Infância

Pais presos por 'sequestrar' filho de hospital dizem que ele se curou de câncer

Getty Images
Ashya foi levado do hospital de Southampton pelos pais, contrariando as ordens médicas imagem: Getty Images

Os pais do menino britânico Ashya King, que foram detidos em Madri, na Espanha, depois de levarem o filho de um hospital no sul da Inglaterra contra as ordens dos médicos no ano passado, alegam que a criança de cinco anos está curada de um câncer no cérebro.

O caso de Brett e Naghemeh King teve grande destaque na mídia internacional. Eles eram procurados pela polícia depois de tirar Ashya do Hospital Universitário da cidade de Southampton e tentar levá-lo para Praga, na República Tcheca, em busca de um tratamento que não estava disponível no NHS, o sistema público de saúde britânico.

Em uma entrevista ao jornal britânico "The Sun", Brett King disse que, um recente exame de tomografia computadorizada, "não mostrou sinais dos tumores malignos".

Contrariando ordens médicas, eles fugiram do hospital com a criança, em agosto do ano passado. Viajaram para a Espanha, mas foram presos a pedido das autoridades britânicas.

Brett e Naghemeh passaram mais de 24 horas na prisão de Soto Del Real, em Madri, mas o pedido de extradição para o Reino Unido foi abandonado pela promotoria depois de as autoridades considerarem o argumento de que a vida de Ashya estava em risco.

Ashya tinha sido diagnosticado com um tumor no cérebro, removido por cirurgiões em Southampton, em julho do ano passado. No mês seguinte, ele passou por uma nova cirurgia. Os procedimentos deixaram sequelas: Ashya perdeu a fala e não conseguia mais comer ou beber sozinho.

Para tentar evitar que o tumor voltasse, os pais do menino queriam que ele fosse submetido à terapia de feixe de prótons. Na ocasião, a direção do Hospital Universitário de Southampton disse que as chances de recuperação do menino com o tratamento regular eram muito boas e de que "não haveria benefícios" com o uso dos feixes de prótons.

Brett e Naghemeh, porém, levaram o menino para a Espanha, onde têm uma casa de veraneio, e arrumaram por conta própria uma sessão de terapia em Praga, no Centro de Terapia de Prótons.

Enquanto os pais estavam detidos na Espanha, o menino ficou sob os cuidados de um hospital da cidade espanhola de Málaga.

Poucos dias depois de os pais de Ashya serem liberados na Espanha, em setembro, o garoto já estava recebendo tratamento com prótons em Praga. Segundo Brett King, o menino voltou a falar e até brinca com o irmão e a irmã em um parque perto da casa na Espanha, onde se recupera.

"Tudo pelo que passamos nos últimos meses valeu a pena, porque Ashya está se recuperando", afirmou o pai.

Topo