Gestação

Economize cortando 18 itens dispensáveis do enxoval do bebê

Getty Images
A falta de planejamento na hora de fazer o enxoval pode render compras desnecessárias imagem: Getty Images

Catarina Arimatéia

Do UOL, em São Paulo

O bebê nem deu o primeiro chute na barriga e muitos pais já estão a todo vapor montando o enxoval. São roupinhas, mantas, sapatinhos, cadeirão, carrinho. Todos aparentemente indispensáveis. O problema é que, logo depois do nascimento, os pais descobrem que muitos itens comprados não eram adequados. Sem falar nos que se transformam em “elefantes brancos”, atravancando os ambientes da casa.

Para ajudar na tarefa de montar o enxoval do bebê sem erros ou arrependimentos, o UOL Gravidez e Filhos consultou a blogueira e designer Sandy Bahia, mãe de Alice, 2 anos, criadora do Vendinhas – Coisinhas de Bebê Novas e Usadas, um grupo de mães no Facebook que já conta com mais de 4.700 membros, e mais três profissionais que prestam consultoria e oferecem serviços para pais, sejam ou não de primeira viagem: Viviane Paulucci, da Baby Planners, e Patrícia Tsukada, da Mommy in Bloom, ambas de São Paulo; e Cristina Oliveira, da Mommy & Daddy, do Rio de Janeiro.

Itens dispensáveis do enxoval

  • Aquecedor de mamadeira

    Muitos pais compram para facilitar a vida e não errar na temperatura adequada do leite, em vez de aquecer a mamadeira no banho-maria. Mas é um item que acaba sendo totalmente dispensável. Além do mais, há quem goste de dar o leite na temperatura ambiente.

  • Babador de tecido

    Pode ser bonito, mas a utilidade é zero. Além de deixar o peito do bebê úmido, ainda suja com bastante facilidade.

  • Sapatinhos

    Bebês não precisam de sapatos, que inclusive são incômodos para os pés delicados da criança. Além disso, ela logo descobre como tirá-los. Dê preferência às meias.

  • Banheira inflável

    Nada prática. O bebê se mexe e a água cai.

  • Roupas RN em excesso

    Um grande erro é comprar muitas roupas em tamanho para recém-nascido. Ou a criança perde por crescer muito rápido ou nasce grande e nem usa.

  • Travesseiros

    Pode até ser um objeto decorativo, mas não é necessário para o bebê e ainda há o risco de provocar sufocamento.

  • Mordedores

    A maioria dos bebês costuma achar bem mais interessante morder os objetos ao redor.

  • Saco de dormir

    Mais um item que, com certeza, vai ser bem pouco utilizado. Há pais que o acham mais seguro do que o berço, já que o bebê fica limitado em seus movimentos, mas, na maioria das vezes, o saco de dormir permanece guardado no armário.

  • Conjunto de pagão (composto por blusa e calça com ou sem pé)

    É um dos presentes que os pais mais ganham, mas nem sempre vai ser tão usado quanto se imagina. Invista dinheiro em bodies, peças mais versáteis e práticas para o dia a dia.

  • Chapéus de modo geral

    Mais um item pouco utilizado. Apesar de os chapéus ajudarem a proteger do sol, o bebê, geralmente, incomoda-se com a peça e acaba tirando-a. E em ambientes fechados não são utilizados.

  • Mosquiteiro de berço

    Se há muitas moscas por perto, pode ser útil. Mas é importante a mãe ficar sempre alerta, para que a criança não se pendure nele nem o puxe.

  • Bolsa de passeio temática ou com motivos infantis

    Quem vai usar a bolsa é a mãe, não o bebê. Portanto, a melhor opção são as cores neutras, que combinam com qualquer roupa.

  • Esterilizador de chupeta

    Acaba sendo deixado de lado, já que o método tradicional ainda é o preferido: ferver a chupeta na água.

  • Berço que vira cama

    Além de poder causar quedas depois que as crianças ficam maiores, há ainda a possibilidade de os pais enjoarem do berço e desejar uma minicama para a nova fase da criança. É o item mais revendido no brechó virtual Vendinhas.

  • Banheira com pé

    No brechó virtual Vendinhas, é outro dos itens mais revendidos. O motivo é simples: ocupa uma boa parte do banheiro. Só vale apostar na compra se o bebê tiver um banheiro exclusivo.

  • Aquecedor de lenços umedecidos

    Indicado para os dias mais frios, para evitar o choque térmico do gelado do produto no bumbum do bebê. Mas nada obrigatório. Até porque, em casa, no dia a dia, o recomendável é que a higiene na troca de fraldas seja feita com algodão embebido em água morna.

  • Termômetro de banheira

    Já na primeira semana de vida do bebê, a mãe sabe qual deve ser a temperatura ideal da água. Testar a água com o cotovelo ou o punho resolve bem a questão.

  • Cadeira de alimentação

    A não ser que você tenha uma casa bem grande, o móvel corre o risco de se transformar em um trambolho. Prefira o assento portátil que se adapta a qualquer cadeira.

Topo