Infância

Ensine e dê condições para que a criança organize os brinquedos

Juliana Zambelo

Do UOL, em São Paulo

Casa com criança tem brinquedos espalhados por todos os cantos e é difícil evitar que não seja assim. O tipo de objeto pode mudar conforme a idade dos filhos, passando do chocalho aos bonecos e carrinhos até chegar ao skate, mas a bagunça é uma dor de cabeça comum a muitos pais.

É possível, no entanto, ensinar a criança manter os brinquedos guardados desde cedo e passar a ela a consciência de que a organização é importante para tornar a vida mais fácil.

Segundo Maria Angela Barbato Carneiro, coordenadora do Núcleo de Cultura e Pesquisas do Brincar da PUC de São Paulo, a criança pode começar a ajudar na arrumação desde os dois anos. Nessa fase, ela ainda vai organizar à sua maneira e os pais terão de interferir, mostrando, de um jeito sutil, a forma correta, mas já vale como exercício. A partir dos cinco anos, o filho pode assumir algumas responsabilidades. Com cerca de sete, terá habilidade e maturidade necessárias para cuidar de seus pertences.

“Hoje em dia, as crianças não são educadas para arrumar a própria bagunça. Muitos pais acham que isso é tarefa deles mesmos ou da empregada. Mas elas devem ter responsabilidades desde pequenas”, afirma Maria Angela. “A partir de certa idade, são capazes de entender que coisas organizadas, sejam roupas, brinquedos ou papéis, são mais fáceis de serem encontrados.”

Mas para conseguir que o filho participe da arrumação e mantenha os brinquedos em ordem é preciso dar as condições necessárias. A organizadora profissional Ingrid Lisboa diz que um dos pontos mais importantes é que os objetos e os locais onde eles são guardados estejam, sempre que possível, na altura da criança.

"Por segurança, o ideal é não colocar nada muito alto. A intenção é evitar que a criança, na tentativa de alcançar o que quer, suba em algo", diz Ingrid. Também não é aconselhável empilhar muitas caixas, porque ela pode querer pegar a de baixo sem retirar as de cima e causar um acidente.

Outro ponto importante é separar os brinquedos em recipientes de tamanhos variados. “Um grande erro que os pais cometem com frequência é comprar uma caixa ou um baú enorme e colocar tudo dentro. Vira uma grande bagunça e o filho acaba não brincando com o que está no fundo”, afirma a organizadora.

Para garantir a conservação dos brinquedos, as caixas devem ser proporcionais: peças pequenas em caixas pequenas e só os brinquedos volumosos nas maiores.

Caixas transparentes ou com etiquetas de identificação permitem que a criança encontre o que procura com mais facilidade. Para quem ainda não sabe ler, a etiqueta pode ter ilustrações, dando um toque ainda mais pessoal ao ambiente.

Jogar fora brinquedos quebrados ou doar aqueles que a criança não usa mais são formas importantes de ajudá-la a manter as coisas em ordem, por isso são ações que precisam ser feitas regularmente.

Mais um papel importante dos pais nesse processo é dar exemplo, mantendo seus pertences arrumados no resto da casa. “Eles não podem exigir da criança o que eles mesmos não fazem”, afirma Maria Angela, da PUC.

Topo