Adolescência

Pilates é seguro para adolescente praticar antes mesmo do estirão

Rodrigo Capote/UOL
André Pinho fazendo um dos exercícios de pilates, sob orientação do professor Alexandre Ohl imagem: Rodrigo Capote/UOL

Cris Oliveira

Do UOL, em São Paulo

André Pinho, 16 anos, é um adolescente ativo. Pratica futebol, tênis, além de ir para a escola e sair com os amigos em seu tempo livre. Mesmo sendo jovem e não sedentário, começou a sentir dores pelo corpo.

"Sentia muito incômodo na coluna, dores musculares e, quando procurei um médico, ele me orientou a praticar RPG [Reeducação Postural Global] ou pilates, que foi o meu escolhido. Comecei com as aulas, minhas dores foram melhorando e eu gostando cada vez mais do exercício", diz André, que começou a fazer aula com 13 anos.

Criado pelo alemão Joseph Pilates na década de 1920, o pilates é um conjunto de exercícios, que envolve ou não alguns aparelhos específicos. A atividade é praticada individualmente com a supervisão de um instrutor ou, no máximo, em grupos com três alunos.

  • Rodrigo Capote/UOL

    Há exercícios de pilates que podem ser feitos no solo, com equipamentos, como a bola

"Pilates é um exercício excepcional em qualquer idade e, com a maturidade, as crianças e adolescentes aprendem a realizar os exercícios de maneira adequada", declara Ricardo do Rego Barros, coordenador do Grupo Medicina Desportiva em Pediatria, da SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria).

André conta que o aparecimento das dores coincidiu com o seu estirão, fase da adolescência de rápido crescimento, na qual o indivíduo chega a crescer de oito a dez centímetros em um curto período de tempo, e que acontece entre os 13 e 15 anos.

“Não tinha nada de flexibilidade e nunca me alongava para praticar os exercícios, o que só piorou tudo“, fala o jovem.

Segundo o pediatra Barros, apesar de o estirão ser uma fase delicada para os adolescentes, quando alguns exercícios não são recomendados e outros só devem ser feitos sob intensa supervisão, o pilates pode ser praticado antes mesmo de ele acontecer, sem medo de qualquer tipo de lesão ou impacto negativo no crescimento.

“Não há nenhuma contraindicação em começar a prática antes do estirão, pois a possibilidade de ocorrerem danos nas chamadas placas de crescimento é mínima", diz o médico.

  • Rodrigo Capote/UOL

    André é orientado pelo professor Alexandre Ohl durante um exercício de pilates

Alexandre Ohl, coordenador do curso de pós-graduação em pilates da Unip (Universidade Paulista) e diretor do Plenitude Pilates Studio, em São Paulo, afirma que o pilates pode ser um grande aliado do jovem para que ele conquiste consciência sobre seu corpo em uma fase em que este está em constante modificação.

"Por meio de muitos elementos e estratégias dentro do método, ele promove o que o corpo requer, nesse nível de maturidade, como organização, mobilidade, resistência muscular, funcionalidade", afirma o especialista.

Na opinião do professor, os adolescentes se adaptam muito bem ao método, principalmente pelos aspectos desafiantes dos movimentos requeridos. “Esse motivo faz com que os jovens procurem espontaneamente o pilates e indiquem aos amigos.”

Topo