Gestação

Veja onde fazer fertilização in vitro gratuitamente ou gastando menos

Reinaldo Canato/UOL
Mariquinha Gonçalves Vilar e o marido, Wiliam Ricardo Batista, com a filha deles, Mariana Vitória. O casal conseguiu fazer uma fertilização mais em conta graças a um programa da Faculdade de Medicina do ABC imagem: Reinaldo Canato/UOL

Verônica Fraidenraich

Do UOL, em São Paulo

A cearense Mariquinha Gonçalves Vilar, 32 anos, tinha as trompas ligadas quando se casou pela segunda vez, com o paulista Wiliam Ricardo Batista, 35. Ele, por sua vez, era estéril desde a adolescência, quando, devido a um acidente, foi submetido a uma cirurgia de quadril e teve o canal deferente cortado, impedindo a passagem de espermatozoides na ejaculação. O casal acreditava que não poderia ter filhos até que, ao consultar um ginecologista em São Bernardo do Campo (SP), onde vive, soube que talvez fosse possível reverter a situação. 

“Embora já tivesse dois filhos do primeiro casamento, eu e meu marido queríamos muito ter uma criança, por isso fomos atrás de um tratamento”, diz Mariquinha.

Em agosto de 2012, eles procuraram o Instituto Ideia Fértil, localizado no campus da Faculdade de Medicina do ABC, em Santo André. Após participar de uma palestra, foram orientados a realizar uma série de exames. Com os resultados em mãos, souberam que poderiam tentar a fertilização in vitro (FIV), o que sairia por volta de R$ 6.000. Com a ajuda de familiares, eles pagaram o valor parcelado em três vezes.

Mariquinha tomou medicamentos para induzir a ovulação e fez ultrassonografias periódicas, que indicaram o melhor dia para a retirada de seus óvulos, por meio de uma punção com agulha. Ao mesmo tempo, os espermatozoides de Batista foram colhidos diretamente dos testículos.

Em seguida, foi feita a fecundação em laboratório e, quatro dias depois, dois embriões foram implantados no útero de Mariquinha. Outros dois ficarão congelados por até três anos, quando o casal decidirá por uma nova fertilização, a doação para pesquisas, para outra mulher ou, ainda, o descarte. Pelo armazenamento, o casal paga R$ 124 a cada três meses.

A ansiedade era tamanha que, no dia seguinte à implantação, ela fez o teste de gravidez de farmácia, que nada acusou. A confirmação só viria 21 dias depois, porém, um descolamento de placenta fez com que a mãe perdesse um embrião. O outro deu origem à Mariana Vitória, nascida em abril de 2013. 

Bons resultados

Assim como o casal, milhares de pessoas enfrentam dificuldades para engravidar. Segundo dados da OMS (Organização Mundial de Saúde), de 8% a 15% da população têm problemas de fertilidade. Nos homens, a causa maior está relacionada à falta de espermatozoides, enquanto nas mulheres está ligada à endometriose e a distúrbios de ovulação.

  • Reinaldo Canato/UOL

    A pequena Mariana Vitória nasceu por fertilização

Entre as técnicas de reprodução assistida, a fertilização in vitro é indicada para os casos mais complexos e apresenta resultados satisfatórios, cerca de 35% das mulheres conseguem engravidar após o tratamento. Esse número, porém, varia por diversos fatores, entre os quais, a idade da mãe –quanto mais velha, menores são as chances.

Os planos de saúde não cobrem esses serviços, que custam, em média, entre R$ 13 mil e R$ 20 mil, cada tentativa, em clínicas particulares. Normalmente, é necessária mais de uma para que a mulher consiga engravidar. O tratamento tampouco faz parte da tabela de procedimentos cobertos pelo SUS (Sistema Único de Saúde), embora 12 hospitais de todo o país (veja lista abaixo) –a maioria vinculada a universidades– ofereçam o atendimento.

Essas instituições contam com repasses do SUS via financiamento de origens diversas, como secretarias de saúde, Ministério da Educação, Ministério da Saúde ou órgãos de incentivo a pesquisas. No primeiro semestre deste ano, oito desses centros foram contemplados com verba do Ministério da Saúde de cerca de R$ 1,5 milhão cada um, para melhoria do serviço.

Dentre os 12, somente quatro hospitais oferecem a fertilização gratuitamente. Os demais cobram preços abaixo do mercado, relativos ao procedimento e/ou aos medicamentos, muitas vezes oferecidos com desconto graças a parcerias com empresas farmacêuticas.

Juntos, eles concentram mais de 7.000 pessoas nas filas de espera, que duram cerca de dois anos, podendo chegar a cinco. Isso faz com que sejam priorizadas as mulheres com idade média de 35 anos para se candidatarem aos procedimentos, visto que, quando atendidas, elas poderão estar com 40 anos.

Novas perspectivas

A boa notícia é que tem aumentado a oferta do serviço em clínicas particulares –muitas oferecem programas acessíveis para a população de baixa renda. “A participação privada cresceu bastante nos últimos dez anos e os serviços existentes no Brasil não têm nada a perder para os centros da Europa ou dos Estados Unidos”, afirma Adelino Amaral Silva, presidente da SBRA (Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida).

O médico diz que são atendidos em torno de 30 mil casos por ano no país, mas há uma demanda reprimida de outros 120 mil. “A situação poderia melhorar se o procedimento fosse regulamentado pelos seguros de saúde e os governos disponibilizassem mais verbas.”

Para o médico Mário Cavanha, diretor da divisão de Reprodução Humana do Hospital Pérola Byington, em São Paulo, a infertilidade traz profunda repercussão na vida social, conjugal e emocional do casal. “Claro que as doenças que matam devem ser priorizadas, mas o assunto é grave, pois atinge um em cada seis casais no país e merece atenção das autoridades.”

Onde fazer fertilização in vitro gratuitamente ou mais em conta

Distrito Federal

1 - Centro de Reprodução Assistida do Hospital Regional da Asa Sul**

Localização: Brasília
Critérios de seleção: dados clínicos, como a reserva ovariana feminina e a fertilidade masculina. Não há limite de idade, mas, como a fila de espera é de até cinco anos, são priorizadas as mulheres mais jovens
Como se inscrever: via posto de saúde do Distrito Federal, que após análise encaminhará o paciente para o Hospital Regional e, em seguida, para o ambulatório do centro
Tentativas oferecidas: até duas vezes
Custo médio: gratuito
Fila de espera: mil pessoas
Tempo estimado de espera: quatro a cinco anos
Mais informações: (61) 3445-7654 / 7604 ou www.saude.df.gov.br/programas/292-reproducao-humana.html

Goiás

2 - Hospital das Clínicas da UFG (Universidade Federal de Goiás)**

Localização: Goiânia
Critérios de seleção: ter até 41 anos, índice de massa corporal (IMC) menor do que 33 e a confirmação da necessidade do tratamento. Atende pacientes de todo o Brasil
Como se inscrever: procurar a rede básica de saúde que, diagnosticado o caso, marcará a primeira consulta na Central de Regulação da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia
Custo médio: de R$ 700 a R$ 3.000 pelo material de laboratório e medicamentos
Tentativas oferecidas: até três vezes, porém cada caso é analisado individualmente
Fila de espera: o hospital disse não ter esse dado
Tempo estimado de espera para ser atendido: um ano
Mais informações: www.labrep.hc.ufg.br

Minas Gerais

3 - Hospital das Clínicas da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais)**

Localização: Belo Horizonte
Critérios de seleção: cada caso é estudado individualmente, mas é preciso ter até 40 anos –acima dessa idade, somente com óvulos doados por mulheres mais jovens
Como se inscrever: pedir a um médico um encaminhamento para o Ambulatório de Reprodução Humana do PAM da Sagrada Família, em Belo Horizonte. Esse encaminhamento deve ser levado à Secretaria de Saúde da cidade em que a pessoa reside ou à Unidade Básica de Saúde do seu bairro, se residente na capital mineira, para que a consulta seja marcada via Central de Marcação de Consultas da Prefeitura de Belo Horizonte
Custo médio: de R$ 3.000 a R$ 4.000 pelas injeções de indução de ovulação, o que varia em cada paciente
Tentativas oferecidas: até três vezes
Fila de espera: 1.315 pessoas
Tempo estimado de espera: três anos
Mais informações: www.hc.ufmg.br

Pernambuco

4 – Imip (Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira)**

Localização: Recife
Critérios de seleção: ter menos de 35 anos e a confirmação do diagnóstico pelos médicos do hospital
Como se inscrever: via centro de saúde do SUS, que encaminhará para consulta no Imip
Custo médio: gratuito
Tentativas oferecidas: até duas vezes
Fila de espera: 1.250 pessoas
Tempo estimado de espera para ser atendido: cinco a sete anos
Mais informações: tel. (81) 2122-4100, ramal 4811

Rio Grande do Norte

5 - Maternidade Escola Januário Cicco** – pertence à UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte)

Localização: Natal
Critérios de seleção: necessidade comprovada do tratamento. Não há restrição de idade
Como se inscrever: as inscrições estão suspensas até 2014. Quando reabertas, serão feitas via centro público de saúde, que encaminhará para a triagem na maternidade, para realização do espermograma pelo homem e marcação da primeira consulta do casal
Custo médio: gratuito
Tentativas oferecidas: não tem limite
Fila de espera: cerca 800 pessoas
Tempo estimado de espera para ser atendido: de seis meses a um ano
Mais informações: tel. (84) 3342-5815

Rio Grande do Sul

6 - Hospital Fêmina**

Localização: Porto Alegre
Critérios de seleção: data da primeira consulta na Unidade de Reprodução Humana do hospital. Embora não exista limite de idade, é observado se a paciente tem chances reais de gestação
Como se inscrever: ser encaminhado para tratamento via rede básica de saúde do Estado
Custo médio: de R$ 2.500 a R$ 6.000, pelos medicamentos
Tentativas oferecidas: até três vezes
Fila de espera: 400 pessoas
Tempo estimado de espera para ser atendido: até dois anos
Mais informações: tel. (51) 3314-5235

São Paulo

7 - Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP**

Localização: São Paulo
Critérios de seleção: condições clínicas que confirmem a necessidade do procedimento e idade limite de 38 anos para a mulher. São priorizados os pacientes do próprio Estado
Como se inscrever: ser encaminhado para tratamento via rede básica de saúde do Estado
Custo médio: gratuito
Tentativas oferecidas: até duas vezes
Fila de espera: a informação não foi passada pelo hospital
Tempo estimado de espera para ser atendido: dois anos (dado de julho de 2013)
Mais informações: tel. (11) 2661-6244, das 7h às 16h

8 - Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP**

Localização: São Paulo
Critérios de seleção: dados clínicos, ter até 38 anos e morar no interior do estado de São Paulo
Como se inscrever: via centro de saúde pública que analisará necessidade da fertilização in vitro
Custo médio: entre R$ 2.000 e R$ 2.500, referente aos medicamentos, que são oferecidos com desconto por laboratórios farmacêuticos
Tentativas oferecidas: até três vezes
Fila de espera: 366 pessoas (dado de julho de 2013)
Tempo estimado de espera para ser atendido: um a dois anos (dado de julho de 2013)
Mais informações: o hospital não divulga telefone, mas diz que o posto de saúde está preparado para fornecer as orientações necessárias

10 - Hospital São Paulo da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo)**

Localização: São Paulo
Critérios de seleção: ter até 50 anos. Não há restrição quanto à cidade de origem
Como se inscrever: após cadastro por telefone, serão informados os dias para inscrição –também feita por telefone– na palestra mensal que o hospital oferece, cujas vagas seguem a ordem das ligações
Custo médio: de R$ 3.000 a R$ 11 mil pelos medicamentos, material de laboratório e as internações que não são cobertas pelo SUS
Tentativas oferecidas: depende de avaliação médica
Fila de espera: não existe
Mais informações:  www.hospitalsaopaulo.org.br/reproducaohumana.

11 - Hospital Santa Casa de São Paulo – instituição filantrópica e privada que oferece o serviço em parceria com o projeto Alfa (Aliança de Laboratórios de Fertilização Assistida)

Localização: São Paulo
Critérios de seleção: a confirmação pela equipe médica da triagem da necessidade da fertilização in vitro
Como se inscrever: o casal tem de participar da triagem feita no hospital, no Pavilhão Conde de Lara, de segunda-feira a sexta-feira, a partir das 6h. São distribuídas 200 senhas por dia. Levar documento de identificação
Custo médio: gratuito
Tentativas oferecidas: não há um limite
Fila de espera: mais de 500 casais
Tempo estimado de espera para ser atendido: um ano
Mais informações: tel. (11) 2176-7000

12 - Instituto Ideia Fértil

Localização: Santo André (SP)
Critérios de seleção: não há
Como se inscrever: o paciente deve agendar uma palestra por meio do telefone abaixo informado
Custo médio: De R$ 500 a R$ 8.000
Tentativas oferecidas: quantas forem necessárias
Fila de espera: não há
Mais informações: tel. (11) 4433-2830 ou www.ideiafertil.com.br

13 - Projeto Beta (clínica privada destinada a pacientes com problemas de fertilidade)

Localização: tem unidades em São Paulo, Sorocaba e Jundiaí
Critérios de seleção: não há
Como se inscrever: agendar uma palestra por telefone (veja número abaixo) e, em seguida, marcar consulta com um médico do projeto que orientará o casal quanto ao tratamento indicado. A consulta custa R$ 190 e inclui um retorno no prazo de três meses, um exame de ultrassonografia e um espermograma
Custo médio: o projeto não divulga valores e diz que depende da situação sócio-econômica do casal e do tratamento realizado
Tentativas oferecidas: não há limite
Fila de espera: não há
Mais informações: tel. (11) 3826-7017 ou www.projetobeta.com.br.

**Hospitais que recebem algum repasse do SUS. Não consta da lista o Hospital das Clínicas da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), porque, embora contatado, não forneceu as informações solicitadas pela reportagem

Topo