Bebês

Móveis multifuncionais economizam espaço em quartos compactos

Valentina Figuerola

Do UOL, em São Paulo

Ambientes pequenos são uma tendência do mercado imobiliário. Garantir a funcionalidade e o conforto em espaços assim é um desafio, principalmente quando se trata do quarto do bebê, que deve atender às necessidades específicas de mãe e filho. Berço, trocador, cômoda e armário devem estar distribuídos de forma a não atrapalhar a circulação.

Mais do que isso: devem ser planejados para otimizar a ocupação do quarto que, mesmo compacto (com até 15 metros quadrados), precisa ser aconchegante e confortável. Modulados ou feitos sob medida, os móveis multifuncionais podem fazer o espaço render, sem perder a utilidade quando o bebê cresce.

“Se o quarto é pequeno, fique com o essencial e evite colocar muitos móveis para não obstruir a circulação nem que para isso tenha de abrir mão de algum item. A poltrona para amamentação, por exemplo, pode ir para o quarto dos pais”, afirma a arquiteta Orlane Santos.

Móveis que assumem mais de uma função, como a cômoda que também serve como trocador, ajudam a ocupar melhor o espaço. “A cômoda e o armário podem ser pensados para permanecer no quarto da criança por mais tempo. Se for esse o caso, opte por peças neutras e ouse no visual de objetos mais fáceis de serem trocados no futuro, como quadros, tapetes e caixas”, diz Orlane.

Móveis confeccionados em marcenaria permitem um melhor aproveitamento dos ambientes, sobretudo dos pequenos, que muitas vezes não têm as suas necessidades atendidas pelos móveis modulados. Para Séfora Wanderley, da loja Meu Pequeno Anjo, de São Paulo, especializada no planejamento e decoração de quartos de bebês, o armário é um dos itens que mais compensa ser feito sob medida para quartos compactos.


“É possível criar peças que atendam às necessidades da criança em momentos diferentes, como um armário com trocador embutido, que pode virar bancada de estudos no futuro, por exemplo”, fala Séfora.

Móveis modulados costumam sair mais em conta do que os feitos sob medida. Berços prontos, com a certificação do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), que atendem aos requisitos de segurança estabelecidos pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) para prevenir acidentes com bebês, podem ser encontrados com trocador e cama auxiliar acoplados.

Cômodas de largura inferior a 90 cm e poltronas compactas, porém confortáveis, também são encontradas nas lojas especializadas, assim como armários com portas de correr, que ajudam a ganhar espaço.

Planejados ou não, os móveis podem vir com equipamentos de iluminação para deixar os quartos pequenos acolhedores, sem pesar muito no orçamento. “As fitas de LED proporcionam uma luz suave, que não agride os olhos, diferente das lâmpadas dicróicas”, afirma a arquiteta Samira Jarouche. As fitas podem vir embutidas dentro do guarda-roupa, apenas para iluminar as roupas. “A luz acende quando a mãe abre o guarda-roupa, sem incomodar o bebê, o que é bastante funcional”, diz Samira.

Além de aproveitar cada centímetro com soluções de marcenaria e peças versáteis, é preciso pensar na disposição do mobiliário a fim de não desperdiçar área. “A cômoda junto à parede permite a colocação de prateleiras em cima, o que não seria possível se o móvel estivesse sob a janela, por exemplo”, fala Séfora.

“Encostar uma das laterais do berço na parede também pode ajudar a ganhar área de circulação”, afirma a empresária. No entanto, cada caso é um caso, e tudo depende de variáveis como a forma do quarto e a posição da porta.

Topo