Gravidez e filhos

Na gestação, exercícios e outros cuidados previnem varizes e atenuam desconfortos

Thinkstock
Descansar com as pernas elevadas acima do quadril ajuda a prevenir varizes imagem: Thinkstock

Daniela Venerando

Do UOL, em São Paulo

A gravidez é fator de risco para o surgimento de varizes –veias dilatadas e tortuosas que se desenvolvem sob a pele– ou pode ainda agravar o quadro no caso de mulheres que já conviviam com o problema antes de engravidar. "De 20% a 30% das mulheres desenvolvem varizes durante a gestação", diz Nelson Wolosker, cirurgião vascular do Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), estima-se que 30% da população mundial têm varizes, sendo 70% mulheres e 30% homens. "Nas gestantes, o aumento do hormônio progesterona age de forma que relaxa a parede da veia, favorecendo sua dilatação anormal e a formação de varizes. No final da gravidez, no terceiro trimestre, há uma compressão do útero sobre as veias do abdome e da pelve devido ao grande volume uterino e isso dificulta o retorno venoso das pernas”, diz Adnan Neser, presidente da SBACV-SP (Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular de São Paulo).

Quando as veias se dilatam, a mulher pode sentir cansaço, inchaço e dores nas pernas, principalmente nas panturrilhas e no final do dia. Algumas gestantes ainda podem apresentar sintomas como coceira, inflamação nas veias, e, em casos mais graves, úlceras na pele, varicorragia (sangramento) e trombose (formação de coágulo de sangue). Este último problema acomete por volta de 2,5% das grávidas ou de mulheres em um período de 15 dias após o parto, segundo um estudo do Hospital São Luiz, também na capital paulista, de 2009 com 400 grávidas.

Segundo o médico Jorge Kalil, chefe do serviço de cirurgia vascular do Hospital São Luiz, o melhor remédio para as varizes é a prevenção. "Antes a medicina só tratava o problema. Hoje isso mudou. A mulher que sofre com as varizes e planeja ter um filho deve consultar um angiologista antes mesmo de engravidar."

Como as varizes se formam

O sangue é bombeado pelo coração para dentro das artérias, que por sua vez o conduzem para todas as partes do corpo.

Cabe às veias mandar o sangue de volta ao coração. Nesse caminho, essas precisam vencer a gravidade. Para ajudar nesse trabalho, as veias contêm válvulas.

Com o tempo e em algumas pessoas, essas válvulas vão se afrouxando. Como elas não trabalham como deveriam, o sangue se acumula e alarga as paredes das veias, formando as varizes

De acordo com Kalil, a hereditariedade é o principal fator para o surgimento das varizes. Já os demais indutores do problema estão ligados a sobrepeso –daí a importância de controlar o peso na gravidez–, sedentarismo, trabalhos que exigem muito tempo em pé ou sentado e uso prolongado de anticoncepcionais.

Para prevenir ou atenuar os desconfortos provocados pelas varizes na gestação, adote as recomendações abaixo, indicadas pelos especialistas ouvidos pelo UOL Gravidez e Filhos:

- Mantenha uma atividade física regular e prazerosa. As mais indicadas são aquelas que tonificam os músculos das pernas, como caminhadas, musculação, bicicleta ergométrica, hidroginástica e natação. É fundamental definir o exercício ideal em uma conversa com seu obstetra, já que algum pode ser contraindicado para você;

- Use meias elásticas de compressão de acordo com a prescrição do seu médico. Elas atenuam a dilatação dos vasos sanguíneos das pernas e evitam o acúmulo de sangue nas extremidades. O ideal é vesti-las ao acordar e retirá-las apenas na hora de dormir;

- Ao tomar banho ou se exercitar durante o dia, antes de recolocar a meia elástica, deite-se de 15 a 20 minutos com as pernas ligeiramente elevadas;

- Dê uma força para a panturrilha –considerada pelos médicos o “segundo coração”, ela é responsável por 70% do trabalho de retorno do sangue ao músculo cardíaco–, ajudando-a trabalhar. Faça um exercício simples que consiste em ficar nas pontas dos pés e abaixar. Repita o movimento algumas vezes durante o dia;

- Use saltos com três a cinco centímetros. Eles ajudam a panturrilha a trabalhar ao contrário do chinelo e da sapatilha sem salto algum. Também são contraindicados saltos altos e finos, que provocam dores nas pernas e nos pés, além de serem um fator de desequilíbrio;

- Não permaneça muito tempo parada na mesma posição, seja em pé ou sentada. Se trabalha o dia inteiro sentada, procure levantar e caminhar um pouco a cada 30 ou 45 minutos para ajudar o sangue a circular melhor;

- Mantenha uma dieta saudável para não ultrapassar a recomendação de ganho de peso feita por seu obstetra;

- Descanse com os pés para cima, na altura dos quadris, quantas vezes puder ao longo do dia;

- É recomendável fazer drenagem linfática, pois esse tipo de massagem ativa a circulação;

- Evite roupas apertadas, principalmente calças e meias, que dificultam a circulação sanguínea.

A gravidez semana a semana

Como tratar as varizes

Se mesmo com todos os cuidados na gestação, você desenvolveu varizes, a boa notícia é que elas tendem a diminuir após o parto, e é até possível que algumas desapareçam em um período de três meses. Já em quem passou pelo segundo parto, as veias dilatadas tendem a permanecer e a piorar.
 
Após três ou quatro meses depois de ter o bebê, a mulher pode se consultar com um angiologista para checar qual a melhor forma de tratamento para o seu caso.
 
A escleroterapia química –tratamento que seca a veia por meio de aplicação local de substância injetável–, é indicada só para tratar microvarizes ou vasos e para as varizes de calibre muito pequeno.
 
Para as demais veias, o tratamento é cirúrgico. Há dois métodos: a microcirurgia e a cirurgia convencional. “Atualmente, a maioria das mulheres passa pela microcirurgia, que é menos invasiva. Só em casos de exceção, o médico faz a convencional, na qual é retirada a veia safena (a melhor para ser utilizada como substituta em cirurgias cardiovasculares)”, diz Jorge Kalil.
 
A cirurgia não é vetada para as mulheres que estão amamentando, mas o médico deverá redobrar a atenção para evitar que alguns medicamentos não prejudiquem o leite da mãe. Já para aquelas que planejam ter um bebê, a cirurgia não é recomendada, já que há chance de os vasos se dilatarem novamente durante a gravidez e um novo procedimento ser necessário depois do parto.
 
Ainda existe o tratamento à base de laser. Nele um feixe de luz seca e fecha o fluxo sanguíneo da veia. O procedimento é visto com ressalvas por muitos médicos, porque apresenta um grande risco de deixar manchas na pele e não há garantia de que as varizes não reaparecerão.
 
Topo