Infância

Monte uma agenda de atividades para a babá fazer com seu filho

Thinkstock
Cantar e dançar são atividades que a babá pode fazer com as crianças de dois a quatro anos imagem: Thinkstock

Fabiana Gonçalves*

Do UOL, em São Paulo

Por mais que você confie no trabalho que a sua babá faz com seu filho na sua ausência, você já parou para pensar se o tempo dele está sendo bem aproveitado? Ociosa, a criança pode acabar passando muitas horas em frente à TV ou ao computador, quando poderia estar fazendo uma atividade que agregasse algo ao seu desenvolvimento.

"Essas brincadeiras são fundamentais para que as crianças tenham tanto o desenvolvimento motor quanto o cognitivo", afirma Teresa Schoen, psicopedagoga e doutora em ciências pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Uma solução para os pais é montar uma agenda de atividades para que a cuidadora tenha sempre à mão algo para fazer com a criança. "Retirar as crianças de qualquer idade da tela –do computador, da televisão, do tablet ou dos jogos eletrônicos– é de extrema importância para a socialização e traz benefícios imediatos para a saúde, como a prevenção da obesidade", declara Ricardo Barros, coordenador do Grupo de Trabalho Medicina Desportiva em Pediatria, da SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria).

Tempo livre
Segundo a psicóloga Flávia Maria de Paula Soares, independentemente da idade, as brincadeiras e os jogos devem entrar na rotina de meninos e meninas sempre como opção, nunca como dever. "As crianças expressam seus interesses. Por isso, as sugestões devem ser de forma espontânea. É bom lembrar que elas têm uma atividade motora intensa e esse tempo delas precisa ser respeitado, pois é uma exploração do espaço e do próprio corpo". Para os menores, é fundamental, ainda, que a programação reserve um tempo para o descanso.

De acordo com a psicopedagoga Teresa, é necessário, também, deixar que a criança brinque a sós, apenas sob a supervisão da babá. "Nesse momento, ela fala sozinha, interage com os brinquedos, o que é essencial para o seu desenvolvimento e para que não cresça dependente dos pais ou de quem cuida dela. Ao conversar com uma boneca, por exemplo, a menina expressa sentimentos, o que dificilmente faria se houvesse um adulto na brincadeira".

Veja sugestões de brincadeiras dadas pelos especialistas ouvidos pelo UOL Gravidez e Filhos de acordo com a idade:

De dois a quatro anos

Música e movimento
Não basta cantar com e para as crianças, é preciso repetir os gestos mencionados nas músicas. Uma boa alternativa é perguntar na escola do seu filho com quais canções ele está brincando lá e comprar os CDs e os DVDs para dar continuidade ao aprendizado em casa. "Se você não souber fazer os movimentos, aprenda com a professora para ensinar para a babá", diz Teresa.

Contar histórias
A psicopedagoga afirma que, nessa faixa etária, é preciso dar preferência para enredos curtos para prender a atenção das crianças. "Em todas as idades, ler é uma atividade interessante. A babá pode ler para a criança ou, se a criança já souber ler, pode revezar a leitura de trechos com ela", afirma Maria Angela Barbato Carneiro, coordenadora do Núcleo de Cultura e Pesquisas do Brincar da PUC (Pontifícia Universidade Católica) de São Paulo.

Preparar alimentos
A pessoa que cuida do seu filho pode aproveitar o momento no qual for preparar refeições simples –que não envolvam uso de facas nem do fogão–, como lanches e salada de frutas, para pedir a ajuda da criança. "Participando do processo de preparo, ela pode ter a curiosidade de experimentar algo que antes não apreciava", afirma a psicóloga Flávia Maria de Paula Soares.

De cinco a sete anos

Trabalhos manuais
Monte em casa um arsenal de materiais para pintar, desenhar, recortar, colar. Se a babá for habilidosa, fazer dobraduras pode ser uma opção. À medida que a criança domine as formas mais simples, pode se aventurar nas mais complexas. A realização desses trabalhos manuais são fundamentais para o desenvolvimento da coordenação motora fina, de acordo com a psicopedagoga da Unifesp. Outra ideia dada por Maria Angela, da PUC-SP, é recortar e colar figuras e, a partir delas, incentivar a criança a contar uma história.

Faz-de-conta
Brincadeiras como montar uma cabana no meio da sala ou assumir a identidade de um super-herói agradam a maioria das crianças e ajudam a desenvolver a imaginação e a criatividade, segundo Maria Angela.

Atividade física
Se for viável, a babá pode ser a responsável por levar seu filho para praticar algum esporte. A ideia é oferecer oportunidades para que ele exercite habilidades motoras básicas, como corrida, salto, arremesso e chute. "Dentro das modalidades esportivas mais indicadas nessa fase estão natação, corrida, salto, futebol, surfe, capoeira, danças, ginástica rítmica e olímpica", afirma o pediatra Ricardo Barros. Descer para brincar no pátio do prédio também é uma forma de exercício e estimula a socialização, já que a criança faz amigos na vizinhança. 

De 8 a 10 anos

Cuidar de uma horta
O plantio de hortaliças é uma ótima atividade e, ao contrário do que se possa imaginar, não requer uma área grande ou ao ar livre. A horta pode ser feita em vasos em uma área de serviço, por exemplo. "A babá pode fazer a criança participar desde a compra da semente, do adubo e da terra até o plantio das verduras e dos legumes. É muito bom que ela saiba o valor e o trabalho do cultivo de um alimento", diz Teresa Schoen.

Incentivo aos jogos
Brincar de amarelinha, queimada e pular corda são atividades que as crianças podem fazer com outras no playground sob a supervisão à distância da babá, já que nessa fase estão mais independentes. "Também é muito importante que a criança seja motivada a ter atenção seletiva (capacidade do cérebro de selecionar informações seletivas), com o uso de estratégias complexas da memória. Para isso, podem entrar em ação jogos como dama, dados, dominó e baralho", diz o pediatra Ricardo Barros.

*Colaborou Adriana Nogueira

Topo