa do esquema piloto, disse que o programa pode ajudar a tornar a amamentação um padrão normal, e não na exceção.

Mas Janet Fyle, do Royal College of Midwives, uma entidade de representação de parteiras, questiona o programa. "O motivo para a amamentação não pode ser baseado em recompensa financeira. Ele precisa ser algo que a mãe quer fazer, que seja do interesse da sua saúde e do bem-estar do filho."

 

Topo