Adolescência

Gritar com filho adolescente pode prejudicar seu desenvolvimento

Shutterstock
Segundo pesquisa, adolescentes cujos pais gritavam com eles sofriam mais sintomas de depressão imagem: Shutterstock

Relax News

Se você é pai de filhos adolescentes, pesquisadores dizem que a melhor abordagem é conversar, e não gritar.

Um novo estudo publicado nesta quarta-feira (4) descobriu que os adolescentes de 13 anos cujos pais gritavam com eles sofriam mais sintomas de depressão do que aqueles que os pais não faziam o mesmo. Os pesquisadores entrevistaram quase mil famílias nos Estados Unidos e a pesquisa foi publicada na edição online da revista "Child Development".

"Este é um dos primeiros estudos que indicam que uma dura disciplina verbal está danificando o desenvolvimento do adolescente", disse o pesquisador Ming-Te Wang, professor assistente de psicologia educacional na Universidade de Pittsburgh. "A noção de que uma dura disciplina não traz consequências, uma vez que há uma ligação forte entre pais e filhos- de que os adolescentes estariam entendendo que 'eles estão fazendo isso porque me amam' é equivocada porque o carinho dos pais não diminuem os efeitos dessa disciplina verbal muito dura", completou.

Pesquisadores da Universidade de Pittsburgh e da Universidade de Michigan observaram as consequências de xingar, insultar e gritar com crianças.

"Mesmo que a maioria dos mais não deseje machucar seus filhos, esse tipo de conduta não é incomum", disseram eles.

Entre os pais americanos, 90% disseram ter gritado com seus filhos em todas as suas idades pelo menos uma vez, e metade deles admitiu xingá-los, de acordo com uma pesquisa anterior.

Neste estudo, adolescentes e pais completaram a pesquisa, que durou dois anos, com tópicos sobre sua saúde mental, práticas educativas, qualidade da relação entre pais e filhos e questões demográficas gerais.

Aos pais, foram postas perguntas como "No último ano, após seu filho te desobedecer ou fazer algo errado, com que frequência você: a) gritou ou berrou com o filho; b) xingou ou praguejou o filho; c) falou que o filho era burro, preguiçoso ou algo parecido?" A resposta para os itens era uma escala de cinco pontos, que iam de 1 (nunca) a 5 (sempre).

Então, qual é a melhor maneira de disciplinar adolescentes? Respirar fundo se sentir muita raiva ou preocupação e, como Wang sugere, conversar com eles sobre as consequências de seu mau comportamento ao invés de gritar.

Topo