Gestação

Conheça estratégias para amenizar enjoos na gravidez

Thinkstock
Dividir o café da manhã em duas etapas, consumindo primeiro alimentos secos, ajuda a atenuar desconfortos imagem: Thinkstock

Daniela Venerando

Do UOL, em São Paulo

Os enjoos são um desconforto que afeta a maioria das gestantes. Embora não se saiba ao certo a causa, muito provavelmente, ela está ligada aos níveis de gonadotrofina coriônica humana, hCG, o chamado hormônio da gravidez, que nos testes de gestação é o responsável por indicar que houve concepção. Tanto é que as grávidas de gêmeos são as que mais se queixam de enjoos devido às taxas elevadas dessa substância no corpo.

A fase mais acentuada se dá entre a sexta e a 12ª semana de gestação. Após esse período, costuma haver uma melhora dos sintomas, que variam muito de intensidade e quantidade de grávida para grávida. Inclusive a mesma mulher pode ter fortes enjoos em uma gestação e em outra não sentir absolutamente nada. Causas emocionais já foram relacionadas ao mal-estar, mas a medicina atual descarta essa hipótese.

O desconforto surge com mais frequência ao acordar e durante as refeições. "Por causa dos hormônios, as papilas gustativas das grávidas ficam mais inchadas e sensíveis ao paladar e ao cheiro, provocando uma aversão a certos alimentos, seguida pela vontade de vomitar. Elas também sofrem com uma salivação excessiva e um desconforto na região da garganta e do esôfago", afirma o ginecologista e obstetra Mariano Tamura. Também é comum sentir azia, que piora após o consumo de refrigerantes, de refeições pesadas ou gordurosas ou muito condimentadas.

A gravidez semana a semana

  • Reprodução


Para superar essa fase, os médicos recomendam que a gestante respeite sua mudança de paladar. Não há necessidade de comer algo a que se tenha aversão só porque é saudável. Todo alimento pode ser substituído por outra fonte sem comprometer a saúde da mãe e a do bebê.

Como o período da manhã costuma ser o mais crítico para a ocorrência de enjoos, uma dica é fracionar o café da manhã. "Prefira alimentos sólidos pela manhã, como biscoitos e torradas salgadas, e aguarde mais ou menos de 30 a 60 minutos para completar a refeição com frutas, leite, iogurte, entre outros alimentos", diz a nutricionista Tânia Rodrigues, da RG Nutri, empresa de consultoria nutricional.

Mesmo sendo desagradável, lembre-se que o desconforto é passageiro e não há risco à saúde com exceção dos casos em que a mulher tem enjoos muito fortes e vomita excessivamente, ou seja, sofre de hiperêmese gravídica, problema que levou a duquesa de Cambridge, Kate Middleton, a ser hospitalizada no início de sua gestação. A hiperêmese pode causar desnutrição, desidratação e desequilíbrio de sais minerais no corpo. Em casos extremos, algumas mulheres acabam machucando o esôfago, canal que conduz o alimento até o estômago, podendo cuspir sangue.

"Nos casos leves, recomenda-se medidas comportamentais (veja abaixo) e em outros devem ser prescritos medicação. Há remédios que não comprometem a saúde da mãe nem a do bebê. Internação é exceção e indicada em casos graves ", diz o ginecologista Ricardo Andrade Freire, obstetra do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo. 

Dicas para driblar o enjoo

Fracione as refeições: realize de cinco a seis diariamente;

Antecipe o jantar e coma algo leve antes de dormir. Não é aconselhável deitar com a barriga cheia após as refeições a fim de evitar azia;

Nos intervalos das principais refeições, abuse das frutas. As ácidas são as mais indicadas, como laranja, limão, kiwi, abacaxi, maçã verde e ameixa vermelha;

Prefira alimentos com menos gordura, como as carnes magras, peixes e frango. De preferência preparados na forma cozida, assada ou grelhada;

Geralmente há melhor aceitação por alimentos mais secos como torradas, biscoitos de água e sal, de polvilho e bolo de fubá;

Tome bastante líquido. Um copo de água com gotas de limão pode oferecer alívio;

Não beba muito líquido de uma vez só;

Alimentos muito quentes e aqueles com sabor e cheiro forte podem piorar o estado. Muitas mulheres se sentem melhores com alimentos frios ou gelados, que provocam menos contrações na musculatura do estômago;

Para algumas grávidas, o gengibre dá uma sensação de melhora. A raiz pode ser ingerida em pratos ou na forma de chá ou bala;

Deixe para escovar os dentes após o café da manhã para evitar náusea ou tente trocar a marca da pasta dental;

Evite perfumes e produtos de limpeza com cheiros muito fortes;

Realize suas refeições em ambientes calmos e com boa mastigação para facilitar o processo de digestão;

Embora não seja uma recomendação clássica dos médicos, muitas mulheres se beneficiam de práticas como meditação e acupuntura.

Os exames da gestante

  • Carla Borges e Orlando/UOL
Topo