Bebês

Chá de apresentação poupa pais de enfrentarem maratona de visitas

Rita Trevisan e Thaís Macena

Do UOL, em São Paulo

Nos primeiros dias após o nascimento do bebê, quando a família ainda está se adaptando à nova rotina, recepcionar as visitas, mesmo as de pessoas muito chegadas, pode ser bastante cansativo. Para resolver de um jeito inteligente esse impasse, um novo tipo de comemoração começa a ganhar popularidade, o chamado chá de apresentação.

O evento pode ser organizado pelas avós, pelas tias, pela madrinha e, em alguns casos, pela própria mãe, que o esquematiza antes de ir para a maternidade. “É uma ótima escolha para a mulher que está muito cansada no final da gravidez e por isso prefere não fazer o tradicional chá de bebê, já que tem todo o enxoval montado e não está preocupada em ganhar fraldas”, afirma a organizadora de eventos Valéria Silveira, proprietária do Estúdio de Criação Lollipaper.

Mães mais animadas podem oferecer os dois tipos de recepção, o chá de fraldas, ou de bebê, e o chá de apresentação, sem nenhum problema.

Para a blogueira Renata Betti Yasuda, 32 anos, o chá de apresentação foi uma solução para reunir amigos e familiares que queriam conhecer seu filho, Antonio, sem se desgastar tanto. “Meu filho nasceu no meio de um feriado enorme e quase ninguém estava na cidade. Depois, todos ficavam me ligando querendo marcar um dia para me visitar. Como trabalho e não fico muito em casa, resolvi reunir o pessoal em um único dia para facilitar”, diz.

O bebê estava com 25 dias quando aconteceu o chá e ela garante que, nessa fase, estava mais adaptada aos cuidados com ele e, portanto, mais disponível para receber os conhecidos.

Porém, por mais que a mãe esteja descansada, esse tipo de comemoração, em geral, deve ser planejada para durar cerca de três horas e pode se iniciar no meio da manhã, ocasião para um brunch, ou no meio da tarde, quando um tradicional chá pode ser servido.

No caso de Renata, a opção foi manter o bebê protegido em seu próprio quarto e as visitas foram levadas uma a uma até lá. “As pessoas queriam conhecer o bebê e muitas ainda não tinham visto a decoração. Então, levei um convidado por vez, tendo o cuidado de pedir para higienizarem as mãos e tirarem os sapatos ao entrar. E foi tão tranquilo que o Antonio continuou dormindo o tempo todo, não notou nada de diferente na rotina”, diz a mãe, que restringiu o número de convidados de seu chá a apenas 20 pessoas, abrindo a casa para os que realmente eram muito íntimos.

No caso da avó coruja Carmen Lucia Moraes Piccolotto, 60 anos, o evento foi pensado para reunir 120 pessoas. “Para mim, foi um imenso prazer apresentar a minha neta, Lorena, para as minhas amigas. Queria que todos conhecessem a boneca que trouxe tanta felicidade às nossas vidas”, fala.

De tão feliz, ela não se importou em coordenar todo o evento, ao lado de uma organizadora de festas profissional. “A Lorena tinha um mês quando fizemos a comemoração e dormiu tranquila o tempo todo. Foi um encontro memorável.”

Para quem se animou com a ideia e quer organizar um evento do tipo, confira abaixo algumas orientações das especialistas.

Como convidar

Os convites devem estar de acordo com o tema da festa, que pode ser inspirada na decoração do quarto do bebê. O ideal é que sejam entregues com, pelo menos, 15 dias de antecedência e que informem o horário de início e de término do encontro, para que os pais não se desgastem tanto ao ter de recepcionar visitas durante um período muito longo.

No chá de apresentação, não é comum fazer lista de presentes ou indicar o que cada convidado deve levar. “Cada um pode presentear com o que quiser. A ideia é que as pessoas entreguem, em casa, o mesmo tipo de lembrancinha que levariam à maternidade”, diz a decoradora de eventos Deborah Doll.

Como ambientar a festa

Não é necessário investir tanto na decoração do ambiente, já que o objetivo é reunir apenas os mais íntimos e não conturbar demais a rotina da casa. Em geral, uma mesa com um bolo decorado e docinhos cuidadosamente embalados são o suficiente para emprestar ao ambiente o clima festivo.

Os pratos salgados e as bebidas podem ser servidos aos convidados ou serem arrumados em uma mesa, ficando à disposição de todos. Flores podem compor a decoração, mas é melhor evitar o excesso, para não correr o risco de agredir o olfato ainda tão sensível do recém-nascido.

Como a ideia é que o evento dure, no máximo, três horas, não é necessário pensar em outros tipos de atividades para entreter os convidados, como as famosas brincadeiras feitas nos chás de fraldas.

O que servir

“O mais comum é servir comidinhas rápidas, como lanches individuais, miniquiches, canapés, sucos, água, refrigerantes, chá e café. O destaque deve ficar por conta da mesa de doces, em que os convidados podem se servir a qualquer momento”, diz a designer de eventos Tati Ulhôa, da Decorando Emoções.

Espumante e prosecco podem ser servidos, principalmente se a família optar por brindar a chegada do bebê. No entanto, é recomendável evitar bebidas alcoólicas em excesso.

Lembrancinhas

Oferecer algo aos convidados como uma forma de agradecer a presença deles no evento é um gesto simpático. E, nesse caso, a lembrancinha fica mais charmosa se for personalizada com o nome da criança e a data do nascimento dela.

Minivasos com flores e cubos com as primeiras fotos do bebê servem como uma recordação especial. “Também é muito comum que as guloseimas dispostas na mesa, em embalagens fofas, sejam oferecidas como lembrancinhas”, diz Valéria Silveira, da Lollipaper. Minipotes charmosos contendo brigadeiro para comer de colher ou miniáguas minerais costumam agradar aos convidados. Bem-nascidos (a versão de bem-casados) são os quitutes mais tradicionais nesse tipo de evento.

Topo