Infância

Com paciência e uma boa tesoura, é possível cortar o cabelo das crianças em casa

Simone Gomes

Do UOL, em São Paulo

Aparar o cabelo do filho não é um bicho de sete cabeças, mas pode ter resultados melhores do que aquela clássica franja torta que denuncia as crianças que tiveram os cabelos cortados em casa. Para isso, confira as dicas colhidas pelo UOL Gravidez e Filhos com a cabeleireira Sandra Santos, do salão especializado em atendimento infantil Glitz Mania, em São Paulo.

Se o seu filho tem entre 1 e 3 anos, mais do que tesoura e habilidade, você precisará ter paciência, porque é normal que ele sinta medo de cortar o cabelo. Então, um bom truque pode ser distraí-lo com seu brinquedo favorito. Caso ele comece a chorar ou fique impaciente, o melhor é parar e acalmá-lo. Por isso, se estiver com pressa, nem comece a operação. “A criança é quem dita o ritmo do corte”, afirma Sandra.

Outra recomendação é deixar para os profissionais a realização de cortes mais elaborados e, no caso dos meninos, os feitos com máquina. Se o seu filho tem o cabelo muito crespo, é melhor levá-lo a um salão de cabeleireiro. Procure se limitar a aparar pontas e franjas.

Com o que cortar e onde

Antes de iniciar o corte, é preciso ter os instrumentos adequados à mão. Uma tesoura afiada e precisa é fundamental. Ela não precisa necessariamente ser de uso profissional de cabeleireiros, mas também não vale improvisar com aquelas de cortar papel, usadas por crianças. Agora, se quiser aparar em casa com frequência, vale investir na compra de uma boa tesoura em lojas especializadas.

Completam a lista de materiais necessários um borrifador de plástico –para colocar água e molhar os fios antes de cortar– e um pente fino. Se quiser um resultado melhor com franjas, você pode comprar, ainda, uma tesoura para desfiar, o que deixará o cabelo mais leve.

Definir o local do corte também é importante. Uma ideia é usar o cadeirão de alimentação, colocando a criança de frente para um espelho grande, como em um salão de beleza. Além de facilitar o trabalho, de acordo com a cabeleireira Sandra, a criança também vai se distrair se observando. O fundamental é que o menino ou a menina fique em uma altura confortável para quem vai fazer o corte.

  • Distrair a criança com brinquedos é uma boa tática

Como fazer

Para ambos os sexos, com todos os tipos de cabelo, o começo do processo de aparar é igual: molhar os fios e penteá-los. No caso das meninas, que normalmente têm fios mais compridos, inicie o corte dividindo os cabelos ao meio no topo da cabeça. Prenda com presilhas no alto e comece aparando a parte de trás. Vá soltando o cabelo à medida que for terminando de cortar os fios que estão soltos.

Outra observação da profissional é não cortar costeletas nas meninas, já que nelas essa parte deve acompanhar o comprimento do restante do cabelo.

Se o seu filho ou filha tem franja, deixe-a por último. Essa área é a que demanda mais atenção por sua proximidade com os olhos da criança. A pessoa que for cortar deve ter muito cuidado ao manusear a tesoura, sempre protegendo o rosto para o caso de a criança fazer um movimento repentino.

O primeiro passo na hora de cortar a franja é isolá-la com fivelas de cada lado da cabeça. Pense no comprimento ideal, mas deixe uma sobra para que você possa encurtar mais se preferir ou corrigir eventuais falhas.

Segundo Sandra, o processo de aparar em meninos é semelhante ao das meninas. O que o diferencia é que normalmente eles têm cabelos curtos e a pessoa que for cortar terá de acertar o “pé” (a área da nuca) e as costeletas.

  • Corte a franja aos poucos para evitar falhas

Como fazer uma franja

Se a criança não tem franja e você quer fazer uma. Basta definir a quantidade de cabelo que você quer e separar com a ajuda de um pente fino, grampos ou prendedores.

Na sequência, penteie para a frente, meça o comprimento a ser cortado, acrescente um ou dois centímetros e faça um corte reto. Acerte o comprimento repicando as pontas com cuidado.

Dicas

Fique atento caso o cabelo tenha redemoinhos. Eles fazem os fios crescerem em várias direções, armando topetes. A recomendação da cabeleireira Sandra Santos é evitar cortar muito para que o cabelo não fique com aparência de porco-espinho.

No caso dos cabelos encaracolados, em crianças de ambos os sexos, a dica da profissional é tirar menos no comprimento para que os fios não fiquem muito volumosos.

A profissional ainda recomenda que os cabelos das meninas sejam aparados a cada seis meses. Antes disso, só se houver uma necessidade pontual, como uma franja que cresceu rápido demais. Já o dos meninos –se a intenção for manter o corte tradicional, que é curto– o processo deverá acontecer a cada dois ou três meses.

Em ambos os casos, lembre-se de que os cabelos molhados parecem mais compridos do que são. Corte, portanto, um pouco maior do que o que você deseja, pois, quando os fios secarem, diminuirão de tamanho.

Topo