Gravidez e filhos

Inspirada por mudança do pai, escritora cria livro infantil de ursinho transgênero

Jessica Walton
Jessica Walton admite que não entendia transgêneros bem antes da mudança do pai imagem: Jessica Walton

Certo dia, o ursinho Thomas confessa ao seu melhor amigo que não quer mais brincar porque está triste. Ele sempre soube que no fundo é uma ursinha que gostaria de ser chamada de Tilly.

O amiguinho Errol fica aliviado, porque "está tudo bem" e lhe promete amizade eterna.

Assim começa Introducing Teddy - Apresentando Teddy, em tradução literal -, o livro infantil que a australiana Jessica Walton está perto de financiar através do site Kickstarter.com.

A obra foi inspirada na história do pai de Walton, que há alguns anos assumiu que, por dentro, sempre se sentiu mulher.

Durante a transformação do pai, Walton - que é casada com uma mulher - teve um filho. Para ele, Errol, o pai de Walton é, desde sempre, a avó Tina.

"Em muitos aspectos, a minha família é das mais normais e desinteressantes. A minha companheira e eu somos gays, o meu pai é transgênero - mas nós vivemos o dia a dia como todo mundo. Podemos até parecer estranhos para quem nunca foi exposto a coisas assim, mas estamos apenas tentando ser felizes e vivendo as nossas vidas", afirmou Walton à BBC.

Ilustrador

A australiana diz que a transição do pai também lhe chamou atenção para o fato de que não existem livros infantis com personagens transgênero. 

Divulgação
Projeto surgiu quando Walton percebeu uma carência de obras com personagens transgêneros imagem: Divulgação

"Quando o meu filho nasceu, a minha companheira e eu procuramos por todos os cantos livros com pais gays, para que o nosso garoto pudesse crescer lendo livros que refletem a sua vida e a sua família. Achamos alguns excelentes livros com personagens que são pais gays", diz Walton no Kickstarter. "No entanto, a única coisa que ainda está faltando na estante do Errol é um livro ilustrado com personagens transgênero e de gênero fluidos."

Para ilustrar a obra, Walton convenceu o artista Dougal MacPherson, criador dos "desenhos de 15 minutos".

Até o momento, as ofertas já ultrapassaram o valor mínimo, mesmo faltando 20 dias para a conclusão do leilão de crowdfunding.

A funcionária pública australiana, que já foi professora, levantou quase 16 mil dólares australianos (mais de R$ 40 mil) no site até agora.

Para Walton, a publicação do livro, até dezembro, deve marcar o início de uma série de histórias sobre minorias.

Ela própria, além de homossexual, é também amputada - ela perdeu uma perna em consequência de uma doença na infância.

"Gostaria de continuar escrevendo livros com personagens diversos e famílias. Acho que existe uma necessidade de mais livros ilustrados com personagens transgêneros, gêneros fluidos, gays, lésbicas e bissexuais", escreveu Walton.

A tiragem inicial deve sair com 400 livros. Se todos forem vendidos, a escritora já planeja uma segunda edição.

Para quem está curioso sobre o fim do livro, Tilly e Errol aparecem fazendo as mesmas brincadeiras que sempre fizeram. Mas a agora ursinha está feliz.

Topo