Gestação

Manchas atingem 75% das grávidas e estrias 90%; saiba evitar

Louise Vernier e Thaís Macena

Do UOL, em São Paulo

Estrias e manchas na pele durante o período de gestação são problemas mais comuns do que se imagina. Segundo pesquisa da Universidade de Washington, publicada no “International Journal of Dermatology”,  75% das futuras mães sofrem com os melasmas, manchas escuras que costumam aparecer no rosto. Além disso, 90% das gestantes estão vulneráveis ao aparecimento de estrias na barriga e nos seios.

De acordo com Gabriela Haddad, dermatologista pela Unesp (Universidade Estadual Paulista), mulheres cujas mães ou avós apresentaram muitas estrias na gestação têm mais chance de serem vítimas desse mal. 

A elevação dos níveis dos hormônios progesterona e estrógeno, típica da gravidez, associa-se ao aumento da pigmentação e até à predisposição para estrias e varizes, causando os problemas estéticos que tiram o sono –e o humor– de quem está se preparando para ter um bebê. 

Felizmente, as alterações de pele da gestante não são decorrentes apenas da genética e das alterações fisiológicas características do período. Há, ainda, fatores ambientais e nutricionais envolvidos e, nesses casos, é possível agir.

  • Getty Images

    Controlar o ganho de peso ajuda evitar o aparecimento de estrias

Protetor solar e chapéu

A exposição ao sol favorece o aparecimento do melasma, mais comum a partir do segundo trimestre de gestação.  Para preveni-lo, o protetor solar é item obrigatório.

A dermatologista Carla Albuquerque, especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, recomenda usar um filtro com fator de proteção de, no mínimo, 30.

A proteção é importante mesmo nos dias nublados, pois 80% da radiação solar ainda consegue atravessar as nuvens e atingir a pele.

“A camada de protetor não pode ser muito fina e o produto deve ser reaplicado ao longo do dia”, diz a dermatologista. “Também é muito importante usar proteções físicas, como bonés, chapéus e óculos escuros.”

Controle de peso e hidratação

O rápido ganho de peso e o consequente estiramento da pele favorecem o aparecimento de estrias, que, inicialmente, são avermelhadas, para depois ficarem brancas.

Para evitar o problema, o caminho é controlar o aumento de peso com alimentação balanceada e prática de exercícios físicos adequados, sempre sob orientação médica.

A hidratação, tanto interna quanto externa, é outro importante recurso para prevenir as estrias. Além de beber muito líquido, a gestante pode recorrer a produtos hidratantes que conferem maior elasticidade à pele.

“Os cremes contendo glicerina, vitamina E, óleo de amêndoas, óleo de semente de uva, manteiga de karité e outros agentes com alto poder hidratante são os mais indicados”, fala a dermatologista Gabriela.

Existem no mercado hidratantes especialmente destinados a gestantes.  Em geral, eles trazem fórmulas mais suaves e não utilizam perfumes, pois as grávidas costumam ter maior sensibilidade para reações alérgicas e cheiros.

Topo