Gravidez e filhos

Atividade física é positiva para a fertilidade, mas em excesso pode ter efeito contrário

Thinkstock
Médicos recomendam a prática de exercícios físicos para todas as mulheres, mas sem excessos imagem: Thinkstock

Rafael Roncato

Do UOL, em São Paulo

Para manter corpo e mente saudáveis, especialistas recomendam alimentação equilibrada e atividades físicas. A regularidade da menstruação e a fertilidade estão entre os beneficiados de um estilo de vida saudável. "Os exercícios melhoram a pessoa de uma maneira geral: resistência, imunidade, bem-estar, autoestima. E são muito importantes não apenas para quem planeja ter um filho, mas para todos", explica Carlos Alberto Petta, obstetra e coordenador do Centro de Reprodução Humana do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, e do Centro de Reprodução Humana de Campinas.

De acordo com Gilberto da Costa Freitas, coordenador do setor de reprodução humana do Hospital Pérola Byington, o exercício físico regular tem papel extremamente importante no metabolismo e na proporção das gorduras. "Qual a importância das gorduras no corpo da mulher? O funcionamento adequado dos hormônios que controlam o ciclo menstrual dependem do metabolismo delas", explica o médico. Segundo Silvana Chedid Grieco, médica especialista em reprodução humana, além da menstruação, os hormônios também servem como um regulador da ovulação e da fertilidade.


Exageros
Fazer exercícios mais do que o recomendado, entretanto, pode trazer problemas tanto para o ciclo menstrual, quanto para a fertilidade. Segundo os especialistas, o exercício físico exagerado e por longos períodos pode levar à queima dos estoques de gordura do corpo. "Nesses casos, há alterações metabólicas e hormonais que podem interferir na secreção dos hormônios responsáveis pela estimulação dos ovários", explica Silvana. As alterações desses hormônios podem bloquear a ovulação e levar a mulher a ter períodos de amenorreia (ausência de menstruação).

"Geralmente, isso acontece nas atletas de alto nível, bailarinas, maratonistas ou qualquer pessoa que se submeta a programas intensos de exercícios", explica Claudio Bonduki, professor-assistente do departamento de ginecologia da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). 

Não é possível definir um padrão geral para as mulheres do que é o excesso de atividade física, pois os limites de cada indivíduo variam. Porém, no geral, os médicos recomendam a prática quatro vezes por semana e, no máximo, duas horas por dia, de intensidade moderada. "Apesar de ter um caráter individual, quanto maior a intensidade dos exercícios, maior será a perda calórica e, consequentemente, haverá alterações hormonais", diz Freitas.

Orientações
A regularidade do ciclo menstrual representa um aspecto importante da fertilidade feminina. Mulheres que menstruam regularmente (ciclos com intervalos de 28 e 30 dias) ovulam com maior frequência e são mais férteis. Quando a mulher que se exercita bastante nota que seu ciclo menstrual está alterado, é bom ter atenção, porque pode ter menos chances de engravidar. 

"A orientação é que as mulheres reduzam a carga de exercícios e procurem seguir uma dieta balanceada para funcionamento hormonal adequado", explica Renato Fraietta, médico-assistente e coordenador do setor de reprodução humana da Unifesp. Segundo ele, atividades físicas não têm contraindicação, o problema é o excesso. "Sem exageros e com uma boa alimentação, a tendência é de os ciclos e a ovulação se regularizarem, dependendo da idade e potencial fértil de cada mulher", completa.

 

Topo