Infância

Exercite-se com seu filho e colabore com seu desenvolvimento físico e emocional

Fabiana Gonçalves

Do UOL, em São Paulo

Se você é um pai ou uma mãe esportista ou se quer deixar de ser sedentário, que tal escolher um exercício que agrade a você e a seu filho e praticar com ele? Além dos já sabidos benefícios para a saúde de ambos, você vai contribuir com o desenvolvimento da criança e estreitará ainda mais os vínculos afetivos com ela.

“Qualquer exercício ou atividade cultural deve ser sempre partilhada com os filhos, pois isso demonstra parceria. É um tempo a mais com as crianças”, afirma o pediatra Ricardo Barros, coordenador do grupo de trabalho em medicina esportiva da SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria).

Praticar esportes foi considerado o segundo motivo de alegria para 94% das crianças ouvidas em uma pesquisa realizada pelo instituto Datafolha, a pedido da SBP, e divulgada no primeiro semestre deste ano. Só perdeu para o dia do aniversário, com 96%. O levantamento ouviu 1.525 crianças de quatro a dez anos, de todas as classes econômicas, de 131 municípios de todo o país. Na mesma pesquisa, 71% das crianças afirmaram ficar “tristes” e “muito tristes” longe da família.

“Dentre as várias atitudes que os pais podem adotar para estarem mais presentes na vida dos filhos, uma das principais é compartilhar atividades físicas com eles. Todos se exercitam e, simultaneamente, fortalecem os vínculos afetivos”, afirma o pediatra Joel Conceição Bressa da Cunha, do Departamento Científico de Saúde Escolar da SBP. Para o especialista, incluir a prática de alguma modalidade é ainda um forte estímulo para que a criança valorize o exercício físico no futuro.

O que fazer?

Se está decidido a praticar alguma atividade com seu filho, você tem de escolher algo que seja do seu gosto, mas que também seja adequado à faixa etária dele. A natação –modalidade que pode ser praticada a partir dos seis meses e, geralmente, até os dois anos com a presença dos pais na piscina– é uma indicação unânime entre os especialistas.

Segundo Luís Fernando Taioli, professor de natação infantil da Academia Competition, em São Paulo, a presença dos pais dentro d’água transmite confiança para a criança. “A troca de experiência e de informações durante a atividade auxilia para uma maior compreensão do desenvolvimento motor”, diz o profissional sobre a modalidade, que promove ainda aumento de tônus muscular, melhora do sono, do apetite e da respiração.

Para crianças entre três e cinco anos, segundo o pediatra Joel Conceição Bressa da Cunha, brincadeiras corriqueiras, como pega-pega e esconde-esconde, bastam como pretexto para pais e filhos mexerem o corpo juntos.

A partir de seis anos, adultos e crianças podem se aventurar em iniciação em artes marciais, atletismo, capoeira, balé, futebol, entre outras modalidades. “À medida que a criança aprende a avaliar a velocidade, a seguir objetos em movimento, tem mais equilíbrio e postura, atenção e memória mais desenvolvidas, pode se engajar em outras práticas esportivas”, fala Cunha.

Topo